FORME-SE COM

O MELHOR CURSO DE NR10 ONLINE.

Engehall, a empresa mais premiada no Brasil e que possui o Maior Canal do Mundo que Ensina Elétrica no Youtube.

Você ao lado dos melhores da engenharia elétrica

PRÊMIOS E CERTIFICAÇÕES DA ENGEHALL
Abracopel
Prêmio
Abracopel

iBest!

TOP 5 BRASIL EM EDUCAÇÃO

YouTube

200k e 1 Mi de inscritos no YouTube

Hotmart
Keep Growing.
Hotmart Black.
Selo ISO

Selo ISO 9001 e ISO 45001 de qualidade

+ DE 200 EMPRESAS ATENDIDAS

CLIENTES E PARCEIROS DA ENGEHALL

MAIS DE 250 MIL PROFISSIONAIS FORMADOS NA ENGEHALL

O QUE NOSSOS ALUNOS DIZEM

JUNTE-SE À NOSSA BASE DE FÃS QUE JÁ SÃO:

+ DE 2 MILHÕES

SEGURANÇA PARA SUA CARREIRA PROFISSIONAL.

BENEFÍCIOS PARA VOCÊ

SATISFAÇÃO 100%

Devolvemos seu dinheiro sem objeção e integralmente caso não fique satisfeito.

INTERAÇÃO ALUNO E PROFESSOR

A única empresa que oferece interação do aluno com o professor na plataforma.

ACESSO IMEDIATO SEM PAGAMENTO

Confiamos tanto em nosso curso que liberamos o acesso de forma gratuita para que você inicie imediatamente e pague somente se sentir segurança.

CERTIFICADO 100% ACEITO

Certificado 100% de acordo com o exigido pela norma regulamentadora NR1 e com controle antifraude.

PLANTÃO VIA WHATSAPP

Plantão de atendimento via whatsapp, dentro e fora do horário comercial.

PIONERISMO NA DIDÁTICA

Pioneiros no desenvolvimento da plataforma para simulação de prática de combate a princípio de incêndio e primeiros socorros.

MATERIAL DE ALTA QUALIDADE

Material do curso desenvolvido por profissionais altamente qualificados. Com projeto de ensino da Pedagoga Renata Navarro, do Engenheiro de Segurança do Trabalho Marlon Pascoal, da Técnica de Segurança do Trabalho Sabrina Dancona (que foi instrutora no Senai) e do Enfermeiro Marcelo Felix, responsável pela parte de primeiros socorros e combate a incêndio.

+ DE 250.000 ALUNOS

Mais de 250.000 profissionais treinados, nas áreas elétrica e segurança do trabalho.

O CURSO QUE VOCÊ PRECISA ESTÁ AQUI.

CONHEÇA NOSSOS CURSOS DE NR10

Nr10 básico

R$ 275,00

R$ 185,00

Nr10 RECICLAGEM
R$ 259,00
R$ 169,00

TODOS OS BÔNUS DO NR10 BÁSICO

NR10 SEP

R$ 275,00

R$ 185,00
SEP RECICLAGEM
R$ 259,00
R$ 169,00

TODOS OS BÔNUS DO NR10 BÁSICO

A ENGEHALL TEM MUITO MAIS

+ CURSOS PRA VOCÊ

NR35
R$ 227,00
R$ 147,00

COMBO NR10 + NR35

R$ 502,00
R$ 284,00

BÔNUS: TODOS OS BÔNUS DOS CURSOS DE NR 10 E NR 35

RAC 10
R$ 275,00
R$ 185,00
OUTROS CURSOS NR'S

FORNECEMOS TAMBÉM OS CURSOS DE NR 6 E NR 17.

SOLICITE ORÇAMENTO PARA SUA EMPRESA:

CERTIFICADO 100% VÁLIDO!

ACEITO EM TODAS AS EMPRESAS DO BRASIL

INFORMAÇÕES CONFORME REQUISITOS DA NORMAL VIGENTE.

Sistema com QR code antifraude.

3 instrutores habilitados em seu conselho de classe.

Sistema antifraude por meio do site.

ART dos responsáveis pelo treinamento, com registro do CREA.

Controle individual de certificação.

Na modalide online o Instrutor deve ter o visto do CREA do estado onde o aluno realiza o curso. Deve se atentar ainda que no certificado deve constar a cidade onde o aluno realizou o treinamento conforme determina a norma. Os treinamentos da EngeHall respeitam rigorosamente as diretrizes e os requisitos mínimos para utilização da modalidade de ensino a distância e semi presencial, os quais estão previstos no Anexo II da NR-01. O item 1.6.1.1 desse anexo informa que ao término dos treinamentos inicial. Periódico ou eventual, previstos nas NR, deve ser emitido certificado contendo o nome e assinatura do trabalhador, conteúdo programático, carga horária, data, local de realização do treinamento, nome e qualificação dos instrutores e assinatura do responsável técnico do treinamento. Todas essas informações estão presentes em nosso certificado. Ainda, conforme o item 1.1 desse anexo, a empresa ou instituição especializada que oferte as capacitações previstas nas NR na modalidade de ensino a distância e semipresencial deve atender aos requisitos constantes deste Anexo e da NR-01 para que seus certificados sejam considerados válidos. Devido ao cumprimento desses requisitos, os certificados da EngeHall devem ser considerados válidos em todo o Brasil.

FAÇA SUA MATRÍCULA DE GRAÇA.

COMECE A ESTUDAR AGORA E PAGUE DEPOIS

PRIMEIRO MÓDULO GRÁTIS!

VEJA O QUE VOCÊ VAI APRENDER NO NOSSO CURSO

CONQUISTE HABILIDADES ESPECIAIS

Você irá entender o conceito de átomo, assim como os conceitos das principais grandezas elétricas: tensão, corrente, resistência e potência.

Para que seja possível o entendimento dos riscos em eletricidade, deve-se primeiramente entender alguns conceitos básicos, por exemplo: sabemos que o choque elétrico ocorre em função da corrente elétrica circulando pelo corpo humano. Mas, você sabe o que é corrente elétrica?

Você saberá responder essa e outras questões que surgirão no decorrer do nosso curso.

De acordo com a NBR 5410/2004, para a proteção contra choques elétricos devem-se tomar os seguintes cuidados:

1. Partes vivas de instalações elétricas não devem ser acessíveis;

2. Massas ou partes condutivas acessíveis não devem oferecer perigo, seja em condições normais, seja, em particular, em caso de alguma falha que as torne acidentalmente vivas.

Entenda melhor com exemplos práticos no curso.

Primeiramente convém definir o que é risco e distingui-lo de perigo. O risco é uma medida da perda ou dano, seja econômico, ambiental ou da vida humana que está relacionado à frequência com que o dano ou perda ocorre e a magnitude que ele atinge. O risco pode ser
reduzido com a implementação de medidas de segurança.

Já o perigo diz respeito a condições com possibilidade de causar danos, ou seja, o perigo existe como uma condição muitas vezes até do ambiente ou da natureza do trabalho, mas o risco pode ser diminuído por meio de medidas de segurança.

Esta norma estabelece as condições que as instalações elétricas de baixa tensão devem satisfazer a fim de garantir a segurança de pessoas e animais, o funcionamento adequado da instalação e a conservação dos bens.

Ela se aplica principalmente às instalações de edificação residencial, comercial, pública, industrial, de serviços, agropecuária, hortigranjeiras e outros.

A NR 10 estabelece um sistema para o projeto e execução de instalações elétricas de média tensão com tensão nominal de 1,0kV a 36,2kV, à frequência industrial, de modo a garantir
segurança e continuidade de serviço.

Conforme Norma Regulamentadora NR-6 - Equipamento de Proteção Individual − EPI é todo dispositivo de uso individual utilizado pelo empregado, destinado à proteção de riscos
suscetíveis de ameaçar a segurança e a saúde no trabalho.

Equipamento de Proteção Coletiva − EPC é todo dispositivo, sistema ou meio, fixo ou móvel, de abrangência coletiva destinado a preservar a integridade física e a saúde dos trabalhadores, usuários e terceiros. Essa definição está no glossário da NR-10.

Essas inspeções devem ser realizadas para que as providências possam ser tomadas com vistas às correções.

Em caso de risco grave e iminente (exemplo: empregado trabalhando em altura sem cinturão de segurança, sem luvas de proteção de borracha, sem óculos de segurança etc.) a atividade deve ser paralisada e imediatamente contatado o responsável pelo serviço para que as medidas cabíveis sejam tomadas.

Os trabalhos com equipamentos energizados devem ser iniciados apenas sob boas condições meteorológicas, não é recomendado trabalho sob chuva, neblina ou ventos fortes.

A umidade do ar quando excessiva diminui a capacidade dele como isolante elétrico, tornando-o um meio propício para a condução de corrente elétrica, o que aumenta o risco de
acidentes com eletricidade.

Um princípio de incêndio pode ser combatido com o uso de equipamentos portáteis como os extintores que contêm um agente extintor ideal para extinguir o foco de incêndio.

O cuidado maior que devemos ter é quanto ao tipo de combustível que está sob a ação do fogo, pois, conforme o tipo de material, teremos que escolher um agente extintor adequado para extinguir o foco de incêndio.

ACIDENTES QUE MATAM

O PERIGO É IMINENTE E VAMOS COMBATÊ-LO

Entre os anos de 2013 e 2018, foram registrados 3657 mortes por choque elétrico. Somente em 2018 ocorreram 622 mortes por choques elétricos, 61 por incêndios causados pela eletricidade e 38 por descargas atmosféricas.

Fonte: Anuário Estatístico Abracopel (Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade)

DESCOMPLICANDO A NR20

TUDO QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE NR 20

NR 10 é uma norma do MTPS (Ministério do Trabalho e Previdência Social), o principal objetivo é evitar acidentes, garantindo a segurança e a saúde dos trabalhadores que atuam com a eletricidade ou próximos a ela.

Todas as informações necessárias para trabalhar com segurança em locais que possuem eletricidade, são abordados na NR 10.Publicações da NR 10 MTE
Portaria MTB nº 3214 – 08 de junho de 1978
Portaria SSMT nº 12 – 06 junho de 1983
Portaria MTE nº 598 – 07 de dezembro de 2004
Portaria MTPS nº 508 – 29 de abril de 2016
Última atualização: Portaria N º 915 – 30 de julho de 2019

Introdução em Segurança com Eletricidade;
Riscos em Instalações e Serviços com Eletricidade;
Técnicas de Análise de Risco;
Medidas de Controle do Risco Elétrico;
Normas Técnicas Brasileiras – Nbr da Abnt: Nbr-5410, Nbr 14039 e Outras;
Regulamentações do MTE;
Equipamentos de Proteção Coletiva;
Equipamentos de Proteção Individual;
Rotinas de Trabalho – Procedimentos; Documentação das Instalações Elétricas;
Riscos Adicionais;
Proteção e Combate a Incêndios;
Acidentes de Origem Elétrica;
Primeiros Socorros;
Responsabilidades.

Clique aqui e Saiba Mais

Utilize os EPIs adequados de acordo com a atividade:

- Protetores auriculares, capacetes, roupas e calçados adequados e óculos de segurança.
- Sempre verifique a validade dos EPIs;
- Avalie e escolha as ferramentas corretas para cada tipo de serviço: não improvise utilizando ferramentas para finalidades diferentes;
-Priorize a qualidade do projeto: os profissionais devem indicar condições que serão executadas e utilizadas as instalações elétricas;
Atenção: ao utilizar os procedimentos de desenergização os profissionais devem ter a principal foco em garantir sua segurança;
- Investimento em capacitação: fique atualizado às exigências da norma NR10 e as demais normas que tratam da segurança do trabalho.
- A Engehall disponibiliza para os clientes cursos de NR10 personalizados nas áreas de construção civil, telecomunicações, automação, refrigeração e máquinas e equipamentos.

O curso NR-10 tem a validade de 2 anos e deverá ser renovada após este período.

Veja abaixo alguns casos que fogem dessa regra:
a) troca de função ou mudança de empresa;
b) retorno de afastamento ao trabalho ou inatividade, por período superior a três meses;
c) modificações significativas nas instalações elétricas ou troca de métodos, processos e organização do trabalho.

Mínimo de 40 horas para os cursos de formação (Básico e complementar SEP).

O curso de Reciclagem é de acordo com as atividades de cada profissional e varia de empresa para empresa.

O que é NR10 SEP? O curso de NR10 SEP (Sistema Elétrico de Potência) é destinado para profissionais da área elétrica que trabalham indiretamente ou diretamente com alta tensão, acima de 1000v.

Esse curso tem a validade de 2 anos sendo necessário o profissional realizar o Curso NR10 SEP Reciclagem após esse período.

Acidentes são cada vez mais comuns, diferentemente de como as pessoas pensam, eles ocorrem tanto em alta tensão como em baixa.

O foco principal não é somente um certificado de conclusão é a segurança dos trabalhadores e de pessoas que trabalham próximo a locais energizados.

Isso nem sempre é fácil, muitos não sabem quais as providências a serem tomadas.
Mas fique tranquilo, neste texto a Engehall vai falar sobre a forma mais adequada de trabalhar com segurança.

Em nosso ambiente virtual, vamos mostrar de forma clara e objetiva as normas que regulamentam o trabalho do eletricista.

O choque elétrico está no topo desta lista, uma avaliação foi realizada pela Abracopel, em 2013 a 2017 morreram 6.215 pessoas em todo Brasil, esses dados foram os catalogados, acredita-se em um número bem maior.

Muitas pessoas que atuam com a eletricidade, e até mesmo que não atuam, já receberam a descarga elétrica de um choque pelo menos uma vez em instalação elétrica, seja por mau funcionamento de equipamentos ou por imprudência.

Vamos mostrar agora outros riscos que merecem todo o nosso cuidado.

Choque elétrico
O nosso corpo quando entra em contato com a corrente elétrica, conduz eletricidade, a mesma procura o caminho mais fácil que é a terra.

As consequências deste contato, dependem da intensidade, composição do corpo do indivíduo e também do tempo de exposição à corrente elétrica.

Pode ocorrer queimaduras leves, graves, paradas cardíacas e até morte do indivíduo. Veja também: os efeitos do choque elétrico.

Arcos elétricos
O arco voltaico é a transmissão de corrente por um meio a princípio isolante, como o ar por exemplo.
Na maioria das vezes ocorre, devido à conexão e desconexão de dispositivos elétricos.

A temperatura do arco elétrico pode chegar até a 20.000 °C.

O arco elétrico provoca queimaduras de segundo, terceiro grau e pode levar a morte, por este motivo merece atenção especial.

Queimaduras
Como mostramos no texto acima, os arcos elétricos e o contato com a corrente elétrica podem provocar queimaduras graves ao corpo humano decorrentes da falta da segurança em eletricidade.
Queimaduras causadas por eletricidade são mais graves do que as causadas pelo fogo.

Você sabe o motivo?
A lesão externa não mostra a gravidade da lesão interna.
As queimaduras resultantes do contato com a corrente elétrica, é normalmente maior do que uma lesão provocada pelo fogo.

O tratamento inadequado pode piorar a situação da vítima que sofreu o acidente, por este motivo é necessário que seja feito uma avaliação afim de verificar o estado do acidentado.

Crenças populares recomendam vários produtos para o tratamento de queimaduras, como clara de ovo, creme dental entre outros.

Fique atento em caso de acidentes elétricos acione imediatamente os serviços de emergência.

Riscos Adicionais
A empresa que não se adequa a NR10 está sujeito a outros riscos.

O trabalho envolvendo a energia elétrica em altura que é tratada na NR10 e também na norma NR35 é mais um dos riscos que podem levar a quedas e consequências graves para os trabalhadores.
Alguns trabalhadores ficam expostos a campos eletromagnéticos, em áreas de risco de explosões, espaços confinados dentre outros.

Um risco desconsiderado por muitos é o de ataques de insetos.

Postes e locais podem abrigar abelhas ou marimbondos, por exemplo.

A principal causa de acidente de trabalho com eletricidade está relacionada a falta de observação e procedimentos recomendados na norma NR10.

Assuntos importantes sobre o Curso de NR10
Uso de equipamentos de proteção coletiva (EPC) e individual (EPI);
Uso de equipamentos ou ferramentas danificadas;
Realização de tarefas em redes energizadas
Um item importantíssimo tratado na norma NR 10 são as medidas de controle para trabalhar com segurança.

As principais medidas são:
Medidas de proteção coletiva;
Medidas de proteção individual;
Procedimentos de trabalho;
É preciso ficar atento as medidas complementares.
Os procedimento de segurança em eletricidade devem ser tomadas em conjunto.

A norma NR 10 exige certificações e documentações que comprovem o desempenho das medidas e dispositivos de segurança.
As medidas de segurança devem ser adotadas em projetos, construção, operação, montagem e manutenção.
Devem ser estabelecidas também diretrizes para trabalhos dentro das instalações energizadas e desenergizadas.

A NR 10 trata também da habilitação necessária para garantir a segurança em trabalhos realizados em redes elétricas.

São três tipos de profissionais aptos a trabalhar em instalações elétricas:

Profissional qualificado: Deve comprovar a conclusão de curso específico na área elétrica reconhecido pelo Sistema Oficial de Ensino;

Profissional habilitado: Trabalhadores qualificados e com registro em conselhos de classes;

Profissional capacitado: Deve receber capacitação sob orientação e responsabilidade de profissionais habilitados e autorizados, além de trabalhar sob a responsabilidade de profissionais habilitados e autorizados.

  • NBR 5410 – Instalações elétricas de baixa tensão;
  • NBR 13570 – Instalações elétricas em locais de afluência de público;
  • NBR 14639 – Posto de serviço – instalações elétricas;
  • NBR 14039 – Instalações elétricas de média tensão de 1,0 kV a 36,2 kV;
  • NBR 5418 – Instalações elétricas em atmosferas explosivas;
  • NBR 13534 – Instalações elétricas em estabelecimentos assistenciais de saúde.
  • NBR 5410 – Instalações elétricas de baixa tensão;
  • NBR 13570 – Instalações elétricas em locais de afluência de público;
  • NBR 14639 – Posto de serviço – instalações elétricas;
  • NBR 14039 – Instalações elétricas de média tensão de 1,0 kV a 36,2 kV;
  • NBR 5418 – Instalações elétricas em atmosferas explosivas;
  • NBR 13534 – Instalações elétricas em estabelecimentos assistenciais de saúde.

A Engehall atua em todo Brasil
Os instrutores dos nossos cursos são capacitados e habilitados para ministrar o Treinamento NR 10 Presencial Básico e Complementar SEP completo para sua empresa.

Últimas cidades atendidas para Cursos Presenciais:
Curso de NR10 em BH, SP, RJ, Salvador, Fortaleza, Recife, Brasília, Contagem, Curitiba, Juiz de Fora, Florianópolis, Goiânia, Guarulhos, Hortolândia, Ipatinga, Indaiatuba, Joinville, Jundiaí, São Jose dos Campos, Londrina, Limeira, Lavras, Manaus, Maringá, Maceió, Niterói, Porto Alegre, Uberlândia, Uberaba, Vitória, Cuiabá.

EPI NR10 veja mais sobre esse assunto acessando esse link : EPI

Check list NR10
Em nosso ambiente virtual você vai ver que o Check List é importante para identificação e controle dos riscos dos locais. Com o Check List a identificação dos riscos fica muito mais fácil e eficiente.

Sistema de Aterramento
A Engehall além de tratar de assuntos como equipamentos de proteção para a segurança dos profissionais, aborda também vários assuntos clique aqui e veja: Aterramento

Curso de Eletricista Gratuito da Engehall
- Cadastre-se no curso de eletricista grátis da engehall. Acompanhe também o nosso blog.
- Somos associados a ABED – Associação Brasileira de Educação a Distância.
- Baixar norma nr10 PDF

Veja abaixo a Norma NR10 Completa e atualizada: 10.1- OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO  10.1.1 Esta Norma Regulamentadora - NR estabelece os requisitos e condições mínimas objetivando a implementação de medidas de controle e sistemas preventivos, de forma a garantir a segurança e a saúde dos trabalhadores que, direta ou indiretamente, interajam em instalações elétricas e serviços com eletricidade. 10.1.2 Esta NR se aplica às fases de geração, transmissão, distribuição e consumo, incluindo as etapas de projeto, construção, montagem, operação, manutenção das instalações elétricas e quaisquer trabalhos realizados nas suas proximidades, observando-se as normas técnicas oficiais estabelecidas pelos órgãos competentes e, na ausência ou omissão destas, as normas internacionais cabíveis. 10.2 - MEDIDAS DE CONTROLE  10.2.1 Em todas as intervenções em instalações elétricas devem ser adotadas medidas preventivas de controle do risco elétrico e de outros riscos adicionais, mediante técnicas de análise de risco, de forma a garantir a segurança e a saúde no trabalho. 10.2.2 As medidas de controle adotadas devem integrar-se às demais iniciativas da empresa, no âmbito da preservação da segurança, da saúde e do meio ambiente do trabalho. 10.2.3 As empresas estão obrigadas a manter esquemas uni filares atualizados das instalações elétricas dos seus estabelecimentos com as especificações do sistema de aterramento e demais equipamentos e dispositivos de proteção. 10.2.4 Os estabelecimentos com carga instalada superior a 75 kW devem constituir e manter o Prontuário de Instalações Elétricas, contendo, além do disposto no subitem 10.2.3, no mínimo:
  1. a) conjunto de procedimentos e instruções técnicas e administrativas de segurança e saúde, implantadas e relacionadas a esta NR e descrição das medidas de controle existentes;
  2. b) documentação das inspeções e medições do sistema de proteção contra descargas atmosféricas e aterramentos elétricos;
  3. c) especificação dos equipamentos de proteção coletiva e individual e o ferramental, aplicáveis conforme determina esta NR;
  4. d) documentação comprobatória da qualificação, habilitação, capacitação, autorização dos trabalhadores e dos treinamentos realizados;
  5. e) resultados dos testes de isolação elétrica realizados em equipamentos de proteção individual e coletiva;
  6. f) certificações dos equipamentos e materiais elétricos em áreas classificadas;
  7. g) relatório técnico das inspeções atualizadas com recomendações, cronogramas de adequações, contemplando as alíneas de "a" a "f".
10.2.5 As empresas que operam em instalações ou equipamentos integrantes do sistema elétrico de potência devem constituir prontuário com o conteúdo do item 10.2.4 e acrescentar ao prontuário os documentos a seguir listados:
  1. a) descrição dos procedimentos para emergências; e b) certificações dos equipamentos de proteção coletiva e individual;
10.2.5.1 As empresas que realizam trabalhos em proximidade do Sistema Elétrico de Potência devem constituir prontuário contemplando as alíneas "a", "c", "d" e "e", do item 10.2.4 e alíneas "a" e "b" do item 10.2.5. 10.2.6 O Prontuário de Instalações Elétricas deve ser organizado e mantido atualizado pelo empregador ou pessoa formalmente designada pela empresa, devendo permanecer à disposição dos trabalhadores envolvidos nas instalações e serviços em eletricidade. 10.2.7 Os documentos técnicos previstos no Prontuário de Instalações Elétricas devem ser elaborados por profissional legalmente habilitado. 10.2.8 - MEDIDAS DE PROTEÇÃO COLETIVA  10.2.8.1 Em todos os serviços executados em instalações elétricas devem ser previstas e adotadas, prioritariamente, medidas de proteção coletiva aplicáveis, mediante procedimentos, às atividades a serem desenvolvidas, de forma a garantir a segurança e a saúde dos trabalhadores. 10.2.8.2 As medidas de proteção coletiva compreendem, prioritariamente, a desenergização elétrica conforme estabelece esta NR e, na sua impossibilidade, o emprego de tensão de segurança. 10.2.8.2.1 Na impossibilidade de implementação do estabelecido no subitem 10.2.8.2., devem ser utilizadas outras medidas de proteção coletiva, tais como: isolação das partes vivas, obstáculos, barreiras, sinalização, sistema de secciona mento automático de alimentação, bloqueio do religamento automático. 10.2.8.3 O aterramento das instalações elétricas deve ser executado conforme regulamentação estabelecida pelos órgãos competentes e, na ausência desta, deve atender às Normas Internacionais vigentes. 10.2.9 - MEDIDAS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL 10.2.9.1 Nos trabalhos em instalações elétricas, quando as medidas de proteção coletiva forem tecnicamente inviáveis ou insuficientes para controlar os riscos, devem ser adotados equipamentos de proteção individual específicos e adequados às atividades desenvolvidas, em atendimento ao disposto na NR 6. 10.2.9.2 As vestimentas de trabalho devem ser adequadas às atividades, devendo contemplar a condutibilidade, inflamabilidade e influências eletromagnéticas. 10.2.9.3 É vedado o uso de adornos pessoais nos trabalhos com instalações elétricas ou em suas proximidades. 10.3 - SEGURANÇA EM PROJETOS  10.3.1 É obrigatório que os projetos de instalações elétricas especifiquem dispositivos de desligamento de circuitos que possuam recursos para impedimento de reenergização, para sinalização de advertência com indicação da condição operativa. 10.3.2 O projeto elétrico, na medida do possível, deve prever a instalação de dispositivo de secciona mento de ação simultânea, que permita a aplicação de impedimento de reenergização do circuito. 10.3.3 O projeto de instalações elétricas deve considerar o espaço seguro, quanto ao dimensionamento e a localização de seus componentes e as influências externas, quando da operação e da realização de serviços de construção e manutenção. 10.3.3.1 Os circuitos elétricos com finalidades diferentes, tais como: comunicação, sinalização, controle e tração elétrica devem ser identificados e instalados separadamente, salvo quando o desenvolvimento tecnológico permitir compartilhamento, respeitadas as definições de projetos. 10.3.4 O projeto deve definir a configuração do esquema de aterramento, a obrigatoriedade ou não da interligação entre o condutor neutro e o de proteção e a conexão à terra das partes condutoras não destinadas à condução da eletricidade. 10.3.5 Sempre que for tecnicamente viável e necessário, devem ser projetados dispositivos de secciona mento que incorporem recursos fixos de equipotencialização e aterramento do circuito seccionado. 10.3.6 Todo projeto deve prever condições para a adoção de aterramento temporário. 10.3.7 O projeto das instalações elétricas deve ficar à disposição dos trabalhadores autorizados, das autoridades competentes e de outras pessoas autorizadas pela empresa e deve ser mantido atualizado. 10.3.8 O projeto elétrico deve atender ao que dispõem as Normas Regulamentadoras de Saúde e Segurança no Trabalho, as regulamentações técnicas oficiais estabelecidas, e ser assinado por profissional legalmente habilitado. 10.3.9 O memorial descritivo do projeto deve conter, no mínimo, os seguintes itens de segurança:
  1. a) especificação das características relativas à proteção contra choques elétricos, queimaduras e outros riscos adicionais;
  2. b) indicação de posição dos dispositivos de manobra dos circuitos elétricos: (Verde - "D", desligado e Vermelho - "L", ligado)
  3. c) descrição do sistema de identificação de circuitos elétricos e equipamentos, incluindo dispositivos de manobra, de controle, de proteção, de intertravamento, dos condutores e os próprios equipamentos e estruturas, definindo como tais indicações devem ser aplicadas fisicamente nos componentes das instalações;
  4. d) recomendações de restrições e advertências quanto ao acesso de pessoas aos componentes das instalações;
  5. e) precauções aplicáveis em face das influências externas;
  6. f) o princípio funcional dos dispositivos de proteção, constantes do projeto, destinados à segurança das pessoas;
  7. g) descrição da compatibilidade dos dispositivos de proteção com a instalação elétrica.
10.3.10 Os projetos devem assegurar que as instalações proporcionem aos trabalhadores iluminação adequada e uma posição de trabalho segura, de acordo com a NR 17 - Ergonomia. 10.4 - SEGURANÇA NA CONSTRUÇÃO, MONTAGEM, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO  10.4.1 As instalações elétricas devem ser construídas, montadas, operadas, reformadas, ampliadas, reparadas e inspecionadas de forma a garantir a segurança e a saúde dos trabalhadores e dos usuários, e serem supervisionadas por profissional autorizado, conforme dispõe esta NR. 10.4.2 Nos trabalhos e nas atividades referidas devem ser adotadas medidas preventivas destinadas ao controle dos riscos adicionais, especialmente quanto a altura, confinamento, campos elétricos e magnéticos, explosividade, umidade, poeira, fauna e flora e outros agravantes, adotando-se a sinalização de segurança. 10.4.3 Nos locais de trabalho só podem ser utilizados equipamentos, dispositivos e ferramentas elétricas compatíveis com a instalação elétrica existente, preservando-se as características de proteção, respeitadas as recomendações do fabricante e as influências externas. 10.4.3.1 Os equipamentos, dispositivos e ferramentas que possuam isolamento elétrico devem estar adequados às tensões envolvidas, e serem inspecionados e testados de acordo com as regulamentações existentes ou recomendações dos fabricantes. 10.4.4 As instalações elétricas devem ser mantidas em condições seguras de funcionamento e seus sistemas de proteção devem ser inspecionados e controlados periodicamente, de acordo com as regulamentações existentes e definições de projetos. 10.4.4.1 Os locais de serviços elétricos, compartimentos e invólucros de equipamentos e instalações elétricas são exclusivos para essa finalidade, sendo expressamente proibido utilizá-los para armazenamento ou guarda de quaisquer objetos. 10.4.5 Para atividades em instalações elétricas deve ser garantida ao trabalhador iluminação adequada e uma posição de trabalho segura, de acordo com a NR 17 - Ergonomia, de forma a permitir que ele disponha dos membros superiores livres para a realização das tarefas. 10.4.6 Os ensaios e testes elétricos laboratoriais e de campo ou comissiona mento de instalações elétricas devem atender à regulamentação estabelecida nos itens 10.6 e 10.7, e somente podem ser realizados por trabalhadores que atendam às condições de qualificação, habilitação, capacitação e autorização estabelecidas nesta NR. 10.5 - SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DESENERGIZADAS  10.5.1 Somente serão consideradas desenergizadas as instalações elétricas liberadas para trabalho, mediante os procedimentos apropriados, obedecida a sequencia abaixo:
  1. a) secciona mento;
  2. b) impedimento de reenergização;
  3. c) constatação da ausência de tensão;
  4. d) instalação de aterramento temporário com equipotencialização dos condutores dos circuitos;
  5. e) proteção dos elementos energizados existentes na zona controlada (Anexo I);
  6. f) instalação da sinalização de impedimento de reenergização.
10.5.2 O estado de instalação desenergizada deve ser mantido até a autorização para reenergização, devendo ser reenergizada respeitando a sequência de procedimentos abaixo:
  1. a) retirada das ferramentas, utensílios e equipamentos;
  2. b) retirada da zona controlada de todos os trabalhadores não envolvidos no processo de reenergização;
  3. c) remoção do aterramento temporário, da equipotencialização e das proteções adicionais;
  4. d) remoção da sinalização de impedimento de reenergização;
  5. e) destravamento, se houver, e religação dos dispositivos de secciona mento.
10.5.3 As medidas constantes das alíneas apresentadas nos itens 10.5.1 e 10.5.2 podem ser alteradas, substituídas, ampliadas ou eliminadas, em função das peculiaridades de cada situação, por profissional legalmente habilitado, autorizado e mediante justificativa técnica previamente formalizada, desde que seja mantido o mesmo nível de segurança originalmente preconizado. 10.5.4 Os serviços a serem executados em instalações elétricas desligadas, mas com possibilidade de energização, por qualquer meio ou razão, devem atender ao que estabelece o disposto no item 10.6. 10.6 - SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS ENERGIZADAS  10.6.1 As intervenções em instalações elétricas com tensão igual ou superior a 50 Volts em corrente alternada ou superior a 120 Volts em corrente contínua somente podem ser realizadas por trabalhadores que atendam ao que estabelece o item 10.8 desta Norma. 10.6.1.1 Os trabalhadores de que trata o item anterior devem receber treinamento de segurança para trabalhos com instalações elétricas energizadas, com currículo mínimo, carga horária e demais determinações estabelecidas no Anexo II desta NR. 10.6.1.2 As operações elementares como ligar e desligar circuitos elétricos, realizadas em baixa tensão, com materiais e equipamentos elétricos em perfeito estado de conservação, adequados para operação, podem ser realizadas por qualquer pessoa não advertida. 10.6.2 Os trabalhos que exigem o ingresso na zona controlada devem ser realizados mediante procedimentos específicos respeitando as distâncias previstas no Anexo I. 10.6.3 Os serviços em instalações energizadas, ou em suas proximidades devem ser suspensos de imediato na iminência de ocorrência que possa colocar os trabalhadores em perigo. 10.6.4 Sempre que inovações tecnológicas forem implementadas ou para a entrada em operações de novas instalações ou equipamentos elétricos devem ser previamente elaboradas análises de risco, desenvolvidas com circuitos desenergizados, e respectivos procedimentos de trabalho. 10.6.5 O responsável pela execução do serviço deve suspender as atividades quando verificar situação ou condição de risco não prevista, cuja eliminação ou neutralização imediata não seja possível. 10.7 - TRABALHOS ENVOLVENDO ALTA TENSÃO (AT)  10.7.1 Os trabalhadores que intervenham em instalações elétricas energizadas com alta tensão, que exerçam suas atividades dentro dos limites estabelecidos como zonas controladas e de risco, conforme Anexo I, devem atender ao disposto no item 10.8 desta NR. 10.7.2 Os trabalhadores de que trata o item 10.7.1 devem receber treinamento de segurança, específico em segurança no Sistema Elétrico de Potência (SEP) e em suas proximidades, com currículo mínimo, carga horária e demais determinações estabelecidas no Anexo II desta NR. 10.7.3 Os serviços em instalações elétricas energizadas em AT, bem como aqueles executados no Sistema Elétrico de Potência - SEP, não podem ser realizados individualmente. 10.7.4 Todo trabalho em instalações elétricas energizadas em AT, bem como aquelas que interajam com o SEP, somente pode ser realizado mediante ordem de serviço específica para data e local, assinada por superior responsável pela área. 10.7.5 Antes de iniciar trabalhos em circuitos energizados em AT, o superior imediato e a equipe, responsáveis pela execução do serviço, devem realizar uma avaliação prévia, estudar e planejar as atividades e ações a serem desenvolvidas de forma a atender os princípios técnicos básicos e as melhores técnicas de segurança em eletricidade aplicáveis ao serviço. 10.7.6 Os serviços em instalações elétricas energizadas em AT somente podem ser realizados quando houver procedimentos específicos, detalhados e assinados por profissional autorizado. 10.7.7 A intervenção em instalações elétricas energizadas em AT dentro dos limites estabelecidos como zona de risco, conforme Anexo I desta NR, somente pode ser realizada mediante a desativação, também conhecida como bloqueio, dos conjuntos e dispositivos de religamento automático do circuito, sistema ou equipamento. 10.7.7.1 Os equipamentos e dispositivos desativados devem ser sinalizados com identificação da condição de desativação, conforme procedimento de trabalho específico padronizado. 10.7.8 Os equipamentos, ferramentas e dispositivos isolantes ou equipados com materiais isolantes, destinados ao trabalho em alta tensão, devem ser submetidos a testes elétricos ou ensaios de laboratório periódicos, obedecendo-se as especificações do fabricante, os procedimentos da empresa e na ausência desses, anualmente. 10.7.9 Todo trabalhador em instalações elétricas energizadas em AT, bem como aqueles envolvidos em atividades no SEP devem dispor de equipamento que permita a comunicação permanente com os demais membros da equipe ou com o centro de operação durante a realização do serviço. 10.8 - HABILITAÇÃO, QUALIFICAÇÃO, CAPACITAÇÃO E AUTORIZAÇÃO DOS TRABALHADORES  10.8.1 É considerado trabalhador qualificado aquele que comprovar conclusão de curso específico na área elétrica reconhecido pelo Sistema Oficial de Ensino. 10.8.2 É considerado profissional legalmente habilitado o trabalhador previamente qualificado e com registro no competente conselho de classe. 10.8.3 É considerado trabalhador capacitado aquele que atenda às seguintes condições, simultaneamente:
  1. a) receba capacitação sob orientação e responsabilidade de profissional habilitado e autorizado; e b) trabalhe sob a responsabilidade de profissional habilitado e autorizado.
10.8.3.1 A capacitação só terá validade para a empresa que o capacitou e nas condições estabelecidas pelo profissional habilitado e autorizado responsável pela capacitação. 10.8.4 São considerados autorizados os trabalhadores qualificados ou capacitados e os profissionais habilitados, com anuência formal da empresa. 10.8.5 A empresa deve estabelecer sistema de identificação que permita a qualquer tempo conhecer a abrangência da autorização de cada trabalhador, conforme o item 10.8.4. 10.8.6 Os trabalhadores autorizados a trabalhar em instalações elétricas devem ter essa condição consignada no sistema de registro de empregado da empresa. 10.8.7 Os trabalhadores autorizados a intervir em instalações elétricas devem ser submetidos à exame de saúde compatível com as atividades a serem desenvolvidas, realizado em conformidade com a NR 7 e registrado em seu prontuário médico. 10.8.8 Os trabalhadores autorizados a intervir em instalações elétricas devem possuir treinamento específico sobre os riscos decorrentes do emprego da energia elétrica e as principais medidas de prevenção de acidentes em instalações elétricas, de acordo com o estabelecido no Anexo II desta NR. 10.8.8.1 A empresa concederá autorização na forma desta NR aos trabalhadores capacitados ou qualificados e aos profissionais habilitados que tenham participado com avaliação e aproveitamento satisfatórios dos cursos constantes do ANEXO II desta NR. 10.8.8.2 Deve ser realizado um treinamento de reciclagem bienal e sempre que ocorrer alguma das situações a seguir:
  1. a) troca de função ou mudança de empresa; b) retorno de afastamento ao trabalho ou inatividade, por período superior a três meses; e c) modificações significativas nas instalações elétricas ou troca de métodos, processos e organização do trabalho.
10.8.8.3 A carga horária e o conteúdo programático dos treinamentos de reciclagem destinados ao atendimento das alíneas "a", "b" e "c" do item 10.8.8.2 devem atender as necessidades da situação que o motivou. 10.8.8.4 Os trabalhos em áreas classificadas devem ser precedidos de treinamento especifico de acordo com risco envolvido. 10.8.9 Os trabalhadores com atividades não relacionadas às instalações elétricas desenvolvidas em zona livre e na vizinhança da zona controlada, conforme define esta NR, devem ser instruídos formalmente com conhecimentos que permitam identificar e avaliar seus possíveis riscos e adotar as precauções cabíveis. 10.9 - PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E EXPLOSÃO  10.9.1 As áreas onde houver instalações ou equipamentos elétricos devem ser dotadas de proteção contra incêndio e explosão, conforme dispõe a NR 23 - Proteção Contra Incêndios. 10.9.2 Os materiais, peças, dispositivos, equipamentos e sistemas destinados à aplicação em instalações elétricas de ambientes com atmosferas potencialmente explosivas devem ser avaliados quanto à sua conformidade, no âmbito do Sistema Brasileiro de Certificação. 10.9.3 Os processos ou equipamentos susceptíveis de gerar ou acumular eletricidade estática devem dispor de proteção específica e dispositivos de descarga elétrica. 10.9.4 Nas instalações elétricas de áreas classificadas ou sujeitas a risco acentuado de incêndio ou explosões, devem ser adotados dispositivos de proteção, como alarme e secciona mento automático para prevenir sobretensões, sobrecorrentes, falhas de isolamento, aquecimentos ou outras condições anormais de operação. 10.9.5 Os serviços em instalações elétricas nas áreas classificadas somente poderão ser realizados mediante permissão para o trabalho com liberação formalizada, conforme estabelece o item 10.5 ou supressão do agente de risco que determina a classificação da área. 10.10- SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA  10.10.1 Nas instalações e serviços em eletricidade deve ser adotada sinalização adequada de segurança, destinada à advertência e à identificação, obedecendo ao disposto na NR-26 - Sinalização de Segurança, de forma a atender, dentre outras, as situações a seguir:
  1. a) identificação de circuitos elétricos; b) travamentos e bloqueios de dispositivos e sistemas de manobra e comandos; c) restrições e impedimentos de acesso; d) delimitações de áreas; e) sinalização de áreas de circulação, de vias públicas, de veículos e de movimentação de cargas; f) sinalização de impedimento de energização; e g) identificação de equipamento ou circuito impedido.
10.11 - PROCEDIMENTOS DE TRABALHO  10.11.1 Os serviços em instalações elétricas devem ser planejados e realizados em conformidade com procedimentos de trabalho específicos, padronizados, com descrição detalhada de cada tarefa, passo a passo, assinados por profissional que atenda ao que estabelece o item 10.8 desta NR. 10.11.2 Os serviços em instalações elétricas devem ser precedidos de ordens de serviço especificas, aprovadas por trabalhador autorizado, contendo, no mínimo, o tipo, a data, o local e as referências aos procedimentos de trabalho a serem adotados. 10.11.3 Os procedimentos de trabalho devem conter, no mínimo, objetivo, campo de aplicação, base técnica, competências e responsabilidades, disposições gerais, medidas de controle e orientações finais. 10.11.4 Os procedimentos de trabalho, o treinamento de segurança e saúde e a autorização de que trata o item 10.8 devem ter a participação em todo processo de desenvolvimento do Serviço Especializado de Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho - SESMT, quando houver. 10.11.5 A autorização referida no item 10.8 deve estar em conformidade com o treinamento ministrado, previsto no Anexo II desta NR. 10.11.6 Toda equipe deverá ter um de seus trabalhadores indicado e em condições de exercer a supervisão e condução dos trabalhos. 10.11.7 Antes de iniciar trabalhos em equipe os seus membros, em conjunto com o responsável pela execução do serviço, devem realizar uma avaliação prévia, estudar e planejar as atividades e ações a serem desenvolvidas no local, de forma a atender os princípios técnicos básicos e as melhores técnicas de segurança aplicáveis ao serviço. 10.11.8 A alternância de atividades deve considerar a análise de riscos das tarefas e a competência dos trabalhadores envolvidos, de forma a garantir a segurança e a saúde no trabalho. 10.12 - SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA  10.12.1 As ações de emergência que envolvam as instalações ou serviços com eletricidade devem constar do plano de emergência da empresa. 10.12.2 Os trabalhadores autorizados devem estar aptos a executar o resgate e prestar primeiros socorros a acidentados, especialmente por meio de reanimação cardiorrespiratória. 10.12.3 A empresa deve possuir métodos de resgate padronizados e adequados às suas atividades, disponibilizando os meios para a sua aplicação. 10.12.4 Os trabalhadores autorizados devem estar aptos a manusear e operar equipamentos de prevenção e combate a incêndio existentes nas instalações elétricas. 10.13 - RESPONSABILIDADES  10.13.1 As responsabilidades quanto ao cumprimento desta NR são solidárias aos contratantes e contratados envolvidos. 10.13.2 É de responsabilidade dos contratantes manter os trabalhadores informados sobre os riscos a que estão expostos, instruindo-os quanto aos procedimentos e medidas de controle contra os riscos elétricos a serem adotados. 10.13.3 Cabe à empresa, na ocorrência de acidentes de trabalho envolvendo instalações e serviços em eletricidade, propor e adotar medidas preventivas e corretivas. 10.13.4 Cabe aos trabalhadores:
  1. a) zelar pela sua segurança e saúde e a de outras pessoas que possam ser afetadas por suas ações ou omissões no trabalho;
  2. b) responsabilizar-se junto com a empresa pelo cumprimento das disposições legais e regulamentares, inclusive quanto aos procedimentos internos de segurança e saúde;
  3. c) comunicar, de imediato, ao responsável pela execução do serviço as situações que considerar de risco para sua segurança e saúde e a de outras pessoas.
10.14 - DISPOSIÇÕES FINAIS  10.14.1 Os trabalhadores devem interromper suas tarefas exercendo o direito de recusa, sempre que constatarem evidências de riscos graves e iminentes para sua segurança e saúde ou a de outras pessoas, comunicando imediatamente o fato a seu superior hierárquico, que diligenciará as medidas cabíveis. 10.14.2 As empresas devem promover ações de controle de riscos originados por outrem em suas instalações elétricas e oferecer, de imediato, quando cabível, denúncia aos órgãos competentes. 10.14.3 Na ocorrência do não cumprimento das normas constantes nesta NR, o MTE adotará as providências estabelecidas na NR 3. 10.14.4 A documentação prevista nesta NR deve estar permanentemente à disposição dos trabalhadores que atuam em serviços e instalações elétricas, respeitadas as abrangências, limitações e interferências nas tarefas. 10.14.5 A documentação prevista nesta NR deve estar, permanentemente, à disposição das autoridades competentes. 10.14.6 Esta NR não é aplicável a instalações elétricas alimentadas por extra baixa tensão. GLOSSÁRIO
  1. Alta Tensão (AT): tensão superior a 1000 volts em corrente alternada ou 1500 volts em corrente contínua, entre fases ou entre fase e terra.
  2. Área Classificada: local com potencialidade de ocorrência de atmosfera explosiva.
  3. Aterramento Elétrico Temporário: ligação elétrica efetiva confiável e adequada intencional à terra, destinada a garantir a equipotencialidade e mantida continuamente durante a intervenção na instalação elétrica.
  4. Atmosfera Explosiva: mistura com o ar, sob condições atmosféricas, de substâncias inflamáveis na forma de gás, vapor, névoa, poeira ou fibras, na qual após a ignição a combustão se propaga.
  5. Baixa Tensão (BT): tensão superior a 50 volts em corrente alternada ou 120 volts em corrente contínua e igual ou inferior a 1000 volts em corrente alternada ou 1500 volts em corrente contínua, entre fases ou entre fase e terra.
  6. Barreira: dispositivo que impede qualquer contato com partes energizadas das instalações elétricas.
  7. Direito de Recusa: instrumento que assegura ao trabalhador a interrupção de uma atividade de trabalho por considerar que ela envolve grave e iminente risco para sua segurança e saúde ou de outras pessoas.
  8. Equipamento de Proteção Coletiva (EPC): dispositivo, sistema, ou meio, fixo ou móvel de abrangência coletiva, destinado a preservar a integridade física e a saúde dos trabalhadores, usuários e terceiros.
  9. Equipamento Segregado: equipamento tornado inacessível por meio de invólucro ou barreira.
  10. Extra-Baixa Tensão (EBT): tensão não superior a 50 volts em corrente alternada ou 120 volts em corrente contínua, entre fases ou entre fase e terra.
  11. Influências Externas: variáveis que devem ser consideradas na definição e seleção de medidas de proteção para segurança das pessoas e desempenho dos componentes da instalação.
  12. Instalação Elétrica: conjunto das partes elétricas e não elétricas associadas e com características coordenadas entre si, que são necessárias ao funcionamento de uma parte determinada de um sistema elétrico.
  13. Instalação Liberada para Serviços (BT/AT): aquela que garanta as condições de segurança ao trabalhador por meio de procedimentos e equipamentos adequados desde o início até o final dos trabalhos e liberação para uso.
  14. Impedimento de Reenergização: condição que garante a não energização do circuito através de recursos e procedimentos apropriados, sob controle dos trabalhadores envolvidos nos serviços.
  15. Invólucro: envoltório de partes energizadas destinado a impedir qualquer contato com partes internas.
  16. Isolamento Elétrico: processo destinado a impedir a passagem de corrente elétrica, por interposição de materiais isolantes.
  17. Obstáculo: elemento que impede o contato acidental, mas não impede o contato direto por ação deliberada.
  18. Perigo: situação ou condição de risco com probabilidade de causar lesão física ou dano à saúde das pessoas por ausência de medidas de controle.
  19. Pessoa Advertida: pessoa informada ou com conhecimento suficiente para evitar os perigos da eletricidade.
  20. Procedimento: sequência de operações a serem desenvolvidas para realização de um determinado trabalho, com a inclusão dos meios materiais e humanos, medidas de segurança e circunstâncias que impossibilitem sua 9 realização.
  21. Prontuário: sistema organizado de forma a conter uma memória dinâmica de informações pertinentes às instalações e aos trabalhadores.
  22. Risco: capacidade de uma grandeza com potencial para causar lesões ou danos à saúde das pessoas.
  23. Riscos Adicionais: todos os demais grupos ou fatores de risco, além dos elétricos, específicos de cada ambiente ou processos de Trabalho que, direta ou indiretamente, possam afetar a segurança e a saúde no trabalho.
  24. Sinalização: procedimento padronizado destinado a orientar, alertar, avisar e advertir.
  25. Sistema Elétrico: circuito ou circuitos elétricos inter-relacionados destinados a atingir um determinado objetivo.
  26. Sistema Elétrico de Potência (SEP): conjunto das instalações e equipamentos destinados à geração, transmissão e distribuição de energia elétrica até a medição, inclusive.
  27. Tensão de Segurança: extra baixa tensão originada em uma fonte de segurança.
  28. Trabalho em Proximidade: trabalho durante o qual o trabalhador pode entrar na zona controlada, ainda que seja com uma parte do seu corpo ou com extensões condutoras, representadas por materiais, ferramentas ou equipamentos que manipule.
  29. Travamento: ação destinada a manter, por meios mecânicos, um dispositivo de manobra fixo numa determinada posição, de forma a impedir uma operação não autorizada.
  30. Zona de Risco: entorno de parte condutora energizada, não segregada, acessível inclusive acidentalmente, de dimensões estabelecidas de acordo com o nível de tensão, cuja aproximação só é permitida a profissionais autorizados e com a adoção de técnicas e instrumentos apropriados de trabalho.
  31. Zona Controlada: entorno de parte condutora energizada, não segregada, acessível, de dimensões estabelecidas de acordo com o nível de tensão, cuja aproximação só é permitida a profissionais autorizados.
ANEXO I ZONA DE RISCO E ZONA CONTROLADA Tabela de raios de delimitação de zonas de risco, controlada e livre. quadro-de-distancias-nr-10 Figura 1 - Distâncias no ar que delimitam radialmente as zonas de risco, controlada e livre Figura 2 - Distâncias no ar que delimitam radialmente as zonas de risco, controlada e livre, com interposição de superfície de separação física adequada. ZL = Zona livre ZC = Zona controlada, restrita a trabalhadores autorizados. ZR = Zona de risco, restrita a trabalhadores autorizados e com a adoção de técnicas, instrumentos e equipamentos apropriados ao trabalho. PE = Ponto da instalação energizado. SI = Superfície isolante construída com material resistente e dotada de todos dispositivos de segurança. ANEXO II TREINAMENTO
  1. CURSO BÁSICO – SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS COM ELETRICIDADE
I - Para os trabalhadores autorizados: carga horária mínima – 40h: Programação Mínima:
  1. introdução à segurança com eletricidade.
  2. riscos em instalações e serviços com eletricidade:
  3. a) o choque elétrico, mecanismos e efeitos; b) arcos elétricos; queimaduras e quedas; c) campos eletromagnéticos.
  4. Técnicas de Análise de Risco.
  5. Medidas de Controle do Risco Elétrico:
  6. a) desenergização. b) aterramento funcional (TN / TT / IT); de proteção; temporário; c) equipotencialização; d) seccionamento automático da alimentação; e) dispositivos a corrente de fuga; f) extra baixa tensão; g) barreiras e invólucros; h) bloqueios e impedimentos; i) obstáculos e anteparos; j) isolamento das partes vivas; k) isolação dupla ou reforçada; l) colocação fora de alcance; m) separação elétrica.
  7. Normas Técnicas Brasileiras – NBR da ABNT: NBR-5410, NBR 14039 e outras;
  8. Regulamentações do MTE:
  9. a) NRs; b) NR-10 (Segurança em Instalações e Serviços com Eletricidade); c) qualificação; habilitação; capacitação e autorização.
  10. Equipamentos de proteção coletiva.
  11. Equipamentos de proteção individual.
  12. Rotinas de trabalho – Procedimentos.
  13. a) instalações desenergizadas; b) liberação para serviços; c) sinalização; d) inspeções de áreas, serviços, ferramental e equipamento;
  14. Documentação de instalações elétricas.
  15. Riscos adicionais:
  16. a) altura; b) ambientes confinados; c) áreas classificadas; d) umidade; e) condições atmosféricas.
  17. Proteção e combate a incêndios:
  18. a) noções básicas; b) medidas preventivas; c) métodos de extinção; d) prática;
  19. Acidentes de origem elétrica:
  20. a) causas diretas e indiretas; b) discussão de casos;
  21. Primeiros socorros:
  22. a) noções sobre lesões; b) priorização do atendimento; c) aplicação de respiração artificial; d) massagem cardíaca; e) técnicas para remoção e transporte de acidentados; f) práticas.
  23. Responsabilidades.
  24. CURSO COMPLEMENTAR – SEGURANÇA NO SISTEMA ELÉTRICO DE POTÊNCIA (SEP) E EM SUAS PROXIMIDADES.
É pré-requisito para freqüentar este curso complementar, ter participado, com aproveitamento satisfatório, do curso básico definido anteriormente. Carga horária mínima – 40h (*) Estes tópicos deverão ser desenvolvidos e dirigidos especificamente para as condições de trabalho características de cada ramo, padrão de operação, de nível de tensão e de outras peculiaridades específicas ao tipo ou condição especial de atividade, sendo obedecida a hierarquia no aperfeiçoamento técnico do trabalhador. I - Programação Mínima:
  1. Organização do Sistema Elétrico de Potencia – SEP.
  2. Organização do trabalho:
  3. a) programação e planejamento dos serviços; b) trabalho em equipe; c) prontuário e cadastro das instalações; d) métodos de trabalho; e e) comunicação.
  4. Aspectos comportamentais.
  5. Condições impeditivas para serviços.
  6. Riscos típicos no SEP e sua prevenção (*):
  7. a) proximidade e contatos com partes energizadas; b) indução; c) descargas atmosféricas; d) estática; e) campos elétricos e magnéticos; f) comunicação e identificação; e g) trabalhos em altura, máquinas e equipamentos especiais.
  8. Técnicas de análise de Risco no S E P (*)
  9. Procedimentos de trabalho – análise e discussão. (*)
  10. Técnicas de trabalho sob tensão: (*)
  11. a) em linha viva; b) ao potencial; c) em áreas internas; d) trabalho a distância; e) trabalhos noturnos; e f) ambientes subterrâneos. 13
  12. Equipamentos e ferramentas de trabalho (escolha, uso, conservação, verificação, ensaios) (*).
  13. Sistemas de proteção coletiva (*).
  14. Equipamentos de proteção individual (*).
  15. Posturas e vestuários de trabalho (*).
  16. Segurança com veículos e transporte de pessoas, materiais e equipamentos(*).
  17. Sinalização e isolamento de áreas de trabalho(*).
  18. Liberação de instalação para serviço e para operação e uso (*).
  19. Treinamento em técnicas de remoção, atendimento, transporte de acidentados (*).
  20. Acidentes típicos (*) – Análise, discussão, medidas de proteção.
18. Responsabilidades (*).

Sim, para realizar a matrícula no curso de eletricista da Engehall basta acessar esse link: CURSO DE ELETRICISTA

chevron-down