Desidratação – falta de água no corpo

Desidratação – falta de água no corpo

O consumo de água em quantidades significativas é muito importante para o bem estar e para boas condições de saúde. A desidratação pode ter início sem que a pessoa perceba e, caso não tratada, evoluir para casos mais graves. A atenção ao consumo de água e às condições ambientais pode ser importante para evitar a instauração da doença.

Quando uma pessoa está desidratada, significa que o corpo dela apresenta deficiência de água e também de sais minerais e fluídos importantes para o funcionamento normal do corpo. O quadro de desidratação se instaura se a quantidade de água que é eliminada pelo corpo não for reposta adequadamente. A eliminação acontece diariamente através do suor, da respiração, da urina, das fezes e das lágrimas e, em casos mais graves da desidratação, a eliminação de água também acontece devido a vômitos, à diarreia e a febre.

Sinais da desidratação

A desidratação tem características bem específicas e que podem ser facilmente percebidas. A sede exagerada, boca e peles secas, diminuição da sudorese e olhos profundos são sinais fortes da doença. Além disso, sonolência, dor de cabeça, tonturas, fraqueza, cansaço e o aumento da frequência cardíaca podem indicar a existência da desidratação. Em casos mais graves da doença esses sinais são intensificados e outros podem surgir, como a queda de pressão, perda de consciência, convulsões e até mesmo a morte.

Prevenção e tratamento

Para evitar a instauração dessa doença é importante o consumo diário de água.  O Ministério da Saúde recomenda um consumo mínimo de 2 litros de água. No entanto, essa quantidade pode variar de acordo com a constituição física da pessoa, a temperatura ambiental, atividades físicas exercidas. Durante atividades físicas ou ao realizar trabalhos em locais expostos ao sol e temperaturas elevadas, é recomendado um consumo maior de água. Além disso, o uso de roupas leves e boa higiene são costumes muito importantes.

Uma vez instaurada a desidratação em casos leves a hidratação de forma gradual e leve na maioria das vezes é suficiente. O uso de eletrólitos é bastante eficaz por possuírem sais e fluídos importantes em maior quantidade do que a água. Em casos mais graves é importante buscar atendimento médico.

*Fonte: http://www.minhavida.com.br/saude/temas/desidratacao#topBoxConsulteme. http://drauziovarella.com.br/envelhecimento/desidratacao/

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta