Quatro passos para diminuir acidentes

Quatro passos para diminuir acidentes elétricos e otimizar a segurança

Quem trabalha com eletricidade conhece os riscos existentes, como choques elétricos e eletrocussão provocados pelo contato involuntário com componentes com tensão.

Por exemplo, nos Estados Unidos, os acidentes elétricos causam mais de 300 mortes e mais de 4.000 lesões por ano, sendo a sexta causa de mortes relacionadas com o trabalho. Para os proprietários de edifícios e instalações, uma boa prática consiste na implantação de programas de segurança elétrica que protejam os trabalhadores.

Melhores níveis de desempenho e segurança das redes elétricas
A Schneider Electric oferece serviços completos que simplificam as complicadas atualizações dos sistemas elétricos e ajudam a aumentar a segurança. Esses serviços incluem um processo de quatro passos:

1. Avaliação da instalação: orientação sobre como melhorar a rede elétrica e garantir a segurança dos trabalhadores.

2. Auditoria de eficiência energética: identificação de áreas em que é possível economizar custos de modo a minimizar o desperdício de energia.

3. Estudos técnicos: assessoria de especialistas em sistemas de energia que, após uma análise técnica completa, oferecem recomendações sobre como melhorar a infraestrutura elétrica da instalação para atender aos objetivos de desempenho e segurança desejados.

4. Modernização: visita de especialistas ao estabelecimento para atualizar, restaurar e substituir equipamentos e componentes ineficientes e inseguros, sem afetar a continuidade dos negócios.

Cumprimento de normas governamentais
Em virtude da crescente consciência dos riscos de explosões causadas por arcos elétricos nos Estados Unidos, a Administração de Segurança e Saúde Ocupacional (OSHA), aprimorou os requisitos para o desenvolvimento e aplicação de políticas de práticas de trabalho seguro com a eletricidade (ESWP).

Através da cláusula de obrigações gerais, a OSHA faz referência à norma NFPA 70E-2012 que diz respeito a métodos específicos para aumentar a segurança no local de trabalho. As políticas ESWP ideais recomendam desconectar a tensão dos componentes. Porém, essas políticas deveriam descrever claramente o procedimento para o manuseio de equipamentos com tensão nos casos em que a desconexão não for possível, e incorporar o controle de licenças para manuseio de equipamentos elétricos com tensão.

Como as políticas de segurança gerais não são suficientemente abrangentes para minimizar os riscos elétricos no local de trabalho, nas políticas a serem desenvolvidas deveriam ser documentadas todas as práticas de segurança elétricas para as instalações particulares.

Desenvolvimento e implementação de políticas de segurança
Criar um programa ESWP pode parecer uma tarefa complexa, mas o tempo e o esforço associados se justificam quando se trata de proteger os empreiteiros elétricos, funcionários e a organização. O programa ESWP deve abordar três áreas principais, são elas:

1. Instalação: Desenvolva políticas e sistemas que considerem aspectos de manutenção de equipamentos, ferramentas, consertos, testes e limites autorizados. Além disso, informe detalhadamente quais as condições de trabalho consideradas seguras.

2. Pessoal: Descreva práticas concretas relacionadas com o pessoal qualificado e não qualificado, cuidados adequados e uso de equipamentos de proteção pelo pessoal, preparação para ocupar os respectivos lugares, treinamento e formação permanente.

3. Procedimentos: Ofereça instruções práticas para manuseio de equipamentos com tensão, desconexão e reconexão da tensão aos componentes, bloqueio de componentes (lock-out/tag-out), planejamento de tarefas, análise do risco de explosões por arcos elétricos, rotulagem de equipamentos e elaboração de relatórios e registros.

As normas dos EUA requerem a de auditorias a cada três anos. As avaliações são úteis para garantir que os trabalhadores conheçam e compreendam as atualizações das políticas. Toda modificação de política deve ser registrada, documentada e comunicada às partes interessadas.

Empreiteiros elétricos e trabalhadores qualificados
Em virtude da norma NFPA 70E-2012, os trabalhadores devem ser qualificados, para isso, devem receber treinamento a fim de poderem reconhecer e evitar os riscos associados ao manuseio de sistemas elétricos. O treinamento em práticas seguras permite que eles adquiram as competências e conhecimentos necessários para a construção e operação de equipamentos e sistemas elétricos. Os trabalhadores também aprendem a se proteger e proteger os outros contra os riscos elétricos.

O eixo de todo programa de treinamento deveria ser o de ensinar os trabalhadores a desconectarem a tensão dos equipamentos antes de cada tarefa. Quando se trata de identificar problemas de equipamentos, são realizadas calibragens ou medições da tensão e nem sempre é possível trabalhar em condições elétricas seguras. Por isso, os funcionários responsáveis por essas atividades também devem ser pessoas “qualificadas”.

Propagação da segurança em toda a empresa
A determinação do nível de treinamento na sala de aula e no local de trabalho necessários para formar funcionários qualificados depende do empregador e é um processo contínuo. O empregador deve conferir que cada um dos seus funcionários treinados aplique as práticas de trabalho seguro. Essa verificação pode ser realizada mediante a supervisão periódica e inspeções anuais.

Todos os funcionários, do pessoal de manutenção até os gerentes, devem entender os requisitos impostos e conhecer as práticas pertinentes de trabalho seguro.

Fonte: www.abracopel.org

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta