Posts

Tudo sobre a reciclagem NR35

O curso NR35 reciclagem foi criado para renovar os conhecimentos dos trabalhadores em grandes alturas. Assim como também serve como uma verificação legal de que a pessoa está habilitada a exercer sua função. Hoje vamos falar sobre este material e a norma em si.

Não é de hoje que as construções começaram a tomar um caminho bastante vertical. Cerca de um século atrás ou mais era comum considerar um prédio de 3 andares como um arranha-céu.

As pessoas realmente ficaram espantadas quando encontraram as primeiras versões de prédios de 5, 6 e até 10 andares. Seja como for a verdade é que com o tempo a tecnologia nos permitiu ser mais econômicos com o nosso espaço.

Mas um medo real deste tipo de situação é bastante fundado na lógica, que é o fato de que uma queda pode realmente trazer danos. Isto quando não falamos de uma queda que provavelmente irá gerar o óbito.

Quem já esteve presente em várias ocasiões de obras pode ter visto que o acabamento do lado de fora de um prédio é feito de uma maneira muito aterrorizante para quem tem medo de altura. Mas este trabalho só é possível porque existem procedimentos de segurança.

Ninguém está tentando brincar de homem-aranha por aí, as pessoas possuem equipamentos e técnicas que as permitem fazer tudo tranquilamente. E hoje é crucial que elas tenham conhecimento da norma que legisla sobre este tipo de trabalho.

Afinal de contas, as normas regulamentadoras são parte do trabalho em grandes e pequenas empresas. Quem busca sucesso de verdade precisa se adequar da maneira correta.

Hoje gostaria de falar desta norma em geral, assim como a importância da execução de um curso de NR35 e um curso NR35 reciclagem. Vamos conferir?

O que é a NR35?

A NR35, corretamente nomeada de Norma Regulamentadora 35, é um dispositivo legal que serve como parâmetro e regula as atividades em grandes alturas.

Diferente do que muitos pensam ela não só atua em trabalhos que estão ligados à construção civil. Afinal de contas existem vários outros ramos que irão expor seus colaboradores a uma altura considerável.

Pegue por exemplo os funcionários de uma empresa de eletricidade ou então de telecomunicações. É normal que eles tenham que escalar grandes alturas para conseguir alcançar uma torre ou mesmo uma linha de alta tensão.

Às vezes a altura pode passar de algumas dezenas de metros do chão!

Mas sem dúvida nenhuma grande parte das aplicações estão com aqueles que se empenha na construção civil, onde há a aplicação de acabamentos em construções que estão em uma altura muito grande.

O que é uma grande altura para a NR35?

Definir uma grande altura não é uma tarefa tão difícil, afinal de contas são basicamente dois os parâmetros para esta medida.

Primeiramente é importante dizer que uma altura considerada perigosa por esta normal precisa ter no mínimo 2 metros de diferença do nível inferior. Ou seja, a partir daí é necessária uma série de procedimentos e equipamentos para evitar a queda.

E em segundo lugar é necessária a possibilidade de queda. Afinal de contas este é o principal problema que precisamos combater. Senão todos os funcionários de um prédio no segundo ou terceiro andar já necessitariam de uma série de procedimentos.

Então, pode ser que você pense que esta é uma altura muito pequena considerando as que na prática são utilizadas por vários colaboradores. Alguns chegam a subir cerca de 40 metros ou mais.

Porém só basta uma queda de 2 metros (e até menos) para que o impacto feito na região errada e da maneira errada seja fatal.

Por isto esta definição é mais do que razoável.

Normas que também regulam o trabalho em altura

Um ponto bastante interessante sobre as Normas Regulamentadoras é o fato de que elas realmente irão envolver um número enorme de outras normas. Normalmente existem vários pontos que interligam mais de uma regulamentação para garantir a segurança em geral.

Nos trabalhos em altura é possível encontrar outras 6 normas que atuam em conjunto. Embora nem todas se apliquem aos mesmos casos. Vamos dar uma olhada:

Norma Regulamentadora 4

Esta NR serve para falar sobre os Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho. Embora não atue diretamente sobre a altura em si, é sempre necessária para se garantir uma boa segurança e prevenção de problemas.

Além disso também é excelente no ponto de vista que acidentes podem acontecer mesmo com tudo feito de maneira correta. Por isso é importante que a pessoa siga as normas de maneira adequada, principalmente para diminuir os efeitos de um acidente ocorrido.

Às vezes um atendimento de primeiros socorros bem feito consegue impedir um óbito ou mesmo alguma outra consequência problemática.

Um curso NR35 reciclagem deve conter informações básicas sobre atendimento também.

Norma Regulamentadora 6

Esta norma trata diretamente do uso de vários tipos de EPI (Equipamento de Proteção Individual). Eles servem para proteger o trabalhador dos principais problemas que podem aparecer.

Mas principalmente no caso da NR35 é comum que eles sejam utilizados para garantir até mesmo que a atividade seja realizada. Já que em várias situações não existe nenhuma superfície de apoio.

Seja como for os principais EPIs constinuam sendo os mesmos na maioria dos casos. E pode ser estranhos para alguns tentar entender o que um óculos de proteção teria de relação com o trabalho em alturas.

E um dos motivos simples que eu posso dizer é que você vai precisar da sua visão e de todos os sentidos para se manter seguro. Ter algum tipo de detrito desprendido e se chocando contra o globo ocular será um problema. Perder o equilíbrio pode ser fatal, e equilíbrio está relacionado com a visão.

Sem contar que existem equipamentos de proteção específico, como cabos de segurança e afins. Eles permitem que você consiga realmente fazer sua função sem ter a chance de queda.

Norma Regulamentadora 7

Esta norma é praticamente obrigatória para qualquer trabalho também, seja ele de altura ou não. Ela vai regular o PCMSO (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional).

Ou seja, você como colaborador poderá sofrer alguns tipos de problemas no médio e longo prazo relativos ao seu trabalho. Digamos que por exemplo exista a necessidade de trabalhar em um local com bastante poluição sonora.

Depois de alguns anos é comum que a sua audição fique comprometida, ainda que você tome todas as medidas corretas. Claro, sua aderência aos protocolos de segurança são a melhor defesa.

Mas de todo jeito é importante que a empresa faça os exames e tenha certeza de que você saiu com uma qualidade auditiva igual a que você entrou. Assim como é comum que se utilizem artifícios para medir a qualidade da sua saúde ao longo do tempo.

Este normalmente não um tópico constantemente abordado em um curso NR35 reciclagem, mas vale a pena estar consciente dos seus direitos.

Norma Regulamentadora 9

O trabalhador em grandes alturas está exposto a alguns riscos diferentes do normal. Por isso é necessária a implantação do Programa de Prevenção e Riscos Ambientais.

Pense bem, a força do vento em grandes alturas é muito maior do que no nível do solo. Em situações de vento forte é possível sentir um empurrão muito forte mesmo em terra firme.

Agora, esta mesma situação se torna um risco quando você está a algumas dezenas de metros de altura. Os riscos serão bem mais complicados.

O mesmo pode acontecer com descargas elétricas de raios, ou até mesmo um ninho de vespas ou abelhas no meio da torre de transmissão. Já parou para pensar neste tipo de coisa?

Alguns acreditam que é uma situação rara, mas não só pode acontecer como realmente acontece. Por isso o cuidado não pode ser deixado de lado.

Norma Regulamentadora 18

Esta é uma norma que irá se aplicar apenas para um grupo específico de trabalhadores. No caso a NR18 vai regular sobre Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção.

Temos um texto incrível explicando mais sobre ela aqui no nosso site. Basta clicar aqui para conferir.

Norma Regulamentadora 34

E por último também está aqui uma norma interessante, que fala das Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção e Reparação Naval.

Acredite você ou não, mas quem está neste meio também possui algumas preocupações. Primeiro porque alguns navios podem ser realmente grandes, e assim riscos de queda são consideráveis.

Principalmente na produção ou reparação deles, onde eles estarão em um local seco e que pode ficar a alguns bons metros no solo.

Mas se você não trabalha nesta área, sem problema, esta não é uma norma para se preocupar.


Responsabilidades previstas em um curso NR35 reciclagem

É importante entender que um curso normal de NR35, ou mesmo um curso NR35 reciclagem, irá entregar várias responsabilidades.

E o normal é imaginar que estas responsabilidades caem todas sobre o empregador, o que não é verdade. Segundo a maioria das normas regulamentadoras é possível encontrar tarefas para todos os envolvidos.

Resolvi separar aqui as responsabilidades do empregador e as responsabilidades dos colaboradores. Vamos dar uma olhada?

Responsabilidades do Empregador

1 – Implementar Medidas de Proteção

O empregador é obrigado a implementar qualquer medida de proteção que for anunciada dentro da NR35. Isto faz com que até mesmo os responsáveis tenham a necessidade de realizar um curso NR35 reciclagem.

E assim é possível realmente encontrar os resultados de maneira eficaz e inteligente. Afinal de contas todas as medidas foram criadas para proteger o trabalhador.

O não cumprimento também não acarreta só multas, mas também riscos para o colaborador em si. Nenhum dos dois casos é desejável.

2 – Estabelecer os procedimentos

Normalmente as tarefas a serem realizadas em um empreendimento são bastante repetitivas. E assim é importante criar procedimentos para que estas tarefas sejam realizadas de maneira inteligente.

Principalmente nos casos em que há a necessidade de se fazer algo com menos risco e por menos tempo. Afinal de contas quanto menos tempo você estiver em uma grande altura, menor será o risco. Desde que tudo feito da maneira correta.

3 – Realizar AR e assegurar a PT

O empregador deve realizar uma completa Análise de Risco (também chamada de AR). Em alguns casos é até mesmo preciso assegurar que a Permissão de Trabalho (PT) seja emitida.

Documentação é algo burocrático, mas extremamente importante para que tudo corra de acordo com os conformes.

4 – Garantir as avaliações prévias

Várias avaliações precisam ser feitas antes de iniciar os trabalhos. Por isso é importante olhar as condições do ambiente de trabalho.

O que pode também fazer com que você tenha  que fazer planejamento e também adotar medidas complementares de segurança.

Tudo vai depender da ocasião e do trabalho envolvido, porém nunca se deve iniciar antes deste tipo de análise. Por isso é importante fazer sempre um curso NR35 reciclagem.

5 – Participar do cumprimento das medidas de segurança das terceirizadas

É comum que uma, ou até mesmo várias, empresa privada acabe envolvida no processo de trabalho. E isto não tira a responsabilidade de adoção das medidas dentro da sua empresa.

A contratante precisa realmente garantir que os funcionários estejam aderindo às boas práticas. De outro fato seria simples para uma empresa contratar todos os seus funcionários de uma terceirizada e pedir que não adotassem as medidas necessárias.

6 – Informar corretamente os colaboradores

Qualquer pessoa envolvida no trabalho precisa ter consciência de tudo o que está envolvido. Seja dos riscos ou mesmo dos procedimentos corretos para garantir a sua segurança.

Sendo assim é normal que a empresa constantemente elabore cursos de NR35 ou mesmo curso NR35 reciclagem.

7 – Só iniciar atividades após adotar as medidas de proteção

É necessário que as atividades jamais comecem sem que todas as precauções de segurança sejam tomadas. Até porque vestir EPIs em grandes alturas pode ser mais arriscado do que não utilizar eles.

Para evitar desculpas ou esquecimento é crucial que a empresa exija o bom senso dos colaboradores.

8 – Suspender atividades em altura quando houver um risco novo

Situações inesperadas podem realmente ocorrer, e não há muito para onde ir. Infelizmente nem todos sabem agir da maneira correta, que é suspender a atividade em si.

Se o risco for eliminável imediatamente, tudo bem. Mas digamos que um EPI tenha se mostrado defeituoso. Se sua troca for impossível o melhor mesmo é não arriscar.

O mesmo pode ser ditos com variáveis do ambiente, como por exemplo o mal tempo.

9 – Elaborar a sistemática de autorizações

Nenhum trabalho em altura deve ser executado sem a devida autorização do corpo de segurança. Então é necessário que o empregador crie toda a sistemática, a mecânica, por traz de cada autorização.

Assim como deve informar os passos corretos para que tudo flua corretamente.

10 – Supervisionar a atividade

O empregador precisa designar alguém que esteja fiscalizando o trabalho em altura. É necessário que tudo esteja ocorrendo de acordo com a AR, e também que não se tenha um trabalhador em situação de risco sozinho.

Pois em caso de imprevistos haverá alguém para poder prestar socorro.

11 – Manter a documentação em dia

Conforme você vai aprender no curso NR35 reciclagem, é normal que existam mais documentos do que se parece. O empregador deve manter tudo em ordem para possíveis inspeções.

Assim como o setor de auditoria da empresa normalmente irá exigir cada um deles para garantir que o trabalho seja eficaz.

Responsabilidades do Colaborador

1 – Zelar pela segurança

O colaborador em si precisa ser o principal preocupado com a própria segurança. E assim garantir que outros envolvidos também não acabem correndo riscos desnecessários.

Não adianta a empresa fornecer toda a base se o colaborador em si não possui nenhum tipo de interesse.

2 – Cumprir as exigências legais e documentares

Não é só o empregador que é cobrado. O próprio funcionário possui responsabilidades e atitudes que precisam ser tomadas de maneira efetiva.

Se o colaborador se recusar a seguir as regras é comum que até ele mesmo seja demitido sem justa causa para que se mantenha a segurança dentro da empresa.

Alguns acidentes comprometem não só a vida do colaborador, mas o de outros que estão envolvidos. E ainda é possível encontrar aqueles que geram um grande prejuízo para o trabalho em geral.

3 – Ajudar a implementar as exigências

O funcionário deve fazer sua parte e informar problemas que estão acontecendo na empresa. Assim ele estará apoiando a implantação da norma de uma maneira muito mais eficaz.

Este é o tipo de funcionário que costuma ser bem visto no campo de trabalho. Realmente sendo uma opção incrível para quem deseja ter bons resultados.

4 – Parar as atividades caso hajam riscos novos

O problema aqui é semelhante ao encontrado na responsabilidade do empregador. Mas às vezes alguns riscos só serão visto por quem está efetivamente no local.

Então se não for possível tomar nenhuma medida protetiva, o melhor mesmo é parar o trabalho.


Curso NR35 reciclagem, por que fazer?

Existem alguns motivos básicos pelos quais você deveria estudar a possibilidade da realização de um curso NR35 reciclagem.

Primeiramente é a preocupação com sua segurança e bem estar. Pessoas com o conhecimento correto irão correr muito menos riscos que as outras.

E isto é verdade também para aqueles que trabalham como autônomos. Se você está propenso ao risco do trabalho em altura, pode ser interessante se capacitar melhor.

Empresas são obrigadas a fornecer este treinamento para seus colaboradores. E isto deve ser feito sem onerar seus funcionários.

Então escolher o curso certo pela empresa é crucial, pois irá garantir o bom funcionamento das atividades sem grandes riscos. É um dos caminhos mais tranquilos para que a equipe do jurídico e segurança fiquem calmas.

Mas é importante dizer também que a maioria das pessoas envolvidas no trabalho em geral terão o hábito de procurar uma capacitação por conta própria.

Isto acontece porque o curso tem um tempo de duração, que embora seja curto ainda vai exigir dos funcionários um período ocioso. Já que eles não poderão trabalhar sem a certificação.

O mesmo vale com a reciclagem, já que o curso costuma expirar em alguns anos, fazendo com que a capacitação que ele talvez tenha recebido em outra empresa não seja mais válida.

Assim, aquele que está com as suas certificações em dia acaba sendo mais sedutor para a empresa em si. Garantindo excelentes resultados para a empresa.

Onde encontrar o melhor curso NR35 reciclagem

A procura por um curso NR35 reciclagem precisa ser feita de maneira minuciosa. Afinal de contas o que não falta na internet são produtos e cursos incríveis.

Você vai olhar um por um, mas a verdade é que não há uma garantia até que você comece a fazer o curso em si. Por isso minha recomendação é que você procure uma empresa que tenha licenciamento para esta atividade.

Assim há uma garantia incrível de que você consiga bons resultados. Pois um curso sem licenciamento é simplesmente inválido, você investirá tempo e dinheiro sem receber retorno. Ainda que conteúdo seja completo.

E então minha indicação sempre vai para os cursos da Engehall, onde por sinal está sendo elaborado um novo curso NR35 reciclagem incrível.

Você vai poder rever todos os conceitos e receber um certificado válido por um preço justo. Tudo com profissionais capacitados e de qualidade.

Mantenha-se informado aqui para saber em breve do lançamento.

Conclusão

A caminhada foi interessante e espero que estas informações tenham sido úteis para você. Entretanto é válido dizer que ainda existe muita coisa para conversarmos. Então sempre que possível retorne para aprender ainda mais.

Se ficou alguma dúvida, sem problemas, é só entrar em contato pelos comentários ou mesmo pela página de emails que a gente responde rapidinho, ok?

Até a próxima!

© Todos Direitos Reservados | Engehall Elétrica | Curso NR10