Manter-se atualizado é alem de fazer os cursos de reciclagem, sempre verificar as novidades, dicas e curiosidades sobre Nr10. A Engehall está no mercado revolucionando o ensino de Nr10 no Brasil, buscando sempre a qualidade total.

O que é NR10?

O que é NR10? Está aqui uma pergunta comum e que realmente fala sobre um dos campos mais comentados de toda a área da eletricidade. Então confira hoje tudo o que você precisa saber sobre o assunto.

Escolher uma profissão não é exatamente a coisa mais fácil do mundo. Afinal de contas todos temos sonhos desde criança, porém ao encontrar o mercado de trabalho as coisas mudam.

Normalmente o ideal é apostar em uma área promissora, com várias vagas disponíveis e que tem espaço para crescimento. E claro, é necessário gostar do que se está fazendo.

Sendo assim muitas pessoas migraram sem nem pensar duas vezes para a carreira de eletricista. A ideia é trabalhar com algo que tenha possibilidades amplas, e que com o tempo te ajude a empreender.

Mas como qualquer outro ramo do trabalho ele está constantemente se atualizando. Seja por novos equipamentos, seja por conta de tecnologias descobertas ou desenvolvidas, a área da eletricidade é uma das que mais irá se abrir para novos profissionais.

Entretanto ela também vai exigir que a pessoa se mantenha capacitada e disponível para o trabalho. Não é de hoje que muitos perdem ótimas oportunidades por simplesmente fazerem “corpo-mole” e acabarem deixando de crescer.

A norma NR é sem dúvida um dos temas centrais para quem quer se manter relevante para o mercado de trabalho.

Além disso, o domínio da norma em si é um excelente meio de fazer com que seu trabalho seja mais seguro e produtivo.

Sendo assim hoje gostaria de falar um pouco mais sobre o que é NR10. Esperando que você consiga atingir excelentes resultados em seus trabalhos.

Lembrando que qualquer dúvida sobre o que for tratado aqui pode ser perguntada nos comentários. Assim que der eu te trago uma resposta satisfatória.

Vamos começar?

O que é NR10?

NR 10 é a abreviação de Norma Regulamentadora 10, que é uma espécie de lei que regulamenta a segurança e prevenção de acidentes para os funcionários da eletricidade.

Seja qual for a sua atuação como eletricista, se é alguém que faz pequenas manutenções residenciais ou mesmo instalações de grandes empresas, segurança é um fator importante.

A eletricidade é uma poderosíssima força da natureza, e sem dúvida não deve ser levada como uma brincadeira. Pegadinhas inconsequentes, ou mesmo tentar resolver pequenos problemas elétricos sem conhecimento básico, podem levar a resultados terríveis.

Segundo as últimas pesquisas, aproximadamente todos os dias ao menos 2 pessoas morrem por conta de um acidente com eletricidade.

Não me entenda mal, a eletricidade não é nem de perto uma vilã. Ela nos proporciona vários recursos completamente essenciais para a nossa sociedade.

Um hospital moderno sem eletricidade dificilmente conseguiria realizar os milagres. Vários produtos não poderiam ser produzidos, e teríamos outras dezenas de problemas.

Entretanto é válido dizer que ela possui leis e regras que a fazem ser o que é. Ignorar isto com péssimas práticas profissionais podem te fazer correr riscos.

Então a necessidade de que regras de segurança gerais fossem criadas acabaram por impulsionar o MTPS (Ministério do Trabalho e Previdência Social) a criar a NR10 na década de 60.

Desde aí várias reformulações, correções e atualizações têm sido entregues para um melhor resultado no campo de trabalho.

Acredite você ou não, mas definitivamente existem bases teóricas e práticas para sustentar todas as recomendações.

A importância da NR10

Como se trata de uma norma, ela acaba tendo peso quase como de lei. Então muitos certificados da empresa, até mesmo alguns alvarás de funcionamento, irão depender completamente da adequação.

Então é muito normal ver empresas investindo um bom valor para capacitação, principalmente nesta área.

Saber o que é NR10 se tornou algo completamente necessário para quem quer se manter relevante no campo de trabalho da elétrica.

Alguns dos motivos são:

1 – Segurança

Parece uma questão um tanto quanto óbvia, entretanto conhecer a norma NR10 é fundamental para que você consiga ter tranquilidade ao trabalhar.

O risco para funcionários liberais acaba se tornando altíssimo, já que eles muitas vezes não contam com seguros. E até mesmo os que possuem alguma forma de previdência ou algo semelhante correm riscos de não receberem o suficiente para reparar danos.

Afinal de contas acidentes com eletricidade podem ser incapacitantes e fatais. E quando a pessoa precisa administrar alguma forma de proteção financeira, normalmente ela deixa a desejar.

Sem contar o fato de que ninguém quer sofrer um acidente.

Então seguir a NR10 é uma das garantias mais fortes para que você tenha êxito na sua carreira.

2 – Destaque no mercado (para o profissional)

Para quem está procurando um novo emprego ou carreira, precisa entender que várias empresas irão ficar de olho nos mais capacitados.

Ter um diploma de conclusão de algum curso muitas vezes não passa nem perto do necessário. Entretanto aqui teremos uma garantia de que você terá uma excelente prova de que é uma pessoa que sempre se atualiza.

O processo de manter seu currículo atualizado é definitivamente um ponto positivo para qualquer recrutador.

Sem contar o fato de que uma empresa dificilmente deseja um profissional que pode trazer riscos. Acidentes de trabalho são um grande buraco sem fundo de prejuízos em qualquer estabelecimento.

Afinal de contas além do prejuízo financeiro que pode ser grave, existe o dano em questões humanas que podem ser irreparáveis.

Treinar um profissional nem sempre sai barato, então é mais fácil contratar alguém que já tenha conhecimentos básicos de normas de segurança.

3 – Destaque no mercado (para a empresa)

Certificações e selos de qualidade ajudam qualquer empresa a se destacar no mercado. Manter um controle de qualidade com ISOs e outras avaliações é crucial para quem quer crescer.

Por isso é comum que as empresas contratem treinamentos massivos para capacitar completamente profissionais dentro das normas necessárias para conquistar o NR10.

Saber o que é NR10 é uma coisa, agora fazer seus funcionários praticamente é outra história. Por isso é normal que treinamentos e reciclagens sejam feitos constantemente.

Muitas vezes um certificado pode ser o ponto que faltava para um licitação ou conquista de um cliente.

Afinal de contas nenhuma empresa vai querer problemas e acidentes sérios acontecendo em seu ambiente.

O que a NR10 busca evitar?

São vários os acidentes que podem ser causados quando você não segue os padrões corretos. Basicamente todos eles são acompanhados de instruções específicas.

Vou listar agora os principais problemas que um profissional de elétrica pode encontrar, desde os mais raros até os mais comuns. Lembre-se, cada um deles pode ser um problema em especial!

1 – Animais potencialmente perigosos

Pode parecer estranho, mas este é um risco até comum de todos os profissionais que precisam acessar redes de eletricidade ou instalações fora de um regime urbano.

Desde cabos de alta tensão até mesmo quadros de energia mal vedados, podem acabar trazendo riscos reais com a presença de alguns animais.

Um exemplo muito comum são as abelhas de ferrão, vespas e marimbondos. Essas espécies muitas vezes fazem suas colmeias em postes, quadros de energia, redes de alta tensão e semelhantes.

O problema é que você não irá conseguir invadir o território delas e sair ileso. Sem contar quando você não percebe a presença delas.

Saber primeiros socorros, contar com um parceiro e ter conhecimentos básicos podem ser vitais.

2 – Explosões e chamas

É muito comum que redes com níveis muito grandes de energia apresentem vários riscos adicionais. Um curto circuito, por exemplo, pode acabar elevando a potência do fluxo em um nível que resulte em chamas.

E acredite, várias instalações de alta potência podem estar expostas em ambientes como fábricas, que muitas vezes podem ter produtos inflamáveis.

Acidentes que causem incêndios e explosões são completamente sérios. Saber como agir pode te trazer simples atitudes que resolvam o problema antes de começar.

3 – Arcos voltaicos

Quando se trabalha com uma grande quantidade de energia você pode ter um fenômeno interessante, e perigoso acontecendo.

Ao conectar e desconectar cabos ou junções ainda ligadas é possível encontrar um feixe visível de energia conectando os dois extremos.

Isto acontece porque a alta potência permite a passagem de elétrons mesmo através de um material completamente isolante.

O que muitas vezes é difícil ou imperceptível, mas pode se tornar mais forte dependendo da quantidade de corrente e tensão presentes.

Seu grande problema é que este feixe de energia pura e simples vai ter uma altíssima temperatura. Causando possíveis queimaduras, e até mesmo iniciando incêndios ou explosões.

Em alguns casos é até mesmo possível encontrar choques causados pelo seu corpo se tornar o novo condutor.

4 – Choques elétricos

O acidente que envolve choques elétricos é de longe o mais comum. É difícil nunca encontrar alguém que tenha passado sem experimentar qualquer tipo de choque.

Em um mundo com eletricidade por todo lado, este é sem dúvida uma das sensações mais comuns para quem mexe em circuitos e instalações desprotegidos.

Entretanto é válido notar que é um dos riscos mais comuns, com o maior número de óbitos na classe da profissão. Afinal de contas a confiança muitas vezes abre brecha para descuidos.

O dano pode ser de quase inexistente, com apenas um susto, até o próprio óbito. Isto vai variar da quantidade de corrente presente.

Um choque vai ocorrer quando seu corpo se torna um condutor de eletricidade. Muitas vezes este problema vai trazer danos como queimaduras e até mesmo problemas musculares.

Qual a principal causa de acidentes?

Um acidente não acontece por vontade própria da vítima, senão o nome do fato seria outro. O que muitas vezes acontece é que alguns fatores repetitivos se tornam um problema para sua segurança.

Com isto você fica susceptível a sofrer problemas sérios.

É normal que você encontre problemas sérios nos seguintes casos:

Manutenção em rede energizada

Sempre que uma manutenção em uma instalação, aparelho ou circuito acontecer, o primeiro passo deve ser desenergizar a rede.

Parar o funcionamento de máquinas e outros dispositivos pode realmente ser um prejuízo para a empresa. Entretanto o profissional que se envolver neste tipo de ação corre riscos sérios.

É melhor tomar o prejuízo da paralisação dos equipamentos do que expor um colaborador a um acidente. Sem contar o fato de que é bem comum que mais pessoas acabem envolvidas.

Muitas vezes o próprio profissional se sente confiante em executar a tarefa com a energia ligada, e é por isso que você deve sempre capacitá-lo para não fazer este tipo de escolha.

Equipamentos ou ferramentas danificadas

Seja você um profissional autônomo ou mesmo alguém contratado diretamente por uma empresa, é necessário ter em mente que você precisa trabalhar com ferramentas adequadas.

Às vezes para economizar as pessoas preferem utilizar uma ferramenta por mais tempo que o necessário. E pode ser que esta atitude o coloque em grande risco.

Se você sabe o que é NR10, então sabe que cada EPI e EPC (Equipamentos de Proteção Individuais e Coletivos) são necessários. Utilizar algo que não está em plenas condições de operação é um risco desnecessário.

Sem contar que dependendo do dano o risco pode até mesmo aumentar.

O que é NR10? Responsabilidade

Grande parte da NR10 é entregar uma soma de responsabilidades para cada profissional. Sendo divididas entre as empresas e os funcionários da seguinte forma:

Empresa:

  • Precisa sempre informar os profissionais sobre os riscos que estão expostos;
  • Qual houver qualquer acidente de trabalho com eletricidade, propor e adotar medidas corretivas e preventivas;
  • Sempre promover ações para controlar riscos em todas as instalações elétricas;
  • Oferecer sempre que necessário uma denúncia aos órgãos competentes.

Colaborador:

  • Ter muita atenção em seu trabalho, procedendo de forma correta para garantir a sua segurança e a de terceiros que possam ser afetadas por seus erros;
  • Manter todos os equipamentos de proteção em bom estado.

Equipamentos de proteção individual

Um dos grandes focos de toda a norma NR10 circula em torno dos equipamentos de proteção individual. Os EPIs cumprem sua função de maneira bastante eficiente, e são desenvolvidos pensando na segurança do trabalhador.

Sempre que ele esquece de utilizar ou o faz de maneira errada, irá correr riscos que podem afetar a sua vida e a de terceiros.

Os mais comuns a serem utilizados são:

  • Capacetes protetores
  • Protetores auriculares
  • Óculos de proteção
  • Luvas de proteção
  • Máscaras de proteção respiratória
  • Mangas de proteção
  • Calçados de proteção
  • Uniforme de proteção

Todos estes equipamentos possuem versões e possibilidades diferentes. E serão utilizados de acordo com a situação e ambiente.

Onde me capacitar na norma NR10?

Tanto profissionais quanto empresas precisarão utilizar algum tipo de curso para conseguirem dominar todo o assunto. Claro, este curso precisa ser reconhecido e ter um conteúdo que possa abranger completamente os tópicos principais da área.

Em todas as opções encontradas por aí, a melhor disponível no momento sem dúvida é o curso de NR10 da Engehall. Uma excelente empresa com mais de uma década de desenvolvimento de cursos especializados.

Com o curso deles o profissional pode se capacitar por conta própria tirando dúvidas e sendo orientado pelos melhores professores da área. Que alias possuem muito conhecimento tanto prático quanto teórico.

Outro ponto bastante relevante é sem dúvida a possibilidade de se utilizar de uma estrutura online completamente acessível de qualquer lugar.

Assim o profissional que se capacita para melhorar o currículo não precisará gastar recursos e tempo com o deslocamento.

Nem ao menos terá que se dedicar de maneira exclusiva a um tipo de curso. Ele pode separar o tempo que tiver livre para se dedicar e se aprimorar. Muitas vezes sendo até mesmo os intervalos de um trabalho.

Entretanto a empresa que quiser capacitar todos os seus funcionários também poderá contar com treinamentos presenciais. Basta agendar para fazer os orçamentos.

O que o Curso de NR10 da Engehall traz?

O conteúdo é surpreendentemente amplo, e vai possibilitar toda a capacitação do profissional. Inclusive é um curso com certificado reconhecido em qualquer local.

Afinal de contas a Engehall é filiada ao CREA.

Entre os principais assuntos estão:

  • Introdução à Segurança com Eletricidade;
  • Técnicas em Análise de Risco;
  • Possíveis riscos em Instalações e Serviços Elétricos;
  • Medidas para Controle do Risco Elétrico;
  • Normas Técnicas Brasileiras – Nbr da Abnt: Nbr-5410, Nbr 14039, etc;
  • EPIs e EPCs;
  • Rotinas de Trabalho e seus Procedimentos;
  • Documentação das Instalações Elétricas;
  • Proteção e Combate a Incêndios;
  • Acidentes de Origem Elétrica;
  • Primeiros Socorros;

Existe ainda mais conteúdos explorados para atingir todo o potencial necessário. Esta é só uma amostra.

O curso tem validade?

Sim, o curso possui uma validade de até 2 anos. Isto é necessário para que o profissional e a empresa estejam habilitados para receberem suas certificações.

Entretanto no site da Engehall você encontrará a opção de curso mais em conta para quem só precisa fazer a reciclagem.

Isto vale para quem trabalha com sistemas de alta potência ou não. Tudo se encaixa diretamente às suas necessidades.

Você receberá um certificado válido no momento em que o curso for concluído, e ele possui aceitação em todas as empresas do mercado.

Mas o certificado impresso também é enviado, porém pelos correios, podendo demorar alguns dias para chegar.

Quanto tempo o curso demora?

A duração total do curso online é de uma carga horária de 40 horas. Entretanto o profissional é quem vai ditar o ritmo da aprendizagem.

Assim, quanto mais tempo disponível e disposição ele tiver, mais rápido ele irá concluir. Mas se as coisas estiverem muito tumultuadas, tudo bem. Você não perderá o curso por conta do tempo.

Um dos pontos mais interessantes do curso em si é que você pode começar a fazer ele de graça! Ou seja, você começa, avalia a qualidade e só então efetua o pagamento necessário.

Toda esta parte é facilitada com divisões no cartão de crédito ou pagamento à vista.

Como conseguir

Se você quer realmente saber o que é NR10 e entrar de cabeça no mercado como alguém mais qualificado, basta clicar no botão abaixo:

Conclusão

Lembre-se, a segurança é um dos fatores principais de qualquer trabalhador na área da elétrica. Sendo assim é sempre bom estar em dia com suas certificações e novos conteúdos.

Então aproveite agora para começar um curso que vai revolucionar a sua carreira.

Por hoje é isso, qualquer dúvida que você tenha sobre o assunto ou o curso não tenha medo de perguntar! Basta acessar a área de comentários logo aqui abaixo.

Até a próxima!

Guia Completo Sobre a Norma NR10

A Norma NR10 é sem dúvida nenhuma um dos grandes marcos para os profissionais da área da elétrica. Quem hoje deseja se encaixar no mercado de trabalho precisa se adaptar às necessidades.

Quem já trabalha com eletricidade, seja com reparos domésticos simples ou mesmo manutenções e instalações de redes de alta potência compreende que existem riscos na profissão. Afinal de contas praticamente qualquer trabalho irá apresentar algum grau de risco alguma hora.

A energia elétrica nos proporciona uma quantidade incrível de benefícios, e sem ela seria praticamente impossível garantir uma vida moderna confortável. Mas vale a pena dizer que ela também é uma força da natureza bastante ameaçadora quando quer.

Acidentes com eletricidades podem variar de pequenos choques incômodos até mesmo grandes explosões. As pessoas que já presenciaram o estouro de um transformador de poste sabem realmente como o barulho é alto!

Então trabalhar diretamente com a energia vai exigir uma série de medidas de segurança. Entre elas estão os equipamentos de proteção, técnicas básicas, saber como a energia se comporta e vários outros fatores.

Entretanto é justo dizer que realmente existem muitos profissionais na área, principalmente os liberais que não possuem ideia de todas as ações e equipamentos necessários para se proteger.

Outros ganham confiança e acabam exagerando nas brincadeiras, o que é muitas vezes um risco desnecessário e fatal.

Então década de 60 a popularização e já dependência da tecnologia fez com que se criassem as normas específicas da área. A principal é a Norma NR10, que trata de toda a segurança de quem trabalha com a eletricidade.

Hoje gostaria de trazer para você destalhes bastante específicos sobre a atuação segura e responsável da profissão. Mostrando os principais pontos e motivos pelos quais você vai querer se capacitar diretamente com esta norma.

Vamos conferir?

O que é a Norma NR10?

Nos anos 60 o Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTPS) criou a norma para ajudar a prevenir acidentes, além de garantir a segurança e até mesmo a questão de saúde de todos os que trabalham na área.

Como a tecnologia vem se atualizando constantemente, além do trabalho contínuo entregar novas informações, a norma NR10 é constantemente atualizada.

Os principais textos que trazem conteúdos diretos e completos são os seguintes:

  • Publicações da NR 10 MTE
  • Portaria MTB nº 3214 – 08 de junho de 1978
  • Portaria SSMT nº 12 – 06 junho de 1983
  • Portaria MTE nº 598 – 07 de dezembro de 2004
  • MTPS nº508 – 29 de abril de 2016

Ou seja, a tendência é que o conceito ainda possa ser bastante atualizado. Tudo depende diretamente de como a tecnologia irá se comportar nos próximos anos.

Esta tendência mostra que quem não deseja trabalhar conforme as melhores orientações tende a ficar para traz. Além de mostrar a necessidade constante de um bom profissional sempre buscar as melhores práticas do mercado.

Importância do conhecimento e aplicação da Norma NR10

Para que você tenha uma ideia mais geral do quadro e possa se sentir motivado a aprender um pouco mais, aqui estão os principais motivos para a aplicação hoje.

1 – Segurança

O principal motivo pode ser bastante óbvio, se você quer sobreviver, principalmente sem sequelas, ao seu trabalho é melhor tomar cuidado com o que faz.

Empresas muitas vezes ajudam com seguros de vida, mas é importante notar que nem todos eles dão uma cobertura realmente razoável.

Em segundo lugar é importante lembrar que principal o trabalhador autônomo vai possuir algumas situações ainda mais arriscadas. Ou seja, imagine que você nem ao menos faz o recolhimento de seu INSS, ter um acidente incapacitante pode ser um problema para a vida toda.

Ignorar o fato de que tratamentos também podem ser caros, não é uma boa ideia.

Mas independente do acidente e de seus resultados, o melhor é ficar longe de todos eles. A norma NR10 foi criada por profissionais, a ideia é trazer só as práticas que realmente vão te deixar muito mais seguro. Deixar de seguir elas não é nem de perto uma boa ideia.

2 – Aumenta a facilidade de contratação

Empresas que precisam atuar com eletricistas constantemente estão preocupadas com as melhores indicações possíveis. E acredite, ter um curso de NR10 no seu currículo faz toda a diferença.

Antes de mais nada mostra para o recrutador que você é um profissional confiável e responsável. Alguém que constantemente busca uma atualização profissional e capacidade para exercer melhor a sua função.

Outro ponto é que você será um risco a menos em potencial. Pequenas brincadeiras no âmbito de trabalho podem gerar consequências terríveis.

Se você pesquisar, é normal ver que um desleixo no trabalho ou mesmo um trote com colegas podem gerar acidentes graves que levam até a óbitos. O fato é que além de manchar a imagem da empresa, isto também gera consequências jurídicas para ela.

Assim o prejuízo de se lidar com este tipo de problema será não só humano, quanto financeiro.

Por outro lado também temos o risco de um trabalho mal feito, ou mesmo um acidente por descuido, acabar gerando um problema ainda maior.

Uma explosão de uma máquina, uma sobrecarga de um aparelho delicado e caro. Às vezes até mesmo um incêndio que irá consumir todo o local.

Talvez um acidente como este seria o maior prejuízo possível para uma empresa.

Então um profissional capacitado e consciente de sua segurança não irá trazer tantos riscos.

3 – É obrigatório

Muitos locais realmente exigem o conhecimento da norma em si para se trabalhar. Uma empresa com selos de qualificação precisa de profissionais certificadamente capacitados.

Então é normal ser recusado em uma entrevista de emprego exatamente por não ter este tipo de garantia de qualidade.

E claro, a maioria dessas empresas nem ao menos irão te convidar para uma entrevista, já que seu currículo não faz menção do curto.

Atenção! Várias empresas não avisam esta exigência em seus anúncios de vagas!

Quais os riscos do trabalho de eletricista?

Seja você um eletricista comum de instalação, ou mesmo de reparos, ou até quem sabe não seja diretamente um profissional da área, mas que precisa se relacionar com a eletricidade, é importante ter em mente os principais problemas e riscos que você irá enfrentar.

Neste caso vou listar aqui os acidentes mais comuns de se acontecer quando se está em um ambiente diretamente ligado à distribuição de eletricidade:

1 – Choques elétricos

O mais normal que iremos encontrar hoje em dia são os acidentes de choques elétricos. Quem já trabalha a algum tempo com eletricidade sabe que eles podem ser comuns.

Mas acontece é que muitas vezes eles variam de sustos com alguma situação desconfortável para um risco de vida altíssimo. São mais de 3000 mortes por choques elétricos todos os anos só no Brasil.

Pegue o número de profissionais que trabalham na área e verá que é realmente alarmante.

Entretanto o pior de tudo é saber que provavelmente a maioria dos casos poderiam ter sido evitados. Muitos deles foram causados por um descuido ou ignorância da pessoa.

Um choque acontece quando nosso corpo entra em contato com uma corrente elétrica. Nossa pele, músculos e todas as partes são condutoras de eletricidade que irão permitir uma corrente.

Claro, não somos tão bons condutores quanto fios de cobre, mas podemos ser um condutor dependendo da situação.

Havendo uma conexão entre dois polos, seja um pedaço de fio desencapado ou uma blindagem de aparelho mal feita, e tudo tendo um polo oposto, como por exemplo a terra, um choque irá acontecer.

Alguns deles são tão insignificantes que irão percorrer a parte mais externa da pele e não nós trará problemas. Até mesmo pode ser difícil sentir alguma coisa.

Entretanto a tensão pode ir aumentando, e conforme a tensão e correntes envolvidas a situação pode ser grave.

2 – Queimaduras

A norma NR10 também é bem enfática em lembrar do problema das queimaduras. Entenda, nenhuma forma de energia se dissipa de maneira pura.

Ou seja, parte da energia elétrica com certeza irá se dissipar na forma de calor. É o que chamamos de efeito joule, que é nada mais, nada menos, do que uma relação direta entre potência e geração de calor.

Quanto maior a potência, maior será o calor gerado.

Este fenômeno em si é bastante útil, pois nos permite criar a famosa resistência de chuveiro. Ou mesmo podemos citar aparelhos mais modernos como a fritadeira a ar e semelhantes.

Seja como for este é um efeito natural, e não há como controlar ele sempre. Então é comum que as pessoas envolvidas com a eletricidade possam sofrer queimaduras.

Como qualquer acidente de trabalho isto pode ir de uma gradação leve até algo extremamente perigoso. Um exemplo para você seria talvez queimar a mão com um pequeno choque.

Note que ao ter um curto circuito é normal existir um estalo com faíscas. Isto acontece porque o circuito diminui a quase zero sua resistência. Ou que aumenta exponencialmente a potência, produzindo um resultado violento do efeito joule.

Assim como pode acontecer em qualquer local. Você pode estar dando uma manutenção em um equipamento e um curto pode até mesmo criar uma chama que trará grandes queimaduras.

Ou mesmo o próprio choque elétrico mais forte irá gerar tanto fogo quanto ondas de altíssimo calor em sua pele.

3 – Arco voltaico (um dos mais perigosos mencionados na norma NR10)

Realmente o arco voltaico é um dos fenômenos mais perigosos que você vai encontrar ao trabalhar com a eletricidade.

Basicamente é possível observar o feixe de energia de maneira visível se conduzindo por um material que seria naturalmente isolante. Como por exemplo o ar, que é o mais comum.

Isto pode gerar uma quantidade de calor absurda, muitas vezes superando até mesmo os 15000 graus célsius. Algo realmente perigoso.

Normalmente ele surge da conexão ou desconexão de um fio ou aparelho elétrico. Quanto maior for a potência utilizada, maior as chances de aparecer um arco. E claro, maior a potência, maior o dano.

Os riscos podem passar desde queimaduras de segundo grau até as mais graves, podendo facilmente levar a óbito.

E acredite, não é exatamente um motor de alta potência ou um cabo de alta tensão que irão gerar este risco. Até mesmo aparelhos domésticos como um chuveiro podem apresentar este comportamento.

4 – Riscos variados

Existem vários tipos de problemas que também podem ser associados à profissão que a norma NR10 irá tratar de maneira específica.

Pense por exemplo em quem irá fazer uma instalação em zona rural, ou então irá fazer uma manutenção em cabos de uma empresa de energia em locais mais reservados.

Não é impossível encontrar riscos com animais peçonhentos, por exemplo. Quem é eletricista de carreira provavelmente já teve problema com abelhas, vespas ou marimbondos.

Uma picada já pode ser um problema sério para os alérgicos, mas os ricos de derrubar uma colmeia inteira e ser alvo de um enxame são altos.

Além disso as pessoas que trabalham com instalações em grandes altitudes podem sofrer quedas fatais ou incapacitantes.

Já os que fazem manutenções em empresas de maior porte, podem sofrer riscos de explosões ou exposições a agentes químicos.

Se existe algum risco provável, a norma NR10 irá tentar arrumar alguma instrução para te ajudar.

Onde aprender mais sobre a norma NR10?

Existem vários caminhos que você pode trilhar para se considerar um profissional totalmente capacitado. Afinal de contas a informação sobre normas de segurança é de livre acesso para qualquer um.

Entretanto ir diretamente ao texto não te garante nenhum tipo de certificado. Além do fato de que provavelmente você não vai conseguir decorar tudo e colocar em prática deste modo.

O mais seguro sem dúvidas é apostar em uma atitude mais coerente e lógica. Muitas vezes sendo o mais indicado um curso de NR10.

Através de um curso você receberá todos os dados de maneira didática, podendo aprender tudo na prática e tendo acesso a alguém que pode realmente tirar suas dúvidas.

O grande problema para muitos é realmente encontrar quem tenha um curso decente. Não me leve a mal, mas a internet está recheada de pessoas mal intencionadas querendo entregar produtos de péssima qualidade.

Então estamos trazendo para você o melhor curso da norma NR10 possível!

Este é o curso NR10 da Engehall. Uma empresa que está a mais de uma década entregando cursos da melhor qualidade possível.

Por que o curso NR da Engehall vale a pena?

Existem vários motivos pelos quais você deveria dar uma chance para o material da Engehall. Aqui está uma lista dos mais importantes para a maioria dos mais de 70 mil alunos satisfeitos.

1 – Conteúdo de qualidade

Todo o material apresentado neste curso é resultado de pesquisas amplamente qualificadas. Além de entregar para o aluno uma linguagem fácil e didática.

Esta é a primeira plataforma no mercado que permite o aluno a praticar combate a princípios de incêndios e primeiros socorros em simulações bastante instrutivas.

O aluno e o professor podem interagir de forma natural e bastante eficaz, garantindo excelentes resultados.

Além disso você terá uma equipe de atendimento de plantão através do Whatsapp, que irá te ajudar mesmo fora do horário comercial.

Tudo o que está disponível é feito pelos melhores especialistas da área. Garantindo para você uma excelente assimilação do conteúdo.

2 – Facilidade de pagamento

Além de te ajudar a encontrar as formas de pagamento mais eficazes para você, é possível receber acesso ao curso de maneira imediata! Não há nenhuma necessidade de esperar em filas ou algo do tipo.

E o melhor, você ainda possui garantias, pois se não gostar do produto pode receber seu dinheiro de volta na mesma hora.

3 – Facilidade de acesso e mais de uma modalidade

Se você é um profissional liberal que quer se capacitar, ou mesmo é dono de uma empresa que está precisando treinar seus colaboradores, o que não falta são facilidades.

O treinamento pode ser feito de maneira online ou presencial. Assim você terá acesso aos mais variados conteúdos sem que seus funcionários precisem ficar um tempo a mais por isso.

Mas se você quiser a Engehall também pode proporcionar treinamentos presenciais. Basta entrar em contato que eles irão fazer sua empresa ir além.

4 – Certificado reconhecido

O certificado é completamente reconhecido. Seja onde for o profissional habilitado com o curso NR10 da Engehall conseguirá levantar todas as suas credenciais.

Entretanto é importante dizer que o curso possui validade de 2 anos. Mas para quem precisar também é disponibilizado o curso de reciclagem no mesmo local.

Inclusive é disponibilizado um curso separado da Norma NR10 SEP, que é focado em trabalhadores expostos a alta tensão.

Todos os produtos ainda são acompanhados de um curso de eletricidade gratuito de bônus. Onde os profissionais poderão fortalecer suas bases e ainda aprender novos conceitos.

Onde adquirir?

Se você realmente quer dar um pulo a mais na sua carreira, e então conquistar tudo aquilo o que um profissional da elétrica pode, clique no botão abaixo:

 

Você será redirecionado para uma página com todas as informações restantes sobre o curso.

Conclusão

No mais é isso, espero que estas informações tenham sido úteis para o seu esclarecimento. Entretanto estou à disposição para tirar qualquer dúvida nos comentários, ok?

Lembre-se, a segurança é um fator fundamental de quem quer ter uma carreira próspera. Não deixe para se capacitar depois.

Você sabe como funciona o aterramento?

Assista o vídeo sobre aterramento

O aterramento dos aparelhos eletrônicos é e fundamental para a proteção contra falhas do sistema elétrico. Para compreender a funcionalidade do aterramento e como ele atua, é preciso compreender um pouco sobre o sistema elétrico, uma vez que ele faz parte desse sistema.

De maneira simples o sistema elétrico que chega aos consumidores é composto por dois fios, um neutro e um fase. A eletricidade só existe quando há a diferença de potencial entre dois polos, por isso o fio neutro possui potencial zero e o fio fase é por onde a tensão elétrica passa, de forma que a voltagem é representada pela diferença entre os dois fios. No entanto, o fio neutro pode ter o que é chamado de fugas de energia, ou seja, um pequeno aumento ou escape no potencial desse fio. Alterando o potencial e possibilitando um acumulo de carga nos equipamentos.

Quando acontecem essas fugas a energia resultante delas fica alojada nas extremidades metálicas dos equipamentos. Podemos perceber essa energia ao tocamos um aparelho que sofre uma corrente de fuga, pois levamos um leve choque, já que existe uma diferença de potencial entre o equipamento e nosso corpo. Enquanto para nós essa descarga não apresenta danos significativos à saúde, ela pode danificar os aparelhos por onde passa.

Por sua vez, a terra possuí potencial igual a zero volt absoluto, ou seja, não tem nenhuma carga durante todo o tempo. Assim, ela consegue receber a corrente elétrica de fuga de qualquer aparelho, eliminando a sujeira elétrica desses aparelhos. A ligação com a terra é realizada exatamente para que não haja o acumulo de energia nos equipamentos, de forma que a carga em fuga transite para a terra e não se acumule. Ela é feita a partir de um fio em contato direto com a terra, por isso o nome aterramento.

As instalações elétricas devem ter um sistema de aterramento, que consiste em uma barra cravada na terra e conectada ao sistema através de uma fiação especial. Dessa forma, todas as tomadas possuem o aterramento e quando um equipamento é conectado ele está aterrado. Alguns aparelhos elétricos possuem tomadas com três pinos, um deles é o fase, o outro o neutro e o terceiro, em posição central, é o terra, quando conectado em uma tomada com sistema de aterramento esse pino central é o responsável por dissipar as correntes de fuga do aparelho, protegendo-o.

Aterramento: Definição

Ligação intencional de um equipamento ou sistema à terra através da qual correntes elétricas podem fluir.O aterramento pode ser:

•Funcional: ligação através de um dos condutores do sistema neutro.

• Proteção: ligação à terra das massas e dos elementos condutores estranhos à instalação.

• Temporário: ligação elétrica efetiva com baixa impedância intencional àterra, destinada a garantir a equipotencialidade e mantida continuamente durante a intervenção nainstalação elétrica.

Você sabe o que fazer quando a casa não tem ?

 

Saiba mais sobre: Aterramento temporário

Veja também: Aterramento

Você sabe a hora certa para descartar suas luvas de segurança?

Nunca se esqueça de que a proteção das mãos é importantíssima para a vida de um trabalhador seguro. As luvas de segurança servem para inúmeras atividades, há casos em que são recomendadas e outros que são de uso obrigatório. O material das mesmas podem variar muito dependendo da utilização destinada às luvas de segurança, podem ser de latex, raspa de couro, PVC, lona, neoprene, entre outros.

Este poderoso EPI tem função de proteger as mãos contra riscos mecânicos – como corte, abrasão e perfuração; riscos químicos; e riscos biológicos – como bactérias e fungos.

Além de evitar vários acidentes, as luvas de segurança proporcionam também conforto e aumentam a confiança do usuário, melhorando assim o rendimento no trabalho.

É de extrema importância que as empresas esteam sempre investindo em proteção para que todos os trabalhadores possam trabalhar com sua segurança garantida.

Para sempre garantir a proteção ideal das luvas de segurança, é importante observar quanto ao estado de conservação e o tempo de uso.

Quanto descartar as luvas de segurança?

Ao reparar que sua luva de segurança sofreu desgaste, furo, rasgo, ou alguma reação química que a torne inutilizável, descarte a mesma imediatamente. Mas caso a luva se mantém em bom estado de uso e conservação, de acordo com as instruções do fabricante para higienização, pode reutilizá-la sem problema algum. Tenha cuidado, pois ainda assim existem possibilidades de haver uma contaminação indireta, por isso é importante verificar a qualidade do material com a empresa para que seja feita a reutilização da luva sem riscos e com segurança.

Segurança na construção civil – Veja métodos e procedimentos adequados

Veja algumas dicas simples e básicas para que a segurança na construção civil seja garantida para todos os envolvidos, e também para os que estão em locais próximos.

– Lembre-se, antes de construir entre em contato com profissionais para obter orientações.

– Cuidados com a posição dos andaimes e paredes, pois, os mesmos quando próximos à rede representam grave perigo de choque elétrico.

– Mantenha-se longe dos fios elétricos e nunca utilize os postes de energia para escorar os andaimes.

– Em obras e construções, é muito comum o manuseio de objetos metálicos como vergalhões, escadas, andaimes, réguas, dentre outros. Sendo assim, tenha muito cuidado ao manusear estes objetos próximos à rede elétrica. Evite que estes toquem ou estejam próximos da rede elétrica, já que o risco de choque elétrico grave é muito alto.

– A locais em que os níveis de tensão são mais elevados, nestes casos, a simples aproximação de condutores pode fazer com que ocorra choque elétrico, mesmo que não tenha existido contato direto. Sendo assim, cuidado ao operar guindastes, caminhões com caçamba, betoneiras e escavadeiras próximas à rede elétrica.

– Não realize perfuração de poços sob a rede elétrica, já que a broca utilizada poderá aproximar dos fios ao ser retirada do chão.

– Caso tenha alguma dúvida não hesite em entrar em contato com um profissional.

Jogos de Segurança para descontrair

Divirta-se com os jogos de segurança da Cemig, saiba como agir em situações de risco envolvendo a rede elétrica.

Clique na imagem abaixo para jogar.

É permitido usar EPI com a validade do CA vencida?

validade-epi-e-validade-ca

validade epi e validade ca

Você sabia que o MTE (Ministério do Trabalho e Emprego) emitiu uma nota técnica informando que é permitido utilizar o EPI com o Certificado de Aprovação vencido?

Veja a seguir a explicação detalhada para entender melhor.

A função dos EPI’s é garantir a segurança e saúde dos profissionais no trabalho, e para que estes equipamentos sejam considerados EPI’s é necessário obter o Certificado de Aprovação emitido pelo MTE. Existem vários equipamentos que podem auxiliar na proteção ao trabalhador, porém, se estes não forem listados no Anexo I da NR 6, não serão considerados Equipamento de Proteção Individual, serão considerados apenas como um produto de segurança para  trabalhador.

Saiba mais sobre EPI’s aqui.

Os equipamentos devem ser analisados em laboratórios credenciados para obter a certificação junto ao MTE. A validade máxima do Certificado de Aprovação é de 5 anos. Os equipamentos que foram submetidos a testes em laboratórios credenciados fora do Brasil, terão validade máxima de 2 anos, sendo que, as empresas solicitantes precisarão enviar para análise do MTE, toda a documentação dos testes realizados no exterior.

Porém, os EPI’s possuem a validade do fabricante do produto, que é diferente da validade do CA (Certificado de Aprovação).

Validade do CA

O MTE emite uma certificação para o equipamento após autorizar o fabricante ou importador a comercializar um EPI, este Certificado de Aprovação recebe o nome de CA. É decretado por norma que somente deverá ser comercializado o EPI que possuir a indicação do CA.

A renovação do CA é de total responsabilidade da empresa que comercializa o EPI, e deve ser realizada no prazo máximo de 90 dias antes do vencimento. É de extrema importância ficar atento quanto às características do equipamento, se estas características correspondem às descritas no CA. Lembre-se que qualquer alteração ou ausência de um dos componentes do equipamento vai invalidar o Certificado de Aprovação, deixando o empregador desprotegido judicialmente em caso de acidente.

Validade do EPI

Todos os equipamentos comercializados devem conter a indicação do prazo de validade, sendo esta a data limite de utilização com segurança do produto. Lembrando que a validade também vai depender da utilização e armazenamento do EPI, é expressamente recomendado seguir as condições de uso informadas pelo fabricante.

Conclusão

Sendo assim, a validade do CA existe para que os produtos sejam vendidos dentro do prazo máximo de 5 anos. Depois deste período, o equipamento não poderá ser comercializado. Porém, a utilização do EPI pode ser feita até a data da validade do produto estipulada pelo fabricante, desde que o produto tenha sido adquirido dentro do prazo de validade do CA.

Portanto lembre-se: Antes de comprar um EPI observe a validade do CA. E depois de adquirido o EPI com CA válido, o empregador precisa se preocupar apenas com a validade do produto, e não mais com a validade do Certificado de Aprovação.

Fonte: Prometal EPI’s

Os campos de golfe que foram trasnformados em terrenos de energia solar

image

Há algum tempo atrás, em meados dos anos 1980, o golfe era um esporte bastante popular no Japão e os campos destinados à prática se multiplicaram de maneira muito rápida pelo país. Porém, a procura por estes espaços foi diminuindo ao longo do tempo e, atualmente, a participação da população no esporte está abaixo de 40% quando comparada ao ano de 1990. Devido a isso, um novo “problema” passou a tomar conta do país: diversos campos de golfe abandonados e sem utilidade passaram a fazer parte das paisagens japonesas. O governo, então, se viu diante de um grande impasse.

A solução para fazer essas enormes áreas se tornarem, novamente, locais úteis para a população foi proposta pela empresa Kyocera. Por serem lugares que costumam receber muita luz, a empresa percebeu que havia ali um grande potencial para geração de energias limpas e começou a trabalhar em um projeto que tornasse essa ideia algo concreto.

Depois de alguns cálculos es estudos surgiu a ideia de uma central solar com capacidade de geração de 23 megawatts. O projeto já está ganhando forma em um campo de golfe em Kyoto. O empreendimento tem prazo para ser terminado em 2017, quando será capaz de gerar energia suficiente para suprir as necessidades de mais de 8 mil famílias. A empresa também planeja uma central de 92 megawatts em Kagoshima, com capacidade para abastecer mais de 30 mil famílias, mas ainda não tem data para que as construções se iniciem.

FONTE: www.hypeness.com.br

A Turbina eólica voadora que é até três vezes mais eficiente

Conforme os estudos vão avançando, a indústria eólica tem feito grandes progressos em termos de tecnologia para aumentar a eficiência na produção energética. A novidade é o sistema BAT – Buoyant Airborne Turbine, uma espécie de turbina flutuante que, na verdade, mais parece um enorme balão de gás hélio.

Os idealizadores têm pretensão de que a tecnologia seja instalada no Alasca e voe a cerca de mil pés de altura. Segundo os estudos iniciais, cada um dos “balões” será capaz de produzir energia suficiente para abastecer até 12 casas. Para você que não tem muita noção do que isso quer dizer, pense que as turbinas eólicas mais antigas, produzidas há cerca de seis anos, chegam a somente 200 pés de altura, por exemplo. Esse grande alcance da BAT permite o maior aproveitamento, ao mesmo tempo em que reduz os custos do sistema.

A empresa responsável pelo projeto é a norte-americana Altaeros. Conforme informado pela companhia ao The New York Times, a escolha pelo estado no extremo norte do planeta possui duas justificativas: baratear a energia local e aumentar a produção de energia limpa em uma região em que o diesel é uma das fontes mais comuns.

A inspiração da equipe de pesquisadores envolvida é a tecnologia de balões usados para vigilância, monitoramento e transmissão das condições meteorológicas. Assim, o sistema é capaz de alterar e alinhar a turbina de acordo com o vento. Essa opção maximiza o aproveitamento da força eólica e, consequentemente, eleva a produção energética. A estimativa da empresa é de que o sistema seja até três vezes mais eficientes que as turbinas convencionais que são fixas.

Hoje, o objetivo dos criadores é levar a tecnologia a diversas áreas que carecem de eletricidade ou em locais em que a energia ainda é muito cara ou proveniente de combustíveis fósseis.

FONTE: circuitodigitalufc.com

Petrobras produz biodiesel a partir do óleo de peixe

Petrobras-UTE-TresLagoas-Destaque

No início deste ano a Petrobras começou a produzir biodiesel a partir do óleo de peixe. Em nota à imprensa, a estatal informou que a produção do biodiesel com base nessa matéria-prima vai beneficiar inicialmente 300 piscicultores familiares e garantir a compra de 15 toneladas de resíduos e gorduras de peixe, por mês, de piscicultores cearenses.

O processo é realizado pela Petrobras Biocombustíveis na Usina de Quixadá, no Ceará, a partir do óleo extraído de vísceras de peixe, conhecido como OGR (óleos e gorduras residuais) de peixe. A companhia recebeu, em dezembro, 4,55 toneladas do produto para produção de biodiesel.

Segundo a empresa, o volume é consequência do primeiro contrato de compra firmado com a Cooperativa dos Produtores do Curupati, em Jaguaribara, região centro-sul do estado. As informações ainda indicam que, até o fim de 2015, o projeto poderá alcançar metade dos 600 piscicultores familiares que trabalham nos dois maiores açudes da região: o Castanhão, que tem áreas produtivas nos municípios de Jaguaribara, Jaguaretama e Alto Santo; e o Orós, nos municípios de Orós e Quixelô, ambos na bacia hidrográfica do Rio Jaguaribe.

Segundo uma avaliação da Petrobras, o uso do óleo extraído das vísceras dos peixes na produção traz vantagens a ambas as partes. Para a companhia, a iniciativa assegura biodiesel com matéria-prima de qualidade, além de estar alinhada ao Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel, condição necessária para garantir o Selo Combustível Social do Ministério do Desenvolvimento Agrário.

Já para os piscicultores, a produção gera valor de mercado para um subproduto, o que proporciona renda extra. Ao mesmo tempo, fortalece a cadeia produtiva do pescado, transformando um possível passivo ambiental em matéria-prima para a produção de biodiesel.

FONTE: Agência Brasil

© Todos Direitos Reservados | Engehall Elétrica | Curso NR10