Condições Atmosféricas

Condições Atmosféricas

Durante a formação das nuvens verifica-se que, ocorre uma separação de cargas elétricas, de modo que, geralmente, as partes da nuvem mais próximas da terra ficam eletrizadas negativa ou positivamente enquanto que, as partes mais altas adquirem cargas positivas ou negativas.

Quando a resistência dielétrica é rompida, ou melhor, as cargas são suficientes para ionizar o arentre o ponto de partida e o ponto de chegada do raio, ultrapassando o valor da rigidez dielétricado ar, uma enorme centelha elétrica salta da superfície da terra para a nuvem ou da nuvem paraterra ou de uma nuvem para outra ou mesmo, entre regiões diferentes da mesma nuvem: é o raio,a natureza em busca do equilíbrio elétrico.

É a equipotencialização natural entre o solo e a nuvem. O desequilíbrio surge em função da ionização da nuvem através do movimento constante e rápido de cristais de gelo em seu interior.

O processo pode ser ao contrário? Com elétrons sobrando no solo e faltando na nuvem, o raio seorigina do solo em direção à nuvem. O mesmo processo acontece de nuvem para nuvem.

Fenômeno natural, o raio tem sido alvo de folclore e crendices populares e atemoriza até mesmo o mais intrépido ser humano pelo estrondo que provoca. Os raios matam mais pessoas do quefuracões ou tornados, segundo a Agência Americana para Desastres (Fema). O Brasil tem sidorecordista mundial em incidência por quilômetro quadrado, de acordo com pesquisa realizada peloInstituto Nacional de Pesquisas Especiais (Inpe) em parceria com a Nasa. O Brasil sofre uma grande incidência de raios por ser o maior país tropical do mundo. É nostrópicos onde ocorrem as maiores tempestades do globo. De acordo com o Inpe, os raios matamcerca de 200 pessoas por ano no Brasil. O raio pode matar, atingindo diretamente as pessoas,iniciando incêndios e ceifando vidas.

Dentre os sistemas de para-raios que podem ser utilizados para proteção do patrimônio e das pessoas, os mais comuns são os da gaiola de Faraday e tradicional Franklin (ambos eram físicos),que é um mastro com uma haste na ponta. Ambos surgiram na época de Benjamin Franklin.

O dagaiola Faraday faz com que a descarga elétrica percorra a superfície da gaiola e atinja o aterramento. Já o tradicional para-raio Franklin capta o raio pela ponta e transmite a descarga atéo aterramento.

Como nossas atividades estão inter-relacionadas com o meio ambiente e geralmente com tempoadverso, com descargas atmosféricas, devemos tomar todos os cuidados necessários. As tarefasestão relacionadas às estruturas metálicas, ficando expostos os empregados.

O aterramento temporário, os EPC´s e EPI´s são de suma importância para os trabalhos derestabelecimento, com eles temos uma proteção contra surtos na rede. Mas lembramos quecontra milhões de volts e amperes, as proteções podem ser falíveis.

Faça o Treinamento NR10.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *