Imagens

Imagens

 

Imagens

 

Imagens

 

Imagens

 

Imagens

 

Imagens

 

Imagens

 

Imagens

 

Imagens

 

Imagens

 

Imagens   ImagensImagens

 

Imagens  ImagensImagens

 

Imagens  Imagens  Imagens

 

Imagens  Imagens

curso-nr-10-bh

Orçamento

Curso NR10 queimaduras

Curso NR10 queimaduras

Curso NR10 Queimaduras

A corrente elétrica como citato no item choque elétrico, atinge o organismo através do revestimento cutâneo (pele). Por esse motivo, as vítimas de acidente com eletricidade apresentam, na maioria dos casos envolvendo alta tensão, queimaduras. Devido àalta resistência da pele, a passagem de corrente elétrica produz alterações estruturais conhecidascomo “marcas de corrente”. As características, portanto, das queimaduras provocadas pelaeletricidade diferem daquelas causadas por efeitos químicos, térmicos e biológicos.

Em relação às queimaduras por efeito térmico, aquelas causadas pela eletricidade são geralmentemenos dolorosas, pois a passagem da corrente poderá destruir as terminações nervosas. Não significa, porém que sejam menos perigosas, pois elas tendem a progredir em profundidade,mesmo depois de desfeito o contato elétrico ou a descarga.

É importante destacar que não há necessidade de contato direto da pessoa com partesenergizadas. A passagem da corrente poderá ocorrer devido a uma descarga elétrica, ou arco voltaico em caso deproximidade do individuo com partes eletricamente carregadas.

A eletricidade pode produzir queimaduras por diversas formas, o que resulta na seguinte classificação: queimaduras por contato;queimaduras por arco voltaico;queimaduras por radiação (em arcos produzidos por curtos-circuitos);queimaduras por vapor metálico.

Queimaduras por contato

Quando se toca uma superfície condutora energizada e cria um caminho para a condução da corrente, as queimaduras podem ser locais eprofundas atingindo até a parte óssea, ou por outro lado muito pequenas, deixando apenas uma pequena “mancha branca na pele”. Em caso de sobrevir à morte, esse último caso é bastanteimportante, e deve ser verificado no exame necrológico, para possibilitar a reconstrução, maisexata possível, do caminho percorrido pela corrente. É importante também o acompanhamento posterior da saúde do acidentado para que este não venha a desenvolver uma doença iniciada pela passagem da corrente elétrica como problemas renais, por exemplo.

Queimaduras por arco voltaico
Curso NR10 queimaduras

O arco elétrico caracteriza-se pelo fluxo de corrente elétrica através do ar, ou seja, pela ruptura do
dielétrico (ar) entre uma fase e outra (mais comum) ou entre fase e terra. Geralmente éproduzido quando da conexão e desconexão de dispositivos elétricos energizados, mas podem ser causada por poeiras, sujeiras, umidade, corrosão, queda de ferramentas não isoladas entre outros. A falha em isolamentos dos condutores também pode causar um curtocircuito que não deixa de ser um arco voltaico. A consequência do arco são queimaduras de segundo ou terceiro grau. Vale lembrar que o arco elétrico possui energiasuficiente para queimar as roupas e provocar incêndios, emitindo vapores de material ionizado eraios ultravioletas.

Queimaduras por vapor metálico

Na fusão de um elo fusível ou condutor, há a emissão de vapores e derramamento de metaisderretidos (em alguns casos prata ou estanho) podendo atingir as pessoas localizadas nasproximidades.

Campos eletromagnéticos

É gerado quando da passagem da corrente elétrica nos meios condutores. O campoeletromagnético está presente em inúmeras atividades humanas, tais como trabalhos comcircuitos ou linhas energizadas, solda elétrica, utilização de telefonia celular e fornos demicro-ondas.

Os trabalhadores que interagem com Sistema Elétrico Potência estão expostos ao campoeletromagnético, quando da execução de serviços em linhas de transmissão aérea e subestaçõesde distribuição de energia elétrica, nas quais empregam-se elevados níveis de tensão e corrente.

Os efeitos possíveis no organismo humano decorrente da exposição ao campo eletromagnéticosão
de natureza elétrica e magnética. Onde o empregado fica exposto ao campo e seu corposofre uma
indução, estabelecendo um diferencial de potencial entre o empregado e outros objetosinerentes às atividades.

A unidade de medida do campo magnético é o Ampére por Volt, Gaus ou Tesla cujo símbolo érepresentado pela letra T.

Cuidados especiais devem ser tomados por trabalhadores ou pessoas que possuem em seu corpo aparelhos eletrônicos, tais como marca passo, aparelhos auditivos, dentre outros, pois seufuncionamento pode ser comprometido na presença de campos magnéticos intenso.

Nr 27 Registro Profissional do tecnico de seguranca do trabalho

NR revogada a partir de 30.05.2008 pela Portaria MTE 262/2008

Segue na íntegra a Portaria MTE 262/2008

PORTARIA Nº 262, DE 29 DE MAIO DE 2008
Publicada DOU 30/05/2008
O MINISTRO DO TRABALHO E EMPREGO, no uso das atribuições que lhe conferem o inciso II do parágrafo único do art. 87 da Constituição Federal, o art. 3º da Lei nº 7.410, de 27 de novembro de 1985, e o art. 7º do Decreto n.º 92.530, de 9 de abril de 1986,

RESOLVE:

Art. 1º O exercício da profissão do Técnico de Segurança do Trabalho depende de prévio registro no Ministério do Trabalho e Emprego.

Art. 2º O registro profissional será efetivado pelo Setor de Identificação e Registro Profissional das Unidades Descentralizadas do Ministério do Trabalho e Emprego, mediante requerimento do interessado, que poderá ser encaminhado pelo sindicato da categoria.

§ 1º O requerimento deverá estar acompanhado dos seguintes documentos:

I – Carteira de Trabalho e Previdência Social – CTPS, para lançamento do registro profissional;

II – cópia autenticada de documento comprobatório de atendimento aos requisitos constantes nos incisos I, II ou III do artigo 2º da Lei n.º 7.410, de 27 de novembro de 1985;

III – cópia autenticada da Carteira de Identidade (RG); e

IV – cópia autenticada do comprovante de inscrição no Cadastro de Pessoa Física (CPF).

§ 2º A autenticação das cópias dos documentos dispostos nos incisos II, III e IV poderá ser obtida mediante apresentação dos originais para conferência na Unidade Descentralizada do Ministério do Trabalho e Emprego.

Art. 3º Permanecerão válidos os registros profissionais de técnico de segurança do trabalho emitidos pela Secretaria de Inspeção do Trabalho – SIT.

Art. 4º Os recursos interpostos em razão de indeferimento dos pedidos de registro pelas unidades descentralizadas serão analisados pelo Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho – DSST, da SIT.

Art. 5º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

Art. 6º Ficam revogadas a Portaria SNT n.º 4, de 6 de fevereiro de 1992; a Portaria DNSST n.º 01, de 19 de maio de 1992; e a Portaria SSST n.º 13, de 20 de dezembro de 1995, que deu nova redação à Norma Regulamentadora – NR 27.

CARLOS LUPI

fonte: Site TRT SP

[ratings]

Art do Curso de Nr10

A Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) é o documento que atesta a responsabilidade das atividades exercidas por um profissional de engenharia com registro no CREA. Dessa maneira se faz comprovada a capacidade técnica e os conhecimentos necessários para que a execução seja realizada. Uma ART só é considerada válida quando o próprio documento possui registro no CREA.

Pelas exigências do Ministério do Trabalho e Emprego, através do texto da Norma Regulamentadora Número 10, as instituições que oferecem o treinamento necessário exigido pela NR10 devem possuir a ART para a execução do curso. Dessa maneira a capacidade técnica do curso é comprovada.

Abaixo está a cópia da ART da EngeHall para o curso de NR10.

Anotação de Responsabilidade Técnica Engehall