Baixe aqui as normas regulamentadoras. Veja na íntegra as normas: NR1, NR2, NR3, NR4, NR5, NR6, NR7, NR8, NR9, NR10, NR11, NR12, NR13, NR14, NR15, NR16, NR17, NR18, NR19, NR20, NR21, NR22, NR23, NR24, NR25, NR26, NR27, NR28, NR29, NR30, NR31, NR32, NR33, NR34, NR35, NR36.

Tudo sobre a reciclagem NR35

O curso NR35 reciclagem foi criado para renovar os conhecimentos dos trabalhadores em grandes alturas. Assim como também serve como uma verificação legal de que a pessoa está habilitada a exercer sua função. Hoje vamos falar sobre este material e a norma em si.

Não é de hoje que as construções começaram a tomar um caminho bastante vertical. Cerca de um século atrás ou mais era comum considerar um prédio de 3 andares como um arranha-céu.

As pessoas realmente ficaram espantadas quando encontraram as primeiras versões de prédios de 5, 6 e até 10 andares. Seja como for a verdade é que com o tempo a tecnologia nos permitiu ser mais econômicos com o nosso espaço.

Mas um medo real deste tipo de situação é bastante fundado na lógica, que é o fato de que uma queda pode realmente trazer danos. Isto quando não falamos de uma queda que provavelmente irá gerar o óbito.

Quem já esteve presente em várias ocasiões de obras pode ter visto que o acabamento do lado de fora de um prédio é feito de uma maneira muito aterrorizante para quem tem medo de altura. Mas este trabalho só é possível porque existem procedimentos de segurança.

Ninguém está tentando brincar de homem-aranha por aí, as pessoas possuem equipamentos e técnicas que as permitem fazer tudo tranquilamente. E hoje é crucial que elas tenham conhecimento da norma que legisla sobre este tipo de trabalho.

Afinal de contas, as normas regulamentadoras são parte do trabalho em grandes e pequenas empresas. Quem busca sucesso de verdade precisa se adequar da maneira correta.

Hoje gostaria de falar desta norma em geral, assim como a importância da execução de um curso de NR35 e um curso NR35 reciclagem. Vamos conferir?

O que é a NR35?

A NR35, corretamente nomeada de Norma Regulamentadora 35, é um dispositivo legal que serve como parâmetro e regula as atividades em grandes alturas.

Diferente do que muitos pensam ela não só atua em trabalhos que estão ligados à construção civil. Afinal de contas existem vários outros ramos que irão expor seus colaboradores a uma altura considerável.

Pegue por exemplo os funcionários de uma empresa de eletricidade ou então de telecomunicações. É normal que eles tenham que escalar grandes alturas para conseguir alcançar uma torre ou mesmo uma linha de alta tensão.

Às vezes a altura pode passar de algumas dezenas de metros do chão!

Mas sem dúvida nenhuma grande parte das aplicações estão com aqueles que se empenha na construção civil, onde há a aplicação de acabamentos em construções que estão em uma altura muito grande.

O que é uma grande altura para a NR35?

Definir uma grande altura não é uma tarefa tão difícil, afinal de contas são basicamente dois os parâmetros para esta medida.

Primeiramente é importante dizer que uma altura considerada perigosa por esta normal precisa ter no mínimo 2 metros de diferença do nível inferior. Ou seja, a partir daí é necessária uma série de procedimentos e equipamentos para evitar a queda.

E em segundo lugar é necessária a possibilidade de queda. Afinal de contas este é o principal problema que precisamos combater. Senão todos os funcionários de um prédio no segundo ou terceiro andar já necessitariam de uma série de procedimentos.

Então, pode ser que você pense que esta é uma altura muito pequena considerando as que na prática são utilizadas por vários colaboradores. Alguns chegam a subir cerca de 40 metros ou mais.

Porém só basta uma queda de 2 metros (e até menos) para que o impacto feito na região errada e da maneira errada seja fatal.

Por isto esta definição é mais do que razoável.

Normas que também regulam o trabalho em altura

Um ponto bastante interessante sobre as Normas Regulamentadoras é o fato de que elas realmente irão envolver um número enorme de outras normas. Normalmente existem vários pontos que interligam mais de uma regulamentação para garantir a segurança em geral.

Nos trabalhos em altura é possível encontrar outras 6 normas que atuam em conjunto. Embora nem todas se apliquem aos mesmos casos. Vamos dar uma olhada:

Norma Regulamentadora 4

Esta NR serve para falar sobre os Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho. Embora não atue diretamente sobre a altura em si, é sempre necessária para se garantir uma boa segurança e prevenção de problemas.

Além disso também é excelente no ponto de vista que acidentes podem acontecer mesmo com tudo feito de maneira correta. Por isso é importante que a pessoa siga as normas de maneira adequada, principalmente para diminuir os efeitos de um acidente ocorrido.

Às vezes um atendimento de primeiros socorros bem feito consegue impedir um óbito ou mesmo alguma outra consequência problemática.

Um curso NR35 reciclagem deve conter informações básicas sobre atendimento também.

Norma Regulamentadora 6

Esta norma trata diretamente do uso de vários tipos de EPI (Equipamento de Proteção Individual). Eles servem para proteger o trabalhador dos principais problemas que podem aparecer.

Mas principalmente no caso da NR35 é comum que eles sejam utilizados para garantir até mesmo que a atividade seja realizada. Já que em várias situações não existe nenhuma superfície de apoio.

Seja como for os principais EPIs constinuam sendo os mesmos na maioria dos casos. E pode ser estranhos para alguns tentar entender o que um óculos de proteção teria de relação com o trabalho em alturas.

E um dos motivos simples que eu posso dizer é que você vai precisar da sua visão e de todos os sentidos para se manter seguro. Ter algum tipo de detrito desprendido e se chocando contra o globo ocular será um problema. Perder o equilíbrio pode ser fatal, e equilíbrio está relacionado com a visão.

Sem contar que existem equipamentos de proteção específico, como cabos de segurança e afins. Eles permitem que você consiga realmente fazer sua função sem ter a chance de queda.

Norma Regulamentadora 7

Esta norma é praticamente obrigatória para qualquer trabalho também, seja ele de altura ou não. Ela vai regular o PCMSO (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional).

Ou seja, você como colaborador poderá sofrer alguns tipos de problemas no médio e longo prazo relativos ao seu trabalho. Digamos que por exemplo exista a necessidade de trabalhar em um local com bastante poluição sonora.

Depois de alguns anos é comum que a sua audição fique comprometida, ainda que você tome todas as medidas corretas. Claro, sua aderência aos protocolos de segurança são a melhor defesa.

Mas de todo jeito é importante que a empresa faça os exames e tenha certeza de que você saiu com uma qualidade auditiva igual a que você entrou. Assim como é comum que se utilizem artifícios para medir a qualidade da sua saúde ao longo do tempo.

Este normalmente não um tópico constantemente abordado em um curso NR35 reciclagem, mas vale a pena estar consciente dos seus direitos.

Norma Regulamentadora 9

O trabalhador em grandes alturas está exposto a alguns riscos diferentes do normal. Por isso é necessária a implantação do Programa de Prevenção e Riscos Ambientais.

Pense bem, a força do vento em grandes alturas é muito maior do que no nível do solo. Em situações de vento forte é possível sentir um empurrão muito forte mesmo em terra firme.

Agora, esta mesma situação se torna um risco quando você está a algumas dezenas de metros de altura. Os riscos serão bem mais complicados.

O mesmo pode acontecer com descargas elétricas de raios, ou até mesmo um ninho de vespas ou abelhas no meio da torre de transmissão. Já parou para pensar neste tipo de coisa?

Alguns acreditam que é uma situação rara, mas não só pode acontecer como realmente acontece. Por isso o cuidado não pode ser deixado de lado.

Norma Regulamentadora 18

Esta é uma norma que irá se aplicar apenas para um grupo específico de trabalhadores. No caso a NR18 vai regular sobre Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção.

Temos um texto incrível explicando mais sobre ela aqui no nosso site. Basta clicar aqui para conferir.

Norma Regulamentadora 34

E por último também está aqui uma norma interessante, que fala das Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção e Reparação Naval.

Acredite você ou não, mas quem está neste meio também possui algumas preocupações. Primeiro porque alguns navios podem ser realmente grandes, e assim riscos de queda são consideráveis.

Principalmente na produção ou reparação deles, onde eles estarão em um local seco e que pode ficar a alguns bons metros no solo.

Mas se você não trabalha nesta área, sem problema, esta não é uma norma para se preocupar.


Responsabilidades previstas em um curso NR35 reciclagem

É importante entender que um curso normal de NR35, ou mesmo um curso NR35 reciclagem, irá entregar várias responsabilidades.

E o normal é imaginar que estas responsabilidades caem todas sobre o empregador, o que não é verdade. Segundo a maioria das normas regulamentadoras é possível encontrar tarefas para todos os envolvidos.

Resolvi separar aqui as responsabilidades do empregador e as responsabilidades dos colaboradores. Vamos dar uma olhada?

Responsabilidades do Empregador

1 – Implementar Medidas de Proteção

O empregador é obrigado a implementar qualquer medida de proteção que for anunciada dentro da NR35. Isto faz com que até mesmo os responsáveis tenham a necessidade de realizar um curso NR35 reciclagem.

E assim é possível realmente encontrar os resultados de maneira eficaz e inteligente. Afinal de contas todas as medidas foram criadas para proteger o trabalhador.

O não cumprimento também não acarreta só multas, mas também riscos para o colaborador em si. Nenhum dos dois casos é desejável.

2 – Estabelecer os procedimentos

Normalmente as tarefas a serem realizadas em um empreendimento são bastante repetitivas. E assim é importante criar procedimentos para que estas tarefas sejam realizadas de maneira inteligente.

Principalmente nos casos em que há a necessidade de se fazer algo com menos risco e por menos tempo. Afinal de contas quanto menos tempo você estiver em uma grande altura, menor será o risco. Desde que tudo feito da maneira correta.

3 – Realizar AR e assegurar a PT

O empregador deve realizar uma completa Análise de Risco (também chamada de AR). Em alguns casos é até mesmo preciso assegurar que a Permissão de Trabalho (PT) seja emitida.

Documentação é algo burocrático, mas extremamente importante para que tudo corra de acordo com os conformes.

4 – Garantir as avaliações prévias

Várias avaliações precisam ser feitas antes de iniciar os trabalhos. Por isso é importante olhar as condições do ambiente de trabalho.

O que pode também fazer com que você tenha  que fazer planejamento e também adotar medidas complementares de segurança.

Tudo vai depender da ocasião e do trabalho envolvido, porém nunca se deve iniciar antes deste tipo de análise. Por isso é importante fazer sempre um curso NR35 reciclagem.

5 – Participar do cumprimento das medidas de segurança das terceirizadas

É comum que uma, ou até mesmo várias, empresa privada acabe envolvida no processo de trabalho. E isto não tira a responsabilidade de adoção das medidas dentro da sua empresa.

A contratante precisa realmente garantir que os funcionários estejam aderindo às boas práticas. De outro fato seria simples para uma empresa contratar todos os seus funcionários de uma terceirizada e pedir que não adotassem as medidas necessárias.

6 – Informar corretamente os colaboradores

Qualquer pessoa envolvida no trabalho precisa ter consciência de tudo o que está envolvido. Seja dos riscos ou mesmo dos procedimentos corretos para garantir a sua segurança.

Sendo assim é normal que a empresa constantemente elabore cursos de NR35 ou mesmo curso NR35 reciclagem.

7 – Só iniciar atividades após adotar as medidas de proteção

É necessário que as atividades jamais comecem sem que todas as precauções de segurança sejam tomadas. Até porque vestir EPIs em grandes alturas pode ser mais arriscado do que não utilizar eles.

Para evitar desculpas ou esquecimento é crucial que a empresa exija o bom senso dos colaboradores.

8 – Suspender atividades em altura quando houver um risco novo

Situações inesperadas podem realmente ocorrer, e não há muito para onde ir. Infelizmente nem todos sabem agir da maneira correta, que é suspender a atividade em si.

Se o risco for eliminável imediatamente, tudo bem. Mas digamos que um EPI tenha se mostrado defeituoso. Se sua troca for impossível o melhor mesmo é não arriscar.

O mesmo pode ser ditos com variáveis do ambiente, como por exemplo o mal tempo.

9 – Elaborar a sistemática de autorizações

Nenhum trabalho em altura deve ser executado sem a devida autorização do corpo de segurança. Então é necessário que o empregador crie toda a sistemática, a mecânica, por traz de cada autorização.

Assim como deve informar os passos corretos para que tudo flua corretamente.

10 – Supervisionar a atividade

O empregador precisa designar alguém que esteja fiscalizando o trabalho em altura. É necessário que tudo esteja ocorrendo de acordo com a AR, e também que não se tenha um trabalhador em situação de risco sozinho.

Pois em caso de imprevistos haverá alguém para poder prestar socorro.

11 – Manter a documentação em dia

Conforme você vai aprender no curso NR35 reciclagem, é normal que existam mais documentos do que se parece. O empregador deve manter tudo em ordem para possíveis inspeções.

Assim como o setor de auditoria da empresa normalmente irá exigir cada um deles para garantir que o trabalho seja eficaz.

Responsabilidades do Colaborador

1 – Zelar pela segurança

O colaborador em si precisa ser o principal preocupado com a própria segurança. E assim garantir que outros envolvidos também não acabem correndo riscos desnecessários.

Não adianta a empresa fornecer toda a base se o colaborador em si não possui nenhum tipo de interesse.

2 – Cumprir as exigências legais e documentares

Não é só o empregador que é cobrado. O próprio funcionário possui responsabilidades e atitudes que precisam ser tomadas de maneira efetiva.

Se o colaborador se recusar a seguir as regras é comum que até ele mesmo seja demitido sem justa causa para que se mantenha a segurança dentro da empresa.

Alguns acidentes comprometem não só a vida do colaborador, mas o de outros que estão envolvidos. E ainda é possível encontrar aqueles que geram um grande prejuízo para o trabalho em geral.

3 – Ajudar a implementar as exigências

O funcionário deve fazer sua parte e informar problemas que estão acontecendo na empresa. Assim ele estará apoiando a implantação da norma de uma maneira muito mais eficaz.

Este é o tipo de funcionário que costuma ser bem visto no campo de trabalho. Realmente sendo uma opção incrível para quem deseja ter bons resultados.

4 – Parar as atividades caso hajam riscos novos

O problema aqui é semelhante ao encontrado na responsabilidade do empregador. Mas às vezes alguns riscos só serão visto por quem está efetivamente no local.

Então se não for possível tomar nenhuma medida protetiva, o melhor mesmo é parar o trabalho.


Curso NR35 reciclagem, por que fazer?

Existem alguns motivos básicos pelos quais você deveria estudar a possibilidade da realização de um curso NR35 reciclagem.

Primeiramente é a preocupação com sua segurança e bem estar. Pessoas com o conhecimento correto irão correr muito menos riscos que as outras.

E isto é verdade também para aqueles que trabalham como autônomos. Se você está propenso ao risco do trabalho em altura, pode ser interessante se capacitar melhor.

Empresas são obrigadas a fornecer este treinamento para seus colaboradores. E isto deve ser feito sem onerar seus funcionários.

Então escolher o curso certo pela empresa é crucial, pois irá garantir o bom funcionamento das atividades sem grandes riscos. É um dos caminhos mais tranquilos para que a equipe do jurídico e segurança fiquem calmas.

Mas é importante dizer também que a maioria das pessoas envolvidas no trabalho em geral terão o hábito de procurar uma capacitação por conta própria.

Isto acontece porque o curso tem um tempo de duração, que embora seja curto ainda vai exigir dos funcionários um período ocioso. Já que eles não poderão trabalhar sem a certificação.

O mesmo vale com a reciclagem, já que o curso costuma expirar em alguns anos, fazendo com que a capacitação que ele talvez tenha recebido em outra empresa não seja mais válida.

Assim, aquele que está com as suas certificações em dia acaba sendo mais sedutor para a empresa em si. Garantindo excelentes resultados para a empresa.

Onde encontrar o melhor curso NR35 reciclagem

A procura por um curso NR35 reciclagem precisa ser feita de maneira minuciosa. Afinal de contas o que não falta na internet são produtos e cursos incríveis.

Você vai olhar um por um, mas a verdade é que não há uma garantia até que você comece a fazer o curso em si. Por isso minha recomendação é que você procure uma empresa que tenha licenciamento para esta atividade.

Assim há uma garantia incrível de que você consiga bons resultados. Pois um curso sem licenciamento é simplesmente inválido, você investirá tempo e dinheiro sem receber retorno. Ainda que conteúdo seja completo.

E então minha indicação sempre vai para os cursos da Engehall, onde por sinal está sendo elaborado um novo curso NR35 reciclagem incrível.

Você vai poder rever todos os conceitos e receber um certificado válido por um preço justo. Tudo com profissionais capacitados e de qualidade.

Mantenha-se informado aqui para saber em breve do lançamento.

Conclusão

A caminhada foi interessante e espero que estas informações tenham sido úteis para você. Entretanto é válido dizer que ainda existe muita coisa para conversarmos. Então sempre que possível retorne para aprender ainda mais.

Se ficou alguma dúvida, sem problemas, é só entrar em contato pelos comentários ou mesmo pela página de emails que a gente responde rapidinho, ok?

Até a próxima!

Tudo sobre a reciclagem NR33

 

NR33 reciclagem, aqui está um dos cursos mais procurados por aqueles que precisam atuar em condições de maior risco. Este curso basicamente faz com que os principais conceitos da norma sejam relembrados e absorvidos. E assim você pode ter resultados incríveis.

Já parou para pensar como é difícil simplesmente imaginar a profissão de algumas pessoas? Seja por conta de um ambiente desafiador, ou mesmo por conta dos riscos inerentes.

Você já parou para pensar como um metrô é construído? Como aquelas estruturas gigantescas no subterrâneo estão lá de pê a décadas sem chance de desabamento iminente?

Este tipo de tecnologia existe graças a um pesado esforço de engenharia. Existe sim um enorme número de cálculos, modelagens e vários computadores por detrás de tal empreendimento.

Entretanto não podemos negar que definitivamente muita coisa é feita até mesmo de maneira automática. Obviamente estes túneis não foram escavados à mão.

Mas nunca podemos ignorar a parte daqueles que trabalham de maneira direta no empreendimento. Seja rebocando a parede, fazendo acabamentos ou mesmo estruturas, os trabalhadores braçais são o que tornam tudo isto realmente confortável.

E não precisamos ir só nos trens subterrâneos. Existem vários heróis no dia a dia que realmente fazem toda a diferença. Pense nos sistemas de esgoto, alguém precisa descer lá de vez em quando para garantir alguma manutenção.

O mesmo pode ser dito em indústrias pesadas, onde algumas máquinas, como por exemplo caldeiras e misturadores, precisam receber manutenção da parte de dentro. Assim alguém estará em um local bem desconfortável e perigoso por um tempo.

Foi assim que surgiu a norma regulamentadora 33, que dispõe sobre os principais casos de trabalho em espaço confinado. Talvez você já tenha feito o curso, mas que tal falarmos sobre um curso NR33 reciclagem?

Vamos dar uma olhada em pontos cruciais.

O que é NR33?

A Norma Regulamentadora 33, ou mais conhecida como NR33, é um conjunto de práticas, regras e normas para regular o trabalho em espaços confinados.

Por estarem expostos a vários riscos é comum que existam regras especiais para comandar este tipo de trabalho.

Podemos pegar por exemplo o início da revolução industrial, onde as pessoas estavam à merce de trabalhos em vários tipos de minas. As minas de carvão era as mais comuns, e constantemente acidentes ocorriam.

Os mais comuns eram desabamento, em segundo lugar era possível encontrar minas de gás natural, onde qualquer fonte de ignição poderia causar enormes explosões.

Entretanto ainda não sumiam os ricos das doenças pulmonares. Já que as condições de trabalho eram extremas, é normal que o pulmão acabasse recebendo doses constantes de fuligem, e então acabasse finalmente com algum problema mais sério.

Hoje as condições estão muito melhores, e é importante que as empresas tenham foco para não correr riscos maiores. Mas definitivamente ainda existem desafios a serem superados, e esta norma é que irá regular todos os procedimentos e ações necessários.

Como a NR33 reciclagem classifica um local confinado?

A definição de um espaço confinado é realmente bastante desafiadora. Afinal de contas isto vai variar de situação para situação. Primeiramente levando em conta que não é exatamente o tamanho do local que irá fazer diferença.

Pense bem, você preso em uma sala de 20 m2 ou de 40 m2 ainda estará confinado, não é mesmo? Embora a norma leve em condição outro fator na hora de definir o espaço confinado além do conceito de local fechado.

Um espaço confinado é qualquer lugar que não foi criado para que uma pessoa esteja dentro. Mesmo que esta inserção seja de alguns minutos.

Normalmente esta causa ocorre por conta do fraco sistema de ventilação. E por mais que muitos acreditem, não é verdade que está tudo bem se houver uma boa quantidade de oxigênio.

Nosso corpo precisa sim deste gás precioso, mas vários outros gases estão misturados na atmosfera. Quando um local confinado está com uma saída de ar comprometida, é normal que a concentração de gases tóxicos, como o monóxido de carbono, aumente.

Ainda que você esteja com uma enorme quantidade de oxigênio disponível a concentração dos gases tóxicos podem envenenar a pessoa.

Os sintomas costumam começar fracos, como por exemplo dores de cabeça. Mas nada garante que algo pior não aconteça, como um desmaio ou mesmo óbito.

Isto porque não considerei também os possíveis riscos de desabamento, no caso de túneis. Que embora sejam muito raros hoje em dia, ainda são passíveis de acontecer.

E claro, no caso de pessoas que fornecem manutenção e reparo para maquinário pesado, sempre existe o risco de que você acabe irremediavelmente amassado, eletrocutado ou algo semelhante caso o equipamento ligue sozinho.

Quais os principais tipos de trabalhos envolvidos?

É normal que a maior parte dos trabalhos esteja diretamente ligada à construção civil. Afinal de contas a construção de espaços subterrâneos, tubulações de esgoto e semelhantes são todos referentes a este tipo de local confinado.

Mas também é possível encontrar eletricistas e mecânicos, que são os que precisam ficar diretamente responsáveis pelo trabalho em local confinado.

Um curso NR33 reciclagem é uma das formas ideais de manter cada um desses funcionários diretamente alertas sobre suas principais ações de segurança. Porém acredito que o fator diferencial muitas vezes é a própria conscientização.

É normal que a maioria dos trabalhadores desta área tenha uma espécie de carreira. Além é claro de que muitos iniciaram suas profissões ainda jovens e em ambientes desafiadores.

Acaba sendo quase que impossível não criar confiança nas próprias habilidades, e por mais que isso seja bom por um lado, traz riscos do outro.

Digamos que a pessoa já tenha perdido o medo de locais confinados, isto é extremamente positivo. Mas se esta mesma pessoa acaba ignorando as medidas de segurança, a confiança já se torna um problema real.

Por isso é importante não só fazer um curso, como também periodicamente realizar o curso NR33 reciclagem. Assim você garante que os conselhos sejam melhor absorvidos.

E este é o ponto principal, conscientizar para que a pessoa entenda que problemas sempre podem acontecer.


Responsabilidades previstas na norma

São vários os pontos revistos em curso NR33 reciclagem. Mas sem dúvida os principais estão relacionados à responsabilidade dos envolvidos.

Existem algumas responsabilidades exclusivas do trabalhador e outras exclusivas do contratante. Para se ter um bom resultado geral na segurança em si é importante atentar para cada um desses detalhes.

Garantindo assim uma resposta eficaz e bastante rápida para imprevistos.

Responsabilidades do contratante

Identificação de locais confinados: Embora os funcionários habilitados através de um curso de qualidade tenham a capacidade de identificar a maioria dos locais confinados, esta é uma atividade que requer maior foco.

Assim o empregador precisa identificar os locais e também assinalar tudo o que for necessário.

Identificar riscos inerentes a operação: Não é de hoje que o trabalho de identificação de riscos se tornou profissional. Assim é importante, e até mesmo obrigatório, que uma equipe especializada em segurança do trabalho esteja ativamente envolvida na atividade de catalogação dos riscos.

Implementar as políticas de segurança e saúde: Saber o que é um local confinado e quais são seus riscos é só metade do caminho. A ideia aqui é criar também uma série de políticas, gestão e procedimentos tanto para prevenção como para resposta de acidentes.

Sendo que uma resposta mal orientada a um acidente pode acabar sendo ainda mais destrutiva do que o problema em si.

Treinamento e capacitação: A empresa precisa fornecer a capacitação e treinamentos constantes dos profissionais. Seja através de um curso NR33 antes do ingresso na função, ou pela manutenção através de um curso NR33 reciclagem.

Seja como for é importante notar que a maioria dos que se aplicam a uma atividade como esta precisam definitivamente de uma revalidação.

Informar sobre os dados do trabalho: Novos espaços confinados podem aparecer, riscos podem ser aumentados ou até mesmo diminuídos. Mas o fato é que a empresa precisa informar diretamente cada profissional de maneira constante para garantir bons resultados.

Disponibilização de EPIs: Todos os equipamentos de proteção individual são de responsabilidade exclusiva da empresa contratante, e devem ser requisitados dela antes do início da atividade.

A falta de fornecimento do material deve imediatamente fazer com que a atividade seja suspensa. Não interessa o tamanho do prejuízo envolvido.

Responsabilidades dos trabalhadores

É importante dizer que os trabalhadores não são pessoas indefesas e que eles também precisam fazer sua parte. Embora o número de suas responsabilidades seja definitivamente menor, são eles que garantem o bom fluxo de trabalho seguro.

Cumprir a norma: Sempre que se está trabalhando em uma empresa o colaborador precisa fazer todo o esforço possível para cumprir a norma reguladora ligada diretamente às suas funções.

Entretanto isto muitas vezes é ignorado, seja por um desconforto ou baixa na produtividade. Embora ele esteja querendo ser mais rápido para ser bem visto, a verdade é que a empresa em si não irá olhar com bons olhos um ato irresponsável.

Até porque este tipo de atitude irá possivelmente acarretar em multas realmente salgadas. Que podem até mesmo justificar a demissão do trabalhador sem uma justa causa.

Cumprir o uso de equipamentos e procedimentos da empresa: Qualquer trabalhador que executa um serviço precisa seguir um número interessante de procedimentos que garantem uma boa produtividade e segurança ao trabalhador.

Sendo assim é importante que a pessoa esteja à disposição para seguir tudo conforme o requisitado. Afinal de contas ela está sendo paga para isso. Principalmente quando falamos de equipamentos de proteção individual, já que um acidente pode envolver mais pessoas do que o normal.

Comunicar situações de risco para seus superiores: A comunicação é algo crucial para a segurança das pessoas. Principalmente quando falamos de equipamentos defeituosos ou situações de risco.

Este tipo de comunicação pode evitar grandes acidentes que nem sempre os técnicos de segurança possuem tempo para prever.

Manter as atitudes coerentes ao aprendido em cursos e treinamentos: Não é de hoje que estou falando da importância do treinamento NR33 reciclagem. Mas sem dúvida nenhuma preciso repetir que se alguma informação está apresentada lá, não é sem motivo.

Importante

Recusar descumprir os requisitos: É comum que alguns locais infelizmente acabem pedindo para que funcionários ignorem as medidas de segurança. Entretanto é responsabilidade dos funcionários recusar a ação desprotegida.

Principais causas de acidentes segundo o curso NR33 reciclagem

É importante notar também que existem diversas causas para que um acidente ocorra. Ele dificilmente vai aparecer por algum fator alheio ao fator humano.

Quase que a maioria das vezes um acidente poderia realmente ser evitado, e assim é crucial que a pessoa realmente faça sua parte para garantir bons resultados.

Aqui está uma pequena lista das principais causas de acidente:

1 – Falta de foco

Trabalhar com a mente em outro local é realmente um perigo. Afinal de contas existem muitas coisas que precisam ser monitoradas enquanto se está em um local confinado.

A exposição a gases tóxicos deve ser a mais curta possível, mesmo com a proteção adequada, e não estar focado na tarefa acaba criando um risco maior que o necessário.

Isto porque pessoas não focadas podem simplesmente demorar mais para fazer procedimentos padrões. E também pode ser um risco para se garantir a boa integridade da pessoa no dia a dia.

Deixar cair um equipamento, fazer o processo de maneira relaxada, ou até mesmo não perceber os arredores pode ser perigoso.

2 – Pressa

A pressa é inimiga da perfeição e também da segurança. Quando se trabalha com pressa, seja para atender algum prazo ou mesmo para querer sair mais cedo do trabalho, alguns problemas vão acontecer.

Isto porque trabalhar com pressa pode diminuir drasticamente o foco, que é o problema relatado no item anterior. Mas também existem vários riscos que podem e devem ser evitados nesta situação.

Um exemplo bastante simples é realizar um reparo de maneira ineficaz só para acabar mais rápido com a situação. Muitas vezes sendo um risco para as pessoas que irão operar a máquina depois de realizado o atendimento.

3 – Imperícia (incapacidade técnica)

Não é de hoje que as pessoas mentem em currículos, e este é um problema grave. Uma pessoa antes de iniciar os seus trabalhos com certeza irão enfrentar situações complicadas até que consigam finalmente se adaptar.

Por isso é importante que as pessoas estejam sempre orientadas de maneira clara e correta pela empresa. Assim como é necessário que o currículo seja bem avaliado.

Fazer um curso NR33 reciclagem muitas vezes é o básico para se prevenir muitas situações complicadas.

4 – Preparação inadequada do local de trabalho

O acesso a locais confinados é realmente um ponto desafiador. A maioria das pessoas nem percebe, mas várias medidas de preparo precisam ser feitas. Como por exemplo isolar o local ao redor.

Também é importante sinalizar que algo está sendo feito, seja por uma fita, cones ou mesmo placas. Tudo vai depender da situação e do local em que está sendo realizado o trabalho.

Assim como é necessário que algumas pessoas estejam envolvidas em todo o processo. Neste caso precisa haver um responsável técnico que analise a entrada e faça um documento de aprovação chamado de PET.

Nenhum procedimento deve ser iniciado sem o uso do PET, que será crucial para a boa manutenção do trabalho em si.

5 – Falta de equipamentos e preparação

Você não deve iniciar um trabalho sem ter as ferramentas necessárias para a execução. Ainda que possa ser feito algum improviso, a verdade é que você precisa ter bastante critério quanto as ações que serão realizadas no ambiente confinado.

Por isso é importante que antes de começar tudo esteja totalmente preparado. Cada ferramenta deve estar separada, principalmente os equipamentos de proteção que não podem ser ignorados.

Antes de haver a entrada no espaço tudo precisa estar em ordem. De outra forma a atividade deve ser interrompida.


Onde encontrar um bom curso NR33 reciclagem?

O trabalho de busca pelo curso ideal pode ser um pouco exaustivo. Afinal de contas muitos dos trabalhos em si serão ligados diretamente à necessidade de se fazer uma reciclagem geral do conhecimento.

Para isto é necessário que o curso também seja completo, assim como o treinamento inicial. Para garantir que as pessoas tenham condições perfeitas para alcançar resultados de qualidade.

A internet provavelmente vai ter um grande número de opções, entretanto para garantir mesmo um bom resultado você precisa de uma boa empresa.

Por isso é importante que ela seja vinculado ao CREA e também tenha profissionais perfeitos, tanto para desenvolver o curso como também para entregar uma boa didática.

Muitos acabam infelizmente investindo em opções que podem até mesmo fazer você gastar dinheiro sem ter uma comprovação necessária. Então cuidado.

Qual o melhor curso NR33 de reciclagem?

Minha opinião vai te guiar diretamente para o curso na Engehall, uma empresa que está por vários anos no mercado entregando qualidade.

Além de ter todas as certificações, eles possuem uma equipe dedicada e de qualidade incomparável para seu treinamento.

Todos os cursos podem ser feitos de maneira online, e alguns também atendem empresas de maneira presencial. Sempre com uma excelente qualidade com resultados incríveis.

O curso NR33 reciclagem ainda está em preparo, mas vale a pena sempre ir atrás de novidades.

Conclusão

Por hoje é isso, espero que estas orientações tenham sido úteis, e que você tenha se alertado sobre a necessidade de manter uma boa segurança no seu trabalho diário.

Estamos aqui para sempre te orientar sobre estes temas, e sem dúvida nenhuma traremos muito mais conteúdo voltado a normas de segurança.

Por isso não se preocupe, qualquer dúvida estamos aqui para resolver, se não for pequeno o suficiente para uma resposta rápida, podemos até mesmo criar um conteúdo extra.

Então para perguntar basta deixar um comentário aqui, ou nos chamar pela página de contato. Assim que der nós responderemos, ok?

Até a próxima dica!

Curso NR18 – Guia Completo Sobre a Norma

Está procurando um curso NR18 de qualidade? Então veio ao local certo. Aqui você vai aprender tudo sobre a norma, além de ter insights incríveis para te guiar na escolha do produto perfeito. Nos acompanhe e tire qualquer dúvida!

Não é de hoje que o ramo que mais cresce no Brasil, independente de qualquer crise, é o ramo da construção civil. Se você quer morar em algum lugar, a construção civil se faz presente. Quer abrir uma empresa? Então vai precisar de profissionais na área.

Seja onde for, parece praticamente impossível se livrar do problema da falta de condições ideais de trabalho. Afinal de contas nem todos se preocupam de verdade com a própria segurança até que um acidente aconteça. E assim fica muito fácil acontecer algum imprevisto.

Pense bem, grandes empreiteiras gastam somas absurdas de dinheiro para conseguir manter seus funcionários seguros e protegidos. A maioria deles chega a ter quase que uma empresa a parte para fazer toda a previsão de danos e ainda mesmo bolar protocolos de trabalho.

Ainda assim todos os procedimentos operacionais do mundo não são perfeitos por si só. É preciso mais, desde o conhecimento c

orreto das ferramentas de trabalho como também dos equipamentos de segurança que facilitam a implementação.

Hoje gostaria de falar principalmente sobre os pontos chave da sua segurança. E acredite, todos eles podem ser encontrados em um só lugar, na Norma Regulamentadora 18.

Este é um material criado para garantir que as pessoas envolvidas na construção civil tenham segurança e qualidade de trabalho. Sendo que muitas vezes é importante até mesmo notar a aplicação como obrigatória, sendo que muitos procuram um curso NR18 para se manterem atualizadas.

Seja você um profissional liberal, alguém com carteira assinada ou procurando trabalho, este é um bom ponto de partida.

O que é NR18?

A Norma Regulamentadora 18 é uma soma de regras, procedimentos e indicações que norteiam as boas práticas do ramo da construção civil. Ela possui peso de lei, então deve ser implementada em qualquer empresa com função de ser uma empreiteira ou atuar na área.

Embora seja mais difícil de fiscalizar, os profissionais liberais também devem estar em conformidade com a norma, assim garantindo resultados de qualidade e com velocidade. Afinal de contas não é de hoje que você vai encontrar problemas com a segurança.

Não é porque um profissional trabalha de maneira mais informal que ele precise de menos segurança. Normalmente o que vemos é exatamente o contrário.

Áreas que abrangem a aplicação da NR18

Aqui está uma lista simples com as principais áreas sob a tutela da NR18. Mas lembre-se, não é uma lista exaustiva.

Outro ponto interessante que precisa ser dito é que basicamente todas as NRs presentes no mercado estão em adaptação constante.

Confira os principais de hoje:

Demolição: A demolição é sem dúvida nenhuma uma das áreas mais perigosas de todo o trabalho da construção civil. Embora você possa resolver muitos problemas sem grandes riscos, há serviços em que todo o cuidado é pouco.

Escavações, Fundações e Desmonte de Rochas: O relevo e a geografia muitas vezes se tornam em desafios reais para uma empreiteira. E assim a melhor saída pode acabar sendo uma escavação ou mesmo criar fundações. Existem até casos mais extremos onde toda a pedra é desfeita.

Instalações Elétricas: A norma NR10 é que vai regulamentar a maioria dos trabalhos com eletricidade. Principalmente aqueles que vão exigir aplicações com alta tensão. Mas vale dizer que como praticamente qualquer construção vai precisar de uma instalação elétrica, é comum que a NR18 legisle sobre o assunto também.

EPIs, EPCs, Máquinas e ferramentas diversas: A segurança precisa andar de mãos dadas com um projeto bem feito. Qualquer curso NR18 vai te apresentar uma série de Equipamentos de Proteção Individual ou Coletiva. E por isso é bom também falar das ferramentas e máquinas em geral. Desde seu uso correto até mesmo situação onde são necessárias.

Andaimes e plataformas: Não é incomum que as construções atinjam alturas impressionantes, e seu acabamento na parte externa pode ser um grande desafio. Entretanto muitos locais acabam improvisando andaimes que mais são um desrespeito para a segurança do trabalhador.

O que é uma empresa de construção?

Segundo a norma não basta apenas que a empresa se adeque a uma dessas áreas. Existe também 5 atividades principais que irão caracterizar uma empresa de construção.

Aqui estão elas:

Demolição: Toda empresa que oferece serviços de demolição, seja esta uma atividade secundária ou principal, na verdade é uma empresa do ramo da construção civil também. É necessário um curso de NR18 para seus funcionários.

Reparo: Obras de reparo também são bastante comuns, principalmente em cidades grandes, onde alguns prédios ou casas podem ter uma idade histórica. Seja qual for a atuação dentro da casa, o serviço também é considerado da construção civil.

Pintura: Claro, estamos falando aqui de pinturas domésticas, no caso de paredes, cercas ou algo semelhante. Embora seja normal encontrar profissionais autônomos, a verdade é que a norma foca em empresas que proveem o pacote completo de serviços, entre ele a pintura.

Limpeza: Os serviços de limpeza não são os gerais, mas a de remoção de entulho ou mesmo de capinar o lote. Seja como for, se uma empresa presta este tipo de serviço, ela está enquadrada como uma empresa de construção civil.

Manutenção: Manutenção é diferente de reparos, pois ela previne algo que ainda não aconteceu. Seu objetivo é manter o prédio, casa, pavimento, urbanização, paisagismo, ou o que for, dentro dos padrões corretos de qualidade.

Assim é possível tirar o melhor proveito para que o barato realmente não saia caro.

Objetivos da Norma Regulamentadora 18

Quando esta norma foi criada haviam objetivos claros na mente dos legisladores. Exatamente por isso vários profissionais foram consultados e o resultado final é a soma de muito trabalho e estudo na área.

É quase espantoso ver o nível de detalhamento que você pode encontrar em uma norma tão simples. Mas é de fato crucial que seja deste modo para se garantir resultados de qualidade para a pessoa.

Todos os principais objetivos da norma em si procuram na verdade atingir um segundo objetivo de segurança. Vamos conferir?

1 – Controle de acesso

É comum que existam vários riscos inerentes ao canteiro de obras. Se você fizer um curso NR18 vai perceber que tudo passa por situações inesperadas. Pode ser algum tijolo que cai, ou mesmo alguma máquina que perde o controle.

Até mesmo quedas e choques elétricos podem ser adicionados à conta. Por isso não é possível que uma pessoa simplesmente entre onde quiser na hora que bem entender. Afinal de contas é necessária a preparação e uso de vários equipamentos de proteção.

Uma obra precisa ter um local onde se certifique que as pessoas dentro dela estão completamente protegidas, sem margem para desculpas. Isto sem contar o trabalho de vigilância constante para garantir que todos continuem seguros.

Infelizmente o descumprimento da norma neste quesito (e os outros apresentados) vão passar por sanções. Estas sanções podem ir desde avisos formais até uma multa mais grave.

2 – Cuidados para os procedimentos

É importante notar que alguns canteiros de obras e demolição receberão atividades mais delicadas. E se você não quer acabar em uma situação ruim, com certeza tem que pensar alguns passos à frente.

Por exemplo, é comum que qualquer construção tenha ligações com algumas redes de distribuição, como energia elétrica, água e tudo o mais.

Agora, imagine demolir um prédio sem devidamente desligara as conexões dele. Indo para o lado mais simples, é possível que a água que não for desligada acabe gerando uma inundação onde seja difícil retirar os escombros.

Além disso podemos analisar o grande desperdício e outras formas complicadas de se resolver este problema. Você pode até mesmo criar uma queda de pressão que atrapalhe o abastecimento de outras casas.

No caso de uma conexão de gases inflamáveis acredito que não preciso nem ao menos me estender, já que parece óbvio o estrago. E a ligação elétrica pode causar grandes perigos.

Por isso, antes de iniciar uma demolição é necessário ter certeza que se desligou qualquer ligação de:

  • Eletricidade;
  • Fornecimento de água;
  • Lixo ou qualquer substância tóxica;
  • Inflamáveis líquidos e gasosos liquefeitos;
  • Canalizações de esgoto.

3 – Infraestrutura de um canteiro de obras

Não é de hoje que algumas obras simplesmente são grandes demais para se fazer em alguns meses. Seja por questão de orçamento ou algo mais, a verdade é que existem empreendimentos que demoram anos para serem concluídos.

E claro, isto irá envolver um número grande de trabalhadores, que muitas vezes podem ser revesados em suas funções. Existem até mesmo locais no mundo onde a obra trabalha de maneira incessante, até ser concluída.

Para que todos os envolvidos estejam bem, com saúde e produtivos, é necessário que exista uma espécie de estrutura de apoio ao trabalho. Esta estrutura pode ser feita através de pequenas edificações, que possuem um caráter provisório, mas que precisam respeitar as normas.

Como por exemplo um alojamento, se a obra for muito distante do local, ou mesmo se alguns dos trabalhadores precisar ficar de plantão. É necessário que haja um local decente para a pessoa poder descansar de maneira eficaz e segura.

Por outro lado um ambulatório é exigido e casos de obras com 50 ou mais trabalhadores. Isto porque pequenos tratamentos podem ser oferecidos de maneira rápida, e você também vai salvar vidas em várias ocasiões.

Outros locais que podem ser exigidos são:

  • Refeitório;
  • Área de lazer;
  • Lavanderia;
  • Vestiário;
  • Banheiros;
  • Cozinha…

Tudo é feito de acordo com a necessidade dos colaboradores, quanto maior o seu número, maiores serão os resultados.

4 – Estabelecer comunicação transparente com os órgãos públicos

Basicamente qualquer obra precisará ser informada com o órgão público responsável. Você poderá contar com 10, 20 ou até mesmo 400 funcionários, mas é necessária uma comunicação prévia com a Delegacia Regional do Trabalho.

Esta comunicação tem como objetivo trazer uma especulação do que será realizado lá, e por quantas pessoas. Isto facilitará possíveis avaliações e inspeções de segurança para se garantir a qualidade do trabalho e da ordem no local.

É importante que seja informado o seguinte conjunto de informações:

  • Endereço completo;
  • Tipo de pessoa (Física, Jurídica ou CGC) do contratante;
  • Modelo da obra a ser feita (construção, demolição ou reparo);
  • Datas previstas para início e fim da obra;
  • Número máximo de trabalhadores previstos na obra.

É interessante notar que alguns destes itens podem variar durante a execução do serviço. Como por exemplo é o caso da data e do número de trabalhadores.

Primeiramente é importante notar que a maioria das obras costuma se demorar um pouco mais do que o planejado. O raro mesmo é a questão da entrega adiantada.

A duração da obra precisa ser informada porque o barulho excessivo e talvez até algum bloqueio de rua podem acontecer. Avisar este tipo de informação é crucial para que possam ser tomadas medidas para prevenir problemas maiores.

Lembrando que embora estas informações sejam especulativas é perigoso utilizar dados falsos. Tanto porque sua obra pode ser embargada como sofrer novas multas.

5 – Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria de Construção Civil

Este é um nome bastante cumprido para um documento, entretanto é extremamente importante para a conclusão da obra. Através dele os órgãos públicos podem fiscalizar melhor obras com 20 ou mais funcionários.

Através dele é preciso dispor tudo sobre o exigido na NR9, ou seja, é importante notar que seja em um curso NR18 ou em qualquer outro, a verdade é que você irá precisar dialogar entre algumas normas regulamentadores de outras áreas.

O PCMAT, que é o nome abreviado deste material, também precisa ficar disponível diretamente no local da obra. Isto facilita todo o processo de fiscalização.

Seu desenvolvimento precisa ser feito exatamente por alguém versado na área. E não pode ser executado por outro e simplesmente assinado por alguém gabaritado.

O empregador é o responsável por implementar tudo conforme o PCMAT, por isso é importante fazer com que ele seja amigável com as condições básicas para aprovação e a empreitada.

6 – Documentos auxiliares ao PCMAT

Existem outros documentos que precisam ser entregues juntos ao PCMAT para que ele seja considerado válido. E aqui vai uma lista dos principais:

Memorial: Este deve ser um documento que lista todas as condições de trabalho e meio ambiente no local de trabalho e atividades. É necessário listar todos os riscos, desde doenças até acidentes. E claro, também precisa ter ações preventivas.

Projeto de execução: Onde devem listar todas as ações e equipamentos protetivos em qualquer uma das etapas de execução da obra.

Especificações técnicas: Relacionadas aos equipamentos de proteção individual e também coletiva.

Cronograma de implantação: neste caso um cronograma focado nas medidas de proteção.

Layout: Tanto o inicial do canteiro de obras, quanto suas posteriores atualizações.

Programa educativo: Um programa de conscientização de doença e acidentes, principalmente levando em conta a aplicação de algum curso NR18, que é crucial para a lei.

7 – Necessário sempre andar em tutela da lei

Ou seja, mesmo que o empregador esteja trabalhando com todos os requisitos necessários segundo a NR18, é possível encontrar alguns problemas para que sua obra esteja funcionando de maneira perfeita.

Isto porque existem outras leis e regras (de âmbito federal, estadual e municipal) que transformam a situação em algo realmente mais delicado. Estar em conformidade com a NR18 não te exclui da responsabilidade legal com outras normas.


Importância do curso NR18

O curso NR18 é essencial para que a empreitada corra bem. Afinal de contas uma equipe de segurança de trabalho não pode ficar o dia inteiro correndo atrás de cada trabalhador para garantir que as medidas estejam sendo cumpridas.

Este curso é incrivelmente importante porque ajuda a pessoa a finalmente conseguir resultados sólidos através da conscientização dos riscos. Como o ramo da construção civil vai passar por muitas pessoas que são autônomas, é normal que se encontre aqueles que são mais autossuficientes.

Estes são os que mais correm riscos, pois ignoram muitos preceitos simplesmente por não sentirem que é necessário. Então o melhor a se fazer é trazer informação de qualidade.

Um curso NR18 bem montado também facilita a compreensão das responsabilidades individuais e coletivas, diminuindo riscos para o trabalhador. Seja ele um autônomo ou então alguém que trabalhe com carteira assinada, é crucial que a pessoa tenha conhecimentos básicos sobre o que está fazendo.

E claro, existe também um aspecto especial da questão de empregabilidade. O curso NR18 precisa ser oferecido pela empresa contratante, mas se o funcionário já possui a qualificação necessária, é mais tentador escolher este funcionário para se contratar.

Isto porque ele não perderá tempo em treinamento de segurança.

Onde encontrar o melhor curso NR18?

Para encontrar um curso de perfeita qualidade é importante ficar ligado nas novidades da Engehall. Esta é uma empresa sólida no mercado, que garante que você tenha resultados incríveis.

O curso ainda está em preparação, mas assim que sair vai ser o grande diferencial para a maioria dos profissionais da área.

Se o seu setor é o da eletricidade, vale a pena conferir o curso de NR10 que eles já têm à disposição. É extremamente completo e possui uma estrutura incrível de execução.

norma nr18

Conclusão

Não é de hoje que o ramo da construção civil tem se aprimorado. E por isso é importante lembrar que a segurança não pode ficar para trás.

Se você quer se manter um profissional relevante no mercado, além de ter maiores garantias de segurança. É importante que você esteja disposto a seguir o combinado, pois ainda assim alguns problemas podem aparecer.

Esta não é uma fórmula mágica para a proteção completa do indivíduo, mas sem dúvida é um dos caminhos mais tranquilos para o sucesso.

Por hoje é isso, espero que este guia tenha sido útil para você. Se houverem outras perguntas estou à disposição nos comentários para responder, ou mesmo na nossa página de contatos, ok?

Até a próxima!

O que é o curso de NR18?

Você sabe o que e curso NR18? Confira aqui detalhes extremamente importantes para o conhecimento pleno de uma das normas mais importantes do mundo da construção civil. Conheça todos os pormenores neste conteúdo.

Não é de hoje que muito da economia se mede através da execução e prestação de serviços. Sem dúvida nenhuma as pessoas estão cada dia mais entendendo que levantar um prédio ou uma casa não é a tarefa mais simples do universo.

É inevitável lutar pelo direito de se ter uma casa confortável, elegante e espaçosa. Mas para que se faça uma omelete, alguns ovos precisam ser quebrados.

O mesmo vale para a construção civil. Não temos mais as mesmas técnicas e ferramentas antigas de sempre, hoje tudo mudou e a tendência é que se modernize de forma constante e rotineira.

Entretanto eu preciso dizer uma coisa. Existe uma saída interessante e inteligente para cada problema novo que possa aparecer. Hoje você pode ter casas e construções em formatos incríveis e em lugares completamente desafiadores.

Só que tudo aparece com um risco. O que antes era basicamente cavar um pouco e então começar a fazer as paredes, hoje pode iniciar com maquinário pesado, e há riscos envolvidos.

Pense bem, prédios de 3 andares até alguns séculos atrás eram considerados verdadeiros arranha-céus. Hoje é possível ter uma casa desse tamanho. A queda é um perigo, coisa que praticamente não existia.

Conforme os desafios para a segurança aumentam, a verdade é que se fez necessário um guia padrão de ações e listagem de equipamentos para garantir a saúde e segurança do trabalhador da construção civil.

Sendo assim foi formada a NR18, uma norma regulamentadora essencial para trabalhadores da área. Sendo que ela deve ser ensinada obrigatoriamente através de cursos dentro da empresa contratante. Vamos ver um pouco mais?

O que e curso NR18?

A NR18 ou Norma Regulamentadora 18 é um dispositivo legal que regula a atuação dentro de um ambiente de construção civil. Segundo a própria norma ela regula sobre condições e meio ambiente de trabalho na indústria da construção.

Ou seja, praticamente qualquer trabalhador envolvido diretamente estará sob tutela de suas disposições. É praticamente impossível uma empresa de hoje em dia da área se manter funcionando sem adaptações bruscas ao modelo indicado.

E como eu disse ali atrás, este é um dispositivo legal, ou seja, a empresa precisa trabalhar de acordo com essa norma. O descumprimento de qualquer índice pode simplesmente acarretar em problemas graves e sérios como multas e interdição do trabalho.

Os trabalhadores que se recusam a obedecer a norma também podem receber algumas medidas corretivas. E muitas vezes isto pode ser um fator de demissão de uma empresa.

Acredite você ou não, mas mesmo que nenhum acidente aconteça, vários empregadores irão demitir funcionários que descumprem esta norma. Isto porque um acidente de trabalho pode ser extremamente sério e caro. Onde muitas vezes é mais caro fazer uma demissão custosa do que simplesmente esperar pelo pior.

Voltando ao assunto da norma, ela vai legislar não somente sobre técnicas, mas também sobre os equipamentos necessários para que o trabalho seja executado de maneira segura.

Sua fórmula pode ser resumida em 5 princípios importantes, vamos dar uma olhada?

5 Princípios fundamentais da NR18

Entenda este princípios não exatamente como regras fixas explícitas, mas uma espécie de resumo que sintetiza os principais pontos da norma. Conhecer eles é essencial para garantir um bom nível de segurança dentro do empreendimento.

Entretanto devo te avisar que para questões legais não é necessário só conhecer estes pontos profundamente. Você vai precisar também de uma certificação de conclusão de curso licenciado. Ou seja, a situação aqui é bastante séria mesmo.

Mas vamos dar uma olhada nos pontos principais antes de falarmos sobre o que e curso NR18.

1 – Permanência no campo de trabalho sem proteção

É necessário que cada colaborador envolvido na obra, ou mesmo cada pessoa presente no local de trabalho, esteja devidamente protegido.

Não deve ser admitida a entrada de ninguém sem os EPIs necessários, ainda que a pessoa em si tenha recusado. No caso de recusa a pessoa deve ser impedida de entrar no local.

Entretanto este princípio também abrange a conduta da pessoa no local. Não basta utilizar os EPIs e simplesmente agir de maneira irresponsável.

Então, caso um técnico de segurança do trabalho, não esteja o tempo todo presente de maneira livre é necessário deixar tudo muito bem explicado.

Principais EPIs da NR18

Aqui está uma lista dos principais Equipamentos de Proteção Individual (EPI) para quem deseja estar em segurança. Embora possam haver variações dependendo do tipo de obra e função, aqui estão listados os que comumente são exigidos para a maioria dos trabalhos.

Capacete: Um dos EPIs mais importantes para este tipo de trabalho. Visto que a maioria das edificações realmente vai ter alguma parte construída com um pouco mais de altura do que uma pessoa. Seja um tijolo ou mesmo uma viga, o capacete adequado irá reduzir substancialmente o impacto.

Protetor auditivo: Recomendado na modalidade do tipo plug. Por ser um ambiente de grave poluição sonora, é importante que se tenha em mente a ideia de que ele pode salvar sua audição no curto, médio e longo prazo. Embora sua variação do tipo concha seja interessante para garantir a saúde de quem fica ainda mais exposto a este tipo de ruído.

Botas: As botas de segurança, também chamadas de botinas de segurança, vão ajudar na proteção dos pés. Entretanto é bom lembrar que muitas vezes são úteis por auxiliar no apoio, evitando se escorregar ou tropeçar. Podem vir com bicos de aço, protegendo contra quedas.

Máscaras: São EPIs básicos, mas que variam de acordo com o trabalho direto da pessoa. Máscaras de poeira irão auxiliar na proteção para evitar inalação de resíduos, como por exemplo o cimento e serragem. Já as químicas conta cimento e química ou qualquer outra substância nociva.

Luvas: São EPIs para proteção das mãos, que variam entre o látex e corrente de metal. As luvas de látex impedem o contato das mãos com substâncias nocivas e que ressecam. As de metal evitam cortes e outras contusões.

Óculos: Proteje os olhos diretamente, sendo normalmente feitos de acrílico. Extremamente úteis, versáteis e de ótima aplicação.

2 – Pode haver legislação adicional

A NR18 não vai trazer exatamente tudo o que é necessário para um ambiente de trabalho da construção civil. Para que você tenha segurança de que o trabalho está fluindo bem, é necessário sempre consultar profissionais especialistas no assunto.

Digamos que você tenha uma construção com alguma altura razoável. A partir de 2 metros, que seja, é necessário seguir as instruções da norma NR12. Ela irá regular o trabalho dos funcionários, mostrando que você realmente pode fazer tudo de uma maneira mais segura.

Então prédios, quando são construídos, estarão sob duas ou mais normas reguladoras. E um dos pontos mais importantes do empreendimento é ter certeza de que tudo está dentro dos conformes.

3 – É necessário aval dos órgãos competentes (o que e curso NR18)

Não é de hoje que o governo mantém em ação seus órgãos regulamentadores. E cada vez mais a estrutura se revalida e aumenta. De fato, é necessário que você esteja completamente disposto a seguir tudo à risca, ou as multas podem aparecer.

Mas ainda que esteja tudo certo ainda é necessário comunicar Delegacia Regional do Trabalho sobre o início das atividades. Entregando as seguintes informações:

  • Endereço da obra;
  • Tipo do empregador ou condomínio;
  • Qual obra será feita;
  • Datas para o início e fim da obra em si;
  • Número máximo de trabalhadores envolvidos.

Estes dados podem variar bastante desde o início da obra. Ela pode atrasar por alguma condição do clima, ou mesmo pode ser necessária a contratação de mais profissionais.

Este é um ramo em que muitas pessoas também procuram um trabalho mais rotativo, então dependendo do tempo é comum que alguns saiam.

O que não pode acontecer é deixar de informar o órgão competente. Assim como não se deve trazer as informações de maneira incorreta já prevendo que você fará um trabalho de má qualidade com dados diferentes.

4 – Estruturas necessárias

Definitivamente não pode haver só o edifício em si no local da construção. Para que tudo funcione de maneira harmoniosa é necessária a presença de outras estruturas de apoio que garantam o bom funcionamento do trabalho.

Ou seja, os trabalhadores precisam de um apoio para garantir o mínimo de dignidade possível. Lembrando que existem fatores cruciais para se destacar como um local liberado para o trabalho.

São estas estruturas:

Alojamento

Principalmente no caso das pessoas precisarem ir para um lugar muito remoto, é necessário haver um alojamento para que os funcionários se sintam confortáveis e tenham onde descansar.

Este alojamento deve ser feito de maneira a proporcionar uma temperatura agradável e condições dignas de trabalho. Entretanto seu tamanho e estrutura irá variar de acordo com as pessoas que irão se abrigar no local.

Pode ser que a construção somente tenha necessidade de abrigar um vigia. Embora irão existir medidas que podem guiar a construção.

Vestiário

Uma coisa é fato, trabalhar na construção civil é também se sujar. Não se sujar com lixo, mas sem dúvida com cimentos e outras substâncias que você encontra no campo de trabalho.

Por isso é necessário que os colaboradores tenham acesso a um vestiário, tanto para trocar suas roupas como para vestir corretamente seus EPIs. Normalmente os vestiários vêm acompanhados de armários para que as pessoas tenham onde guardar os seus pertences durante o trabalho.

Sanitários

Obviamente as pessoas precisam de algum lugar para satisfazer suas necessidades fisiológicas. E embora seja muito comum utilizar a estrutura de banheiros químicos, nem sempre é possível.

Os banheiros devem ser feitos de maneira bem estruturada, garantindo uma qualidade e conforto de uso. E claro, também muita higiene para garantir a dignidade e saúde dos usuários.

Por isso é importante lembrar que normalmente grandes obras irão utilizar também de uma equipe de limpeza. Que está sob as mesmas normas de proteção.

Refeitório

Nenhum trabalhador deve simplesmente passar as normais 8 horas de trabalho sem uma pausa. É normal que você tenha que fazer ao menos uma refeição com um período para descanso.

Entretanto o canteiro de obras nem sempre pode ser considerado o local mais asseado para se fazer suas refeições. Seja por falta de limpeza ou mesmo pelos detritos e poeira, um refeitório é indispensável.

O local pode muitas vezes contar também com microondas ou alguma forma do funcionário esquentar suas refeições.

Cozinha

Existem obras que são tão grandes, que a empresa em si resolve preparar as refeições para os colaboradores. Isto evita gastos maiores com o vale alimentação e também permite que você tenha mais controle sobre o horário.

É comum que muitos desejem voltar até suas casas para a refeição, com o objetivo de economizar. E isto pode acarretar em imprevistos, atrasos e até mesmo morosidade proposital para voltar ao trabalho.

Sendo assim servir refeições torna tudo muito mais seguro.

Entretanto é necessário consultar a norma para entender como deve ser esta cozinha. Lembrando que um nutricionista é necessário para garantir bons resultados.

Ambulatório

Acidentes podem acontecer. Mesmo que a empresa e os funcionários tenham tomado todas as medidas e precauções necessário, algo sempre pode dar errado. Então a melhor saída para ambos é garantir que você tenha um local para atender de imediato o acidentado.

Embora alguns acidentes sejam mais leves, é cruel negar ajuda. Pense que um trabalhador teve um corte, ou mesmo uma unha arrancada. O mínimo que ele precisa para continuar trabalhando é de um curativo.

Sem contar o fato de que uma equipe especializada poderá prestar um auxílio mais eficaz e avaliar se realmente o trabalhador está em condições.

Lembrando que também podem haver casos muito sérios, onde poucos minutos (e até segundos) podem fazer a diferença entre a vida e a morte. Saber o que e curso de NR18 é essencial.

Mas é preciso dizer que esta estrutura só é exigida caso a obra tenha 50 ou mais funcionários.

Área de lazer (o que e curso nr18)

Os momentos de descanso precisam ser realizados em um local que seja realmente restaurador. Por isso é importante uma área de lazer que proporcione um momento adequado para o funcionário.

Algumas empresas até mesmo separam um local maior para poder possibilitar uma prática de esporte depois do expediente.

Porém é necessário que tudo siga à risca os passos necessários.

Lavanderia

Pode ser interessante para as empreiteiras separar um local que seja destinado à limpeza dos uniformes. Isto faz com que ela tenha condições de manter os materiais entregues aos trabalhadores sempre em boa forma.

Garante uma imagem melhor para a empresa, facilita a vida do funcionário e ainda permite economia em muitos casos.

5 – Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria de Construção Civil (PCMAT)

Quando a empresa conta com 20 ou mais funcionários é necessário que seja formulado o PCMAT. Um documento que também estará prevendo situações de risco, como por exemplo as contempladas na NR9.

Este é um material que deve ser levantado por um funcionário capacitado, sendo normalmente parte de uma equipe técnica. Para alguns é interessante terceirizar esta parte, garantindo todo o funcionamento de maneira adequada.

Isto é parte básica para se entender o que e curso nr18.

Qual a importância do curso de NR 18?

Existem vários motivos pelos quais a pessoa deve entender bem o que é curso NR18. Primeiramente é necessário entender que este curso é importante porque evita situações de riscos reais.

É comum que a maioria das pessoas acabe encontrando um problema durante o trabalho, e seguir os protocolos pode evitar o problema ou mesmo diminuir o dano.

Além disso é importante lembrar que esta norma é obrigatória e tem peso de lei. A empresa não vai querer ser responsabilizada por um funcionário que age de maneira inconsequente e infantil.

Por outro lado também existe a vantagem da facilidade de encontrar emprego. Isto acontece porque este curso é de obrigação da empresa contratante fornecer, e isso irá não só gerar um custo, como também um período de tempo até que o funcionário esteja certificado.

Então a saída principal é que se você já estiver capacitado, provavelmente a escolha entre você e uma pessoa que não possui o curso será facilitada.

Onde encontrar o curso nr18?

Existem vários locais disponibilizando este tipo de curso. Entretanto é necessário que você faça uma escolha inteligente para não sair com prejuízo.

Acredite, existem pessoas que criam empresas e cursos falsos só para se aproveitar da sua boa vontade. E embora seja possível que este curso contenha tudo o que é exigido por lei, ele ainda precisa ser validado para funcionar.

Então minha dica é que você procure bem antes de comprar. O barato pode sair realmente caro.

Se você realmente quer um curso NR18 de qualidade, eu recomendo o curso da Engehall, que em breve você poderá encontrar com muita qualidade.

Seu lançamento já está quase com a data prevista, basta acompanhar nossos conteúdos.

Conclusão

Então por hoje é isso, espero que você tenha entendido tudo sobre o principal do assunto. Embora existam problemas que ainda farão ela mudar, é necessário começar sua capacitação hoje.

Qualquer dúvida sobre o assunto estou mais do que feliz para te orientar. Basta entrar em contato pelos comentários ou mesmo pela página de contato.

Confira também nosso conteúdo no Youtube, Facebook e Instagram.

Até a próxima dica!

Normas Regulamentadoras Guia completo

Normas regulamentadoras são assuntos extremamente relevantes para quem está envolvido no mercado de trabalho. Confira aqui os principais aspectos sobre o assunto.

Não é de hoje que o mundo da produtividade vem se modernizando. Quem estudou história de um jeito mais profundo pode ter percebido que momentos como a grande revolução industrial realmente impuseram condições complicadas aos trabalhadores.

Por exemplo, não era incomum um operário ou minerador manter seu trabalho por 12 ou 14 horas por dia parando só uma vez por semana. E às vezes sem nem menos poder ter alguma folga.

Alguns tentam ligar o fim dos problemas desta exploração laboral ao trabalho das greves e sindicatos, mas embora eles tenham o seu valor não foi bem assim.

O que realmente decretou condições de trabalhos melhores foi a mente de pessoas como Henry Ford, que compreenderam que um trabalhador descansado rendia muito mais do que um que se dedicava o dia todo.

Era melhor ter alguém com uma rotina de 40 horas semanais do que alguém com mais de 80.

A produtividade foi então o fator de muitas mudanças. E mais recentemente ela foi encontrada também dentro dos fatores de segurança.

Quando você tem um trabalhador protegido, você produz mais, mais rápido e muito melhor.

Sendo assim surgiram uma série de dispositivos legais que buscam ajudar aos trabalhadores a terem melhores condições de vida. São as chamadas normas regulamentadoras.


O que são Normas Regulamentadoras?

Normas regulamentadoras são dispositivos legais que ajudam a dar uma diretriz profissional a vários ramos de trabalho que possuem riscos inerentes à profissão.

Ou seja, se você corre um risco por executar seu trabalho ainda que todas as medidas de segurança seja tomadas você vai precisar de alguma NR (Norma Regulamentadora) para orientar a situação.

Elas foram criadas originalmente pelo antigo Ministério do Trabalho e Emprego, e são constantemente atualizadas de acordo com as necessidades atuais. Seu objetivo é garantir a segurança e a saúde do trabalhador.

Então não só os acidentes, que são situações que acontecem em um curto prazo, são cobertos. Vários problemas que são desenvolvidos com o passar dos anos também são relevantes para elas.

Como por exemplo a própria postura no jeito de se trabalhar. Algumas profissões podem exigir uma postura um pouco mais desconfortável ou desaconselhada. Neste caso o ideal é que a pessoa utilize a cabeça e não corra o risco de causar uma lesão, que pode demorar até alguns meses ou anos para surgir.

A Lesão por Esforço Repetitivo (conhecida como LER) também é um destes problemas mais comuns que podem ser considerados como um risco.

Seja como for, toda norma reguladora encontrada é essencialmente obrigatória. Não cumprir seus requisitos não só é uma violação à segurança, saúde e bem-estar do trabalhador, mas também um erro passível de multa.

Foco das Normas Regulamentadoras

Existem objetivos e focos claros com a criação de cada uma dessas normas. A maioria delas está totalmente voltada a estes 4 principais pontos:

  • Dar e garantir integridade na saúde física e psíquica de cada um dos seus colaboradores;
  • Definir todos os possíveis procedimentos de prevenção de acidentes;
  • Definir todas as possíveis medidas de proteção coletiva e individual;
  • Promover amplamente todas as políticas de saúde e segurança no trabalho nas empresas nacionais;
  • Regulamentação diretamente ligada à saúde, segurança e também para a medicina do trabalho.

Conforme a tecnologia muda, as diretrizes também precisam se mudar para alcançar estes objetivos. Afinal de contas novos riscos surgem. Podendo surgir também novos equipamentos de segurança, protocolos eficientes e tratativas de situações.

A própria resposta ao acidente é sempre algo tão necessário quanto as medidas que são criadas para impedir o possível problema.

Afinal de contas os problemas podem acontecer, porém existem saídas que evitam que ele se torne algo muito maior do que o era para ser.

Quais as principais NRs hoje em dia?

Podemos listar um número de normas reguladoras que já estão batendo na casa das 40. O que realmente não é uma marca tão animadora para quem deseja conhecer tudo.

Mas estou deixando aqui uma marca das mais utilizadas no mercado de trabalho. Assim você pode ter certeza de que está apto a reconhecer o que é necessário para adequar sua empresa ou mesmo se preparar previamente.

Porém é importante dizer que a resposta certa de quais são as normas regulamentadoras essenciais para o seu trabalho estão diretamente ligadas à sua empresa só pode ser dada por um técnico profissional reconhecido.

NR 1

Esta é sem dúvida nenhuma a norma mais importante, pois é necessária para praticamente qualquer empresa. Se você tem um ambiente de trabalho com pessoas contratadas, então vai precisar que ele esteja adequado à NR 1.

Ela vai versar principalmente sobre os aspectos de segurança do trabalho e medicina do trabalho. Seja qual for o ramo do estabelecimento todas as empresas precisam ser ajustadas à ela.

E não estamos falando só de empresas públicas, as empresas privadas e de órgãos públicos também.

Alterações recentes da NR 1

Recentemente a norma passou por atualizações assim como a maioria das outras. Seus principais destaques alterados envolvem a questão de problemas ocupacionais.

Afinal de contas lesões por esforço repetitivo, stress, síndrome do pânico são riscos que se desenvolvem ao longo dos anos em vários ambientes de trabalho. E são dificilmente fáceis de se detectar no início.

A ideia é ajudar que os ambientes de trabalho sejam menos tóxicos, mais saudáveis e produtivos. Sempre em um ambiente de respeito e apoio.

Uma outra atualização vou a criação de ferramentas para auxiliar os pequenos empreendedores. Que são os que mais sofrem com taxas e pesadas regulamentações.

NR 2

Esta é uma norma que foi bastante complicada, mas realmente uma das mais abrangentes do mercado. Ela previa a inspeção prévia para a abertura de qualquer estabelecimento.

Esta era uma responsabilidade do ministério da economia, e desde 1983 fez parte da implementação de quase todos os pequenos negócios do país até os maiores.

Entretanto foi revogada no ano de 2019, um passado muito recente.

Embora isto não signifique que não haja nenhum tipo de vistoria. Vários ramos da profissão ainda vão exigir uma visita técnica e provavelmente podem receber fiscalizações sem avisos prévios por diversos motivos.

Sendo assim o ideal é estar sempre de acordo com a lei. Principalmente nestes casos onde o bom cumprimento afeta positivamente o andamento de todos os trabalhos.

NR 5 (Normas Regulamentadoras CIPA)

A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (comumente abreviada como CIPA) é uma comissão especial responsável por todos os assuntos de segurança.

Ela é composta principalmente por profissionais habilitados na questão de segurança de trabalho. Mas é bem comum ver membros diretamente ligados ao serviço administração.

Isto se deve ao fato de que ela é responsável por agendar os eventos e reuniões que vão tratar do assunto da segurança do trabalho e saúde.

Eles também devem constantemente se envolver nas questões de segurança, além de garantir todas as documentações em casos de acidentes.

É obrigação deles fiscalizar sempre que possível os colaboradores e os processos, verificando se existe algo que está completamente fora da operação pretendida.

A composição consiste de um presidente e vice presidentes. Obrigatoriamente o presidente será o empregador, mas os funcionários ou representantes precisam atuar também como os vice presidentes.

Resumindo as principais informações da CIPA encontramos:

  • Verificar a qualidade dos EPIs, EPCs e qualquer outro equipamento de segurança fornecido pela empresa;
  • Verificar o uso de modo correto dos EPIs, EPCs e equipamentos de segurança em geral por parte dos funcionários;
  • Inovar sempre através de planos ou mesmo ideias visando trazer melhores condições para a rotina e para o ambiente de trabalho;
  • Criar e definir possíveis medidas para melhorar a prevenção de acidentes de trabalho.

Em suma, com uma CIPA bem montada a empresa passa a ter uma segurança muito mais robusta.

Entretanto pode parecer inviável fazer isto para empresas muito pequenas. Sendo assim só as empresas com mais de 20 funcionários são obrigadas a criar uma.

Norma Regulamentadora 06

Esta também é uma das normas realmente mais famosas para a maioria dos profissionais e empresas. Através dela é possível atestar a necessidade do uso de EPIs, os famosos Equipamentos de Proteção Individual.

Através dela é realmente necessário ter cuidados para definir não só a seleção dos equipamentos que serão utilizados em trabalhos rotineiros. Mas também ajudar para que as pessoas consigam entender sua importância.

Então é aqui também que estão listados compromissos relacionados ao treinamento e capacitação dos funcionários.

NR 7 – PCMSO (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional)

Esta Norma Regulamentadora se preocupa com o PCMSO, que busca orientar os procedimentos da medicina de saúde ocupacional.

Ou seja, se você está constantemente exposto a um ambiente que pode causar algum tipo de problema no longo prazo, é necessário fazer o acompanhamento através de exames.

Assim muitos problemas podem ser prevenidos antes de chegarem a um ponto irreversível. Como por exemplo é o caso da audição.

Quem trabalha em um local barulhento pode até sair no final do dia com alguma dificuldade para ouvir. Mas logo retorna à sua capacidade normal.

Acontece que com o tempo a audição vai sendo comprometida, e muitas vezes a pessoa não possui nenhuma consciência disso. Só irá perceber quando o quadro for grave.

O mesmo pode ser dito para problemas respiratórios e o estresse. Quanto mais precisos e constantes forem os exames, maiores as chances de recuperação.

Mudança importante

Antigamente a empresa era responsável por fazer todos os exames às suas custas. O que tornava todo o processo oneroso, desnecessário e desestimulava o emprego.

Assim foi publicado no DOU que somente seria necessário fazer exames de problemas relacionados à profissão em si. Deixando todo o custo muito mais leve para os empregadores.

NR 09

Esta é uma norma bastante específica, e trabalha as questões de riscos ambientais. Ou seja, aqueles riscos que são levados em conta através das atividades no local de trabalho.

Pode ser uma questão direta, por exemplo, com uma situação de pressão atmosférica enorme. Ou então mesmo uma situação de radiação ionizante.

Mas os riscos variam das mais incríveis formas, que podem ir desde poeira até agentes químicos contaminantes. O que for um problema encontrado só em ambientes específicos será listado aqui.

NR 10

Esta é uma norma particularmente querida da empresa Engehall, que hoje possui o curso de NR10 mais completo e atualizado de todo o país.

A norma em si trata de trabalhos que envolvem instalações e fontes de eletricidade. Ou seja, algo que irá envolver desde o eletricista até o engenheiro elétrico.

Qualquer que seja o trabalhador de uma rede de distribuição de energia, ou mesmo que for operar algo com tensões relevantes, é importante ter conhecimento amplo desta norma.

Mas vale dizer também que este é um trabalho que embora seja seguro, inspira muitos cuidados. Por isso ela em si trata dos principais EPIs e das necessidades de fazer protocolos e operações previamente definidos.

Talvez seja uma das mais extensas do mercado, mas com certeza é uma das mais relevantes para profissionais da área. Afinal de contas é muito difícil conseguir algum resultado quando você ignora as necessidades básicas de um currículo deste nicho.

Assim, se você quiser dar uma olhada no melhor curso disponível da área, clique aqui.

NR 15

É normal que alguém tenha que fazer todos os trabalhos que vão envolver o lixo e esgoto de uma cidade. Não tem como todo mundo simplesmente acumular tudo na porta de casa e sair queimando.

Sendo assim esta é uma norma que irá cuidar do trabalho dos diretamente envolvidos com este tipo de trabalho. Onde muitas vezes sua saúde corre risco diariamente.

Talvez você não saiba, mas lixeiros se deparam constantemente com objetos cortantes e perfurantes escondidos em sacolas de lixo. Isto pode acarretar acidentes que muitas vezes resultam em contaminações ou infecções sérias.

Então esta norma busca fazer um tratamento que seja totalmente seguro e a prova de falhas. Utilizando EPIs e até mesmo protocolos que garantam um bom resultado final.

Normas Regulamentadoras sobre ergonomia (NR 17)

Com o avanço da tecnologia começaram a surgir trabalhos cada vez mais sedentários. O que é em si um problema real para muitos.

Do que adianta não sofrer riscos de choques, quedas, impacto ou esmagamento se você aos poucos está martirizando sua postura?

Vários destes problemas podem ser utilizados com cadeiras de qualidade, protocolos de descanso, orientações sobre postura, etc…

O que não falta são medidas de prevenção, que podem ser encontradas amplamente representadas nesta norma.

NR 23

Embora sejam cada vez menos comuns, devido ao padrão de engenharia e arquitetura, a NR 23 traz informações e regras importantes para a prevenção e resposta a incêndios.

Quem já presenciou um incêndio fora de controle sabe como a situação exige cuidados sérios e é extremamente perigosa.

Sendo assim as recomendações trazidas pela norma precisam estar sempre seguindo à risca o que for necessário. Só deste jeito será possível evitar ao máximo que algo do tipo aconteça, e se acontecer que o dano seja mínimo.

Algumas das atitudes estão totalmente voltadas para a aparamentação do local de trabalho. Onde se deve ter equipamentos de combate ao fogo, como por exemplo extintores de incêndio, que devem constantemente serem trocados assim que atingem a validade.

O conhecimento das origens de chama ajudam tanto na prevenção como no combate. Por exemplo, um fogo de origem elétrica não é combatido do mesmo jeito do que um fogo químico.

NR 24

Não é porque o ambiente de trabalho está exposto em um local bem mais higiênico do que um central de tratamento de esgoto ou mesmo de lixo que você deve descuidar da higiene.

Esta norma busca trazer uma saída relevante e segura para se manter o local de trabalho bem mais organizado e limpo. Assim envolverá aspectos importantes que vão desde hábitos saudáveis e higiênicos até mesmo a posição de cada ambiente para limpeza e troca de vestimentas.

Normas Regulamentadoras rurais (NR 31)

Esta é uma das normas regulamentadoras que irá trazer soluções para questões mais isoladas, em âmbito florestal ou rural. Afinal de contas ambientes remotos oferecem riscos únicos, e podem ter um problema extra na hora de se prestar socorro.

Uma empresa de cidade grande pode acudir e levar um funcionário para o hospital em questão de poucos minutos. Entretanto existem aqueles que precisam trabalhar em locais mais reclusos. Sendo assim o resgate pode demorar até mesmo horas.

Ter protocolos definidos é essencial em cada um destes casos.

Conclusão

Então, como podemos ver, as normas regulamentadoras são de extrema importância para a exata preservação da qualidade de vida do trabalhador.

Isto resulta em excelentes impactos positivos tanto para ele quanto para a empresa em si. Afinal de contas um trabalhador com lesões ou mesmo afastado não produz nada.

Sem contar os que infelizmente nunca mais voltam ao trabalho, seja por uma incapacitação ou algo pior. Estes precisarão ser substituídos, e o capital humano não é algo que se repõe de maneira fácil.

Então seguir as orientações sempre é uma das melhores garantias para quem realmente precisa ter resultados reais em sua empresa.

Por hoje é isso, espero que estas orientações tenham sido esclarecedoras e te ajudem a ter bons frutos na sua carreira ou empresa. Entretanto se ainda ficou alguma dúvida, não tem problema, basta entrar em contato pelos comentários ou por nossa página de contato.

Até a próxima dica!

Curso NR20 – Guia Completo Sobre a Norma

Escolher um curso NR20 pode ser um desafio um pouco mais badalado do que parece. Entretanto é realmente crucial que a pessoa esteja preparada para enfrentar a maioria dos desafios de um trabalho com inflamáveis.

Trabalhar com produtos perigosos está cada vez mais comum, afinal de contas desde os produtos tóxicos até os inflamáveis, todos fazem parte de nossas vidas. E não tem escapatória.

Um frentista, por exemplo, é um profissional que está diariamente exposto a este tipo de produto, e inevitavelmente vai correr riscos em sua profissão.

Mas até que o combustível chegue ao posto em si várias outras pessoas serão envolvidas neste processo de distribuição. Então é possível que muitos acabem sendo envolvidos em uma real situação de risco do mesmo grau ou pior.

Sendo assim a maioria das empresas do ramo conta com uma série de protocolos, ações e até mesmo estudos que vão prevenir os possíveis acidentes de trabalhos envolvendo estes produtos.

Acredite você ou não, mas aproximadamente a cada 4 horas um acidente de trabalha é reportado em nosso país. Isto sem contar os casos encobertos e aqueles que são evitados por um bom procedimento preventivo.

Parece que a guerra pela segurança do trabalhador realmente ainda vai muito longe. E você não deve de jeito nenhum andar descuidado ou deixar para que terceiros tomem conta das suas decisões.

A Norma Reguladora 20, ou NR20, foi criada exatamente para tratar destes assuntos. E hoje gostaria de trazer um guia completo sobre tudo o que você pode encontrar para finalmente se manter capacitado. Vamos conferir?

O que é NR20?

NR20 é um dispositivo legal que regula as atividades que envolvem líquidos e substâncias inflamáveis e combustíveis. Seu objetivo é proteger os trabalhadores que são expostos aos seus riscos envolvidos em qualquer etapa do trabalho.

Assim não é necessário que a pessoa esteja só presente na distribuição final no próprio posto de gasolina. Ela estará sujeita à norma também nas etapas de:

  • Extração
  • Distribuição
  • Refino
  • Beneficiamento
  • Envazamento
  • Movimentação
  • Venda
  • Etc…

O que são as substâncias sob o controle da norma?

É importante notar quem nem tudo estará funcionando sob o controle completo da norma. Cada coisa terá seu ponto de fulgor, que é uma medida crucial para saber se esta é ou não uma substância de risco.

O ponto de fulgor é a menor temperatura de algo, seja líquido ou sólido, onde os vapores diluídos no ar da atmosfera vão ter uma reação de combustão assim que receberem uma fonte de ignição.

Basicamente podemos considerar a fonte de ignição como uma chama ou centelha.

A partir disso podemos retirar outras medidas importantes para a norma, como por exemplo os líquidos inflamáveis, que são aqueles com ponto de fulgor menor ou igual a 60 graus Celsius.

Já os líquidos combustíveis são aqueles com o ponto de fulgor maior que 60 e menor ou igual a 94 graus Celsius. Os gases inflamáveis são aqueles que vão ter a combustão no momento em que atingirem 20 graus Celsius a 101,3 kPA.

Estas podem ser medidas um pouco técnicas, mas vale a pena ter anotado para possíveis referências, nunca se sabe.

Atitudes de segurança segundo a NR20 (normalmente não cobertas em curso NR20)

É normal que a norma traga algumas importantes considerações que mantenham a saúde do colaborador sempre em ordem. Tem quem queira realmente trazer uma visão mais voltada a acidentes, mas as coisas não param por aí.

Ao ver qualquer curso NR20 de qualidade, digo isto porque nem todos cobrem esta parte, é importante notar que a saúde e bem estar do trabalhador estão em jogo.

Uma substância inflamável normalmente vai liberar gases que são tóxicos, assim como podem ser extremamente voláteis. Ou seja, ao entrar em contato com a pela e a mucosa o corpo pode antes de mais nada ressecar.

E no caso da toxidade ser alta a pessoa pode sofrer imediatamente efeitos sérios no âmbito neural.

Só que estes problemas não aparecem no curto prazo. Eles vão surgindo a partir do médio e longo prazo. Você começa a sentir a mão e a pele mais ásperas durante algumas semanas, ou então sofre uma leve dor de cabeça que só aumenta a intensidade.

Com o tempo estes pequenos efeitos negativos se acumulam em algo muito maior e mais perigoso, que eu realmente não recomendo para ninguém.

Então alguns hábitos de segurança podem ser essenciais:

Hábitos para responsáveis pela limpeza

Quem irá manusear de forma indireta os resquícios de produtos precisa aprender a não ter contado direto com a pele e mucosas. Embora seja fácil sentir o problema se uma gota de gasolina atingir seu olho, não vai ser tão perceptível se o mesmo acontecer com a pele da mão.

Ainda mais se estamos falando de uma gasolina misturada com a água do chão de um posto. Ou então pode até mesmo ser o óleo de um motor do carro de um cliente que estava vazando.

Quem está responsável pela limpeza deve antes de mais nada usar um calçado fechado impermeável, além de óculos de proteção e luvas.

Sua calça deve ser preferencialmente cumprida assim como as mangas de sua camisa. Garantindo que o mínimo de substâncias toquem a pele.

Hábitos para os frentistas e quem trabalha com distribuição

Todos aqueles que vão estar diretamente ligados com a distribuição precisam tomar um cuidado direto. A área mais conhecida entre todos é a dos frentistas, mas podemos colocar vários outros profissionais, até mesmo do transporte.

Então ao fazer este serviço você tem que utilizar no mínimo as luvas de proteção e um aparelho que ajude na filtragem da respiração. Lembra que eu falei lá atrás dos gases tóxicos que podem ser respirados? Então, esta é a etapa em que eles costumam atuar.

Qualquer curso NR20 que você encontrar no mercado precisa no mínimo trazer uma quantidade de informações razoáveis para que você consiga separar os EPIs necessários.

Hábitos para quem faz a troca de lubrificantes

Até mesmo os profissionais da mecânica estarão passíveis de enfrentar várias normas, entre elas a NR20. Então uma das coisas que eles irão aprender diretamente lá é a importância de fazer com que durante a troca sua pele esteja protegida ao menos com luvas.

Também é interessante o uso de cremes para que não se perca a hidratação e proteção natural da pele.

Resumo dos principais EPIs utilizados na NR20

São vários os equipamentos de proteção utilizados, mas a maioria deles vão variar de acordo com a área de atuação do colaborador.

Estou deixando aqui um exemplo dos principais, aqueles mais repetidos para garantir uma segurança exemplar para quem irá trabalhar na área.

Óculos de proteção: 

Estes são dos EPIs mais básicos e de uso universal que você vai encontrar por aí. Através deles é possível proteger a visão de maneira competente, evitando ficar desorientado por algum projétil que se dirija ao globo ocular.

Praticamente qualquer trabalhador em quase qualquer nível de risco necessita utilizar ele. Seja para evitar impactos ou a contaminação através de substâncias.

Máscaras de proteção respiratória: 

Um dos principais problemas de quem trabalha com líquidos inflamáveis e combustíveis é sem dúvida a qualidade do ar que se respira. Como você já deve saber a maioria do que entra nos nossos pulmões não é oxigênio puro.

Tudo o que se mistura no ar entra com o oxigênio, e muitas vezes é absorvido primeiro. Então caso tenham gases tóxicos no meio é possível se contaminar. Este tipo de máscara previne esta situação.

Luvas de segurança: 

As luvas de segurança permitem principalmente a proteção da pele das mãos. Evitando assim que aquela substância que pode desidratar a pele. Assim como também pode ser mais fácil de retirar caso haja o início de uma chama sem que a pele seja afetada.

Entretanto também serve como uma garantia de apoio, fazendo com que a mão tenha mais firmeza e não deslize. Isto por si só haje como outro meio de prevenir acidentes.

Calçados de segurança: 

Os calçados também vão agir com função dupla. A primeira aqui será entregar um isolamento dos pés à substância que pode ser danosa à pele. Mas também são excelentes para garantir uma aderência ao solo.

Assim diminui-se os riscos de alguém escorregar ou tropeçar.


Prontuário da NR20 (Curso NR20)

Um dos pontos mais importantes da norma é que você precisa definitivamente ter vários documentos à disposição. A maioria deles, praticamente todos, são elaborados pelos responsáveis técnicos da empresa.

Então é seguro dizer que se você empreende nesta área é necessário ter um técnico de segurança do trabalho ou senão contratar uma empresa especializada.

Pode parecer um pouco chato e enfadonho ficar levantando uma lista enorme de documentos. Realmente não é a coisa mais gostosa do mundo e pode até parecer um dinheiro jogado fora.

Mas só quem já teve um colaborador que sofreu um acidente grave entende a importância deles. Assim como são necessários para manter quem você protege seguro, também é uma defesa contra grandes processos que você terá poucas chances de ganhar.

O prontuário da NR20 é nada mais nada menos do que o conjunto de todos os documentos necessários para que a norma esteja garantida. Aqui está um breve resumo de cada um:

Projeto da Instalação

Entenda por instalação como todo o local onde a norma será aplicada. Desde a sua entrada e principalmente onde as substâncias serão manuseadas.

O projeto deve conter o tamanho do local, assim como uma planta completa e detalhada mostrando onde cada coisa deve permanecer. Realmente não é uma tarefa fácil, necessitando muitas vezes de um trabalho conjunto do engenheiro responsável.

Procedimentos Operacionais

Para que um trabalho seja considerado seguro é de extrema importância que todos estejam de acordo com as práticas estabelecidas. Até mesmo o trabalho de um frentista precisa seguir passos de atuação seguros.

Ninguém em sã consciência resolveria fazer uma guerrinha com as mangueiras de um posto como se o combustível fosse água. Mas acredite, é bem provável que a maioria não faça isso pelo custo, porque a segurança para alguns é mero detalhe.

Quando há um passo a passo a ser seguido você estará garantindo que a pessoa não vai simplesmente fazer as coisas de qualquer jeito, improvisadamente. Tudo foi elaborado por alguém que conhece o trabalho e sabe que aquele é o modo mais produtivo e seguro.

E isto precisa estar listado e com fácil acesso para os profissionais.

Plano de Inspeção e Manutenção

O objetivo deste plano é criar uma rotina para que haja uma inspeção constante de toda a instalação sob a qual a norma está adequada. Se necessário várias manutenções devem tomar curso e serem implementadas para garantir o bem estar das pessoas presentes.

Não é uma das tarefas mais fáceis e rápidas, e pode realmente ser um pouco custoso para a equipe de segurança. Mas não só evitará acidentes, como também custos na produtividade.

Análise de Riscos

O nome deste documento já em si bastante autoexplicativo. A análise de risco fará um levantamento dos possíveis problemas que podem levar a algum acidentes de trabalho no futuro.

Sejam eles riscos leves, moderados ou graves, nenhum deve ser ignorado. Se necessário é importante rever constantemente, principalmente se ocorrer algum acidente com algum destes riscos não previstos.

Plano de prevenção e controle de vazamentos, derramamentos, incêndios e explosões e identificação das fontes de emissões fugitivas

Este é um dos que possui o nome mais compridos por aqui, e também é um dos que mais tem importância.

Afinal de contas imprevistos podem acontecer e um acidente pode simplesmente tomar curso de um momento para o outro.

Assim fica realmente difícil tomar alguma medida de proteção eficaz se você tiver que improvisar na hora. Por isso é importante que haja um plano de contenção para tudo, assim como parte da equipe treinada como brigadista para garantir a segurança.

Certificados de capacitação dos trabalhadores (Curso NR20)

Fazer um curso NR20 se torna crucial se a empresa realmente deseja uma validação pela norma. Então é necessário ter em mãos sempre todos os certificados.

O ideal é que você tenha eles de maneira física além dos digitais, todos anexados ao seu prontuário. Assim você garante que não passará por problemas.

Acredite, as multas para quem trabalha na área sem certificação, ou então com a certificação vencida são altas. Podem chegar, por exemplo, a quase R$ 9000,00 por funcionário.

Dependendo da empresa e do número de funcionários isto realmente não será tão fácil de resolver do dia para a noite. O melhor é não arriscar.

Análise de Acidentes

Se existe algo pior do que errar é não aprender com os seus erros. Assim é crucial que cada acidente, pelo menor que ele for, seja catalogado.

Às vezes acidentes maiores começam com alguns menores como por exemplo um escorregão. Tudo pode se desencadear em um breve momento. E é comum que algo que já poderia ter sido corrigido infelizmente traga problemas sérios.

O fato é que com tudo documentado tanto a empresa quanto os colaboradores ficam protegidos para saber quem realmente vai ser culpado sobre algum problema.

Plano de Resposta a Emergências

Este é mais um exemplo de documento que pode salvar vidas. Aqui são feitas provisões e planos para casos que não podem ser imaginados no dia a dia.


Por que fazer um curso NR20?

Um curso NR20 é crucial para aqueles que querem se desenvolver como bons profissionais. Infelizmente nem todos estão realmente se importando para este tipo de coisa.

Este curso é obrigação da empresa, ou seja não acarreta nenhum tipo de custo para o profissional. Se você é dono de um estabelecimento precisa pensar em fazer ao invés de simplesmente cobrar.

Assim como também pode ser importante para a maioria das pessoas pensar em alguns pontos, como por exemplo a possibilidade de realocação profissional. Deixe me explicar.

Embora a empresa seja obrigada a pagar o curso NR20 é comum que vários profissionais vão atrás dele por conta própria.

Isto acontece porque ninguém do ramo afetado pela norma pode começar a trabalhar antes de receber o certificado. Empresas realmente contratam em momentos de muito desespero, e esperar uma capacitação pode ser um tempo que elas não possuem.

Assim escolher um profissional já certificado facilita muito o trabalho.

Isto não significa que não haja necessidade de repassar o conteúdo dos procedimentos operacionais ou reciclagens. Mas é um adianto.

Qual o melhor curso NR20?

Esta é uma pergunta interessante e realmente merce uma reposta. Afinal de contas na internet existem várias pessoas, e até mesmo empresas, que realmente estão preocupados em fazer lucro através de ações bastante desonestas.

Muitos vendem um curso com certificados inválidos, outros entregam cursos que mesmo com o certificado válido podem não garantir um aprendizado decente ao seu profissional.

Sendo assim minha recomendação é que você esteja atrás de um curso de uma empresa que seja filiada dos principais órgãos de fiscalização e regulamentação, como por exemplo o CREA.

Assim a principal recomendação seria a Engehall, que por mais de 10 anos está no ramo de cursos de capacitação e profissionalizantes.

Em breve eles terão um curso NR20 completo, basta aguardar.

Conclusão

Para você ter um resultado de verdade é necessário apostar no que é certo. Ter um papel por si só não vai proteger ninguém dos acidentes possíveis de uma atuação de risco.

Sendo assim minha principal recomendação é que você escolha o principal curso da área com a Engehall. E claro, sempre esteja em dia com o uso de EPIs e atualizações da norma.

Lembre-se o conteúdo dela é feito por vários profissionais na vanguarda da pesquisa de segurança, sempre trazendo o melhor em qualidade.

Por hoje é isso, espero que este guia da norma tenha te ajudado a entender um pouco mais sobre o assunto. Mas qualquer dúvida é só chamar aqui nos comentários ou na página de contato, ok?

Nos vemos em um outro assunto!

O que é o curso de NR20?

Se você quer saber o que é curso NR20 chegou ao lugar certo. Confira aqui tudo o que você precisa conhecer sobre uma norma extremamente importante para o mercado de trabalho. 

Praticamente qualquer pessoa que precisa de uma mobilidade diferenciada hoje em dia tem um carro. Afinal de contas os veículos automotores se tornaram parte do nosso dia a dia.

Mas o que poucos sabem é a real função que eles exercem dentro de um motor. Seu carro, se não for um modelo elétrico, só se move se for através da explosão deste material.

Basicamente seu motor irá transformar seu combustível em algo gasoso junto de oxigênio, e através da pressão dos pistões isto provoca uma explosão. O resultado final será o pistão ser empurrado para baixo.

Toda esta alternância gera o movimento do motor, que será o principal sistema de funcionamento de um veículo.

Isto fatidicamente nos mostra como este tipo de substância possui um tipo de característica inflamável, até mesmo explosivo. O que de fato traz algum risco se ela for manipulada de maneira inadequada.

Então, um dos maiores desafios não está com a pessoa que dirige, porém com todos os envolvidos em qualquer etapa de produção ou distribuição. Desde a pessoa que inicia a extração do petróleo até mesmo as pessoas que vendem o combustível no posto.

Para evitar que problemas sérios e acidentes terríveis aconteçam é importante notar que os órgãos reguladores prepararam a NR20. Um conjunto de regras que possibilita a pessoa a fazer seus serviços de maneira segura e tranquila.

Hoje gostaria de passar sobre os principais aspectos da norma, principalmente te ajudando a entender o que é curso de NR20 e o melhor disponível por aí. Vamos conferir?

O que é NR20?

NR20, também conhecida como Norma Reguladora 20, é um dispositivo legal que ajuda na segurança, bem estar e também na saúde de profissionais que trabalham com inflamáveis e líquidos combustíveis.

Normalmente os envolvidos são aqueles que estão nas seguintes etapas do processo:

  • Gestão;
  • Extração;
  • Produção;
  • Armazenamento
  • Transferência;
  • Manuseio;
  • Manipulação.

Basicamente qualquer pessoa que entrar em contato em uma distância suficientemente perto para ser afetado por um acidente.

Assim como aqueles que podem estar longe o suficiente, mas têm alguma característica de coordenação, como os gestores e também possíveis técnicos de segurança.

Se você tem algum papel nesta estrutura deve saber tudo sobre a norma.

Inclusive os gestores são responsáveis por levar o treinamento até os colaboradores.

É a empresa que precisa pagar pela capacitação para cada um deles, sendo que muitas vezes esta pode ser feita de maneira voluntária por alguém que não está trabalhando.

O motivo desta escolha é mostrar que você estará pronto para o trabalho e terá capacidade de se destacar entre outros currículos.

Acredite, é bem comum que pessoas de uma área que queiram recolocação façam este tipo de curso por conta própria.

Por outro lado também é importante que você tenha a capacidade de entender que um trabalhador não pode começar a atuar em uma área como esta sem estar com o curso completo. Isto pode fatidicamente gerar problemas muito maiores para a empresa.

Primeiramente a perda de um colaborador por conta de algum acidente de trabalho. Mas em segundo lugar por que você pode sofrer várias multas pesadas.

Saber o que é curso NR20 é essencial para quem deseja bons resultados.

Algumas definições básicas

Existe uma espécie de dicionário com algumas expressões técnicas que precisam ser compreendidas antes de avançar no estudo da norma. Confira as principais:

Ponto de fulgor: Este ponto é a temperatura, de menor valor, seja de um líquido ou mesmo de um sólido, onde todos os vapores misturados ao ar iniciam uma combustão. Lembrando que é necessário uma fonte de ignição, que pode ser por exemplo uma faísca, um fio desencapado, ou mesmo uma chama.

Líquidos inflamáveis: são quaisquer líquidos que vão ter um ponto de fulgor menor ou igual a 60 graus Celsius (ou 140 Fahrenheit).

Gases Inflamáveis: São quaisquer gases que inflamam junto do ar a 20 graus Celsius (ou 68 Fahrenheit) e uma pressão normalmente de 101,3 kPA.

Líquido combustíveis: São quaisquer líquidos que vão ter ponto de fulgor maior que 60 graus Celsius e menor ou igual a 94 na mesma escala.

Estas nomenclaturas são extremamente importantes e devem ser decoradas para o correto entendimento da norma.

Possíveis fontes de problema (O que é curso NR20)

São basicamente os mesmos perigos os quais os trabalhadores da área estão expostos. Mas para listar alguns deles podemos dizer:

1 – Gases tóxicos

Nós não fomos feitos para inalar de nenhum modo os vapores de nenhuma das substâncias mencionadas na NR20. É importante ter em mente que esta atitude pode trazer prejuízos sérios à saúde.

Mas assim como o cigarro, este é um efeito que se acumula ao longo dos anos. Então muito provavelmente você não sentirá diferença nas primeiras semanas, meses e até em alguns anos.

Isto acontece porque o progresso vem aos poucos e você se acostuma. Mas uma hora seu corpo irá cobrar e a irresponsabilidade no trabalho e manuseio destas substâncias é grave.

2 – Chamas

Se o combustível é inflamável, isso significa que basicamente ele pega fogo muito facilmente. E se você já se queimou sabe como isto não é nem de perto agradável.

Sendo assim um dos maiores problemas que as pessoas irão encontrar é de fato pequenos vazamentos que podem gerar queimaduras sérias.

Qualquer fonte de ignição pode ser um causador de incêndio. E mesmo que seja uma pouca quantidade em cima de você é difícil dizer que você irá escapar ileso.

Sem contar que por serem um combustível, o normal é que este não seja um fogo simples de se apagar. E métodos como o abafamento são os mais aconselháveis.

3 – Explosões

Este também é um problema duplamente desafiador. Isto porque a explosão em si, mesmo que pequena, traz um grande dano às pessoas envolvidas.

Por exemplo, se você está perto pode ir de um impacto doloroso até amputação de membros ou óbito. Alguns podem ter sua audição afetada por conta do barulho.

Há também casos em que objetos são arremessados longe com muita força, e até quem está em uma grande distância pode sofrer sérias consequências.

São 3 os tipos comuns de acidentes aqui, mas todos são igualmente sérios. Por isso a vigilância deve ser constante.

Fontes de ignições comuns

Há vários meios em que os combustíveis podem iniciar o processo de combustão. Seja o resultado final uma explosão ou chama, isso realmente não importa.

O que importa é estar atento para não deixar que este tipo de coisa possa acontecer:

Acúmulo de energia estática: Energia é algo que está constantemente mudando de forma. Um grande exemplo é quando nosso corpo a acumula em ligações que geram gordura, e que elas se tornam em ATP para voltar a ser energia para a célula.

A energia estática é uma diferença de potencial elétrico que carregamos por algum motivo. Seja por atrito ou por estarmos em ambientes energizados. Se esta carga presa no nosso corpo encontrar algo carregado com o polo oposto, uma descarga acontece.

Isto pode gerar uma centelha, que é mais do que o suficiente para uma combustão.

Faíscas por atrito: Você já viu alguém batendo uma pedra na outra para fazer faíscas e acender uma fogueira? A ideia aqui é a mesma. Riscar dois sólidos pode gerar pequenas faíscas que tem o potencial de iniciar um acidente.

Seja um alicate que caiu no chão ou algo que sofreu um impacto em um ferro. Tudo precisa estar posicionado e preso de maneira segura.

Brasas de cigarro: Muitas pessoas se acostumaram a jogar os restos do cigarro em qualquer lugar. Entretanto ainda as mais educadas podem ter pequenas brasas saindo do cigarro e chegando até uma concentração de combustível.

Por isso é sempre crucial que o ambiente esteja livre deste tipo de coisa.

Compressão adiabática: Alguns gases podem iniciar sozinhos o processo de explosão caso sejam comprimidos excessivamente. Isto acontece porque quando a pressão aumenta a temperatura do sistema tende a subir.

Assim muitas vezes o que falta para uma explosão é só uma pequena quantidade de ar.

Chamas diretas: Claro, a fonte mais comum de ignição não poderia ser outra senão o próprio fogo em si. Qualquer chama tem o potencial de gerar algum tipo de problema.

Então minha recomendação é que você esteja prevenido quanto a este tipo de origem, já que praticamente sempre é impossível de evitar um acidente.


Procedimentos que podem evitar incêndios (O que é curso NR20)

Há vários tipos de atitudes que podem impedir que o dano causado pela manipulação das substâncias seja irreversível. Muitos deles estão diretamente conectados com as atitudes do indivíduo.

Já outros vão ser responsabilidade de um coletivo, seja mais de um colaborador ou mesmo da equipe inteira. Sendo assim resolvi trazer aqui as principais atitudes de prevenção para você alcançar o melhor para sua empresa.

Atitudes Individuais

São poucos os passos que um indivíduo sozinho pode tomar. Mas todos eles são igualmente importantes:

Usar EPIs corretamente: Em praticamente qualquer profissão que exibe um risco é necessário utilizar os equipamentos de proteção individuais. Eles garantirão não só a diminuição, e até anulação, do impacto de um acidente, como também evitam vários outros.

Até mesmo alguns evitam problemas no longo prazo e mantém a saúde da pessoa envolvida. Como por exemplo a máscara respiratória com filtro para vapores. Mas é indispensável o uso de luvas, óculos de proteção e etc.

Digamos que um respingo de combustível atinja seu olho. Ainda que a quantidade seja pequena demais para causar dano, é possível que o tempo em que ele fique fechado acabe por prejudicar sua atenção, causando outro acidente.

Evitar respirar perto do produto: Muitas vezes o reflexo na hora de identificar algum produto é simplesmente inalar e entender através do cheiro. Porém às vezes uma pequena quantidade da névoa é o suficiente para deixar a pessoa inconsciente.

Não deixar que as substâncias entrem em contato com o olho e pele: Substâncias combustíveis e inflamáveis normalmente são muito prejudiciais à nossa pele e mucosas. Além da irritação o ressecamento pode ser mais grave do que parece.

Assim não vale a pena correr o risco, já que você pode fatidicamente sofrer consequências graves. Sem contar o reflexo que pode te fazer esbarrar em algo ou alguém.

Atitudes coletivas

O maior número de atitudes para evitar os acidentes cobertos pela NR20 estão diretamente dispostos na coletividade. Já que este é um trabalho onde dificilmente alguém toma atitudes sozinho.

Não deixe o produto entrar em contato com a água: Este é um risco com prejuízo duplo! Primeiramente pensamos na poluição do ambiente, o que pode ser grave, já que se esta água for ingerida por alguém os resultados serão bem preocupantes.

Mas também é necessário tomar cuidado com pequenas quantidades. A água pode entrar em reação e fazer o combustível liberar uma grande quantidade de vapor. A inalação acidental de grandes quantidades será um altíssimo risco (o que é curso NR20).

Manter os produtos sempre longe do calor: As fontes de ignição e calor são problemáticas. Então sempre tome cuidado para não deixar nenhum destes produtos diretamente expostos à uma.

Este é um esforço em equipe também, já que embora um possa errar, é obrigação do outro avisar. Todo o time trabalhando junto aumenta as chances de sucesso!

Utilizar contenções: O meio ambiente é um dos maiores ameaçados em vários tipos de acidentes com este tipo de substâncias. Então sempre que o trabalho for executado é necessário que existam contenções que evitem o escoamento destas substâncias.

Armazenar em local ideal:  É importante que os combustíveis estejam sempre em locais frescos e com baixa temperatura. Embora seja bem ventilado é importante que seja seco e longe de fontes de calor ou ignição.

Evitar fumo, comida, bebida e entorpecentes: Basicamente o que precisa ser feito deve ser feito com foco e seriedade. Obviamente o fumo será um problema por fonte de ignição, já a bebida e entorpecentes impedem atitudes impensadas e inconsequentes.

Mas a comida pode ser mais um problema pela contaminação das pessoas. Até mesmo pela circulação irregular do local.

Sempre manuseie com ventilação adequada: É importante que você tenha uma ventilação adequada para garantir que todos os envolvidos tenham a possibilidade de evitar a intoxicação. Mesmo com o uso de máscaras respiratórias com filtro pode ser difícil burlar uma grande concentração.

Documentos comuns para a NR20

Como praticamente qualquer norma, esta estará focada em trabalhar também com a burocracia necessária para se garantir que tudo está funcionando corretamente.

Existem vários documentos que precisam ser apresentados para o governo. Sendo os principais:

Projeto de instalação: A intenção deste documento é trazer uma documentação correta de toda a instalação da empresa. Assim cada coisa terá seu local de acordo com o melhor aproveitamento

Procedimentos Operacionais: Tudo o que o profissional irá fazer deve seguir um passo a passo detalhado do modo mais seguro. Aqui estarão todos eles listados.

Plano de Inspeção e Manutenção: Tudo o que está no local deve ser constantemente inspecionado e precisa receber manutenção. A ideia é evitar acidentes por algum aparelho ou máquina defeituoso.

Análise de Riscos: Principalmente a gestão do estabelecimento deve estar atenta para entender quais os principais riscos envolvidos naquela casa. Sendo assim a recomendação é que todos os encontrados sejam listados.

Plano de prevenção e controle de vazamentos, derramamentos, incêndios e explosões e identificação das fontes de emissões fugitivas: Aqui você terá as atitudes rotineiras e de respostas para algumas situações específicas.

Certificados de capacitação dos trabalhadores: Todos os colaboradores devem mostrar seus certificados de maneira rápida. Por isso a empresa deve ter ao menos uma cópia para apresentação imediata. Ou então tudo pode ser interrompido e ser passível de multa. Ainda que o funcionário esteja apto.

Análise de Acidentes: Qualquer acidente ocorrido precisa ser documentado, desde as suas causas, atitudes de resposta até mesmo resultado final.

Plano de Resposta a Emergências: Por último é importante dizer que o plano de resposta à emergências vai conter os procedimentos para resolver os piores problemas. Na pressa e desespero pode ser difícil lembrar tudo, ter uma fonte de consulta é essencial.

O que é Curso NR20?

O Curso NR20 é o único meio de um colaborador conseguir realmente seu certificado e habilidades necessárias para a norma NR20.

Este é um curso que pode ser feito tanto em modalidade presencial como à distância, entretanto sempre é necessário ter cuidado com quem entrega o seu conteúdo.

A empresa prestadora precisa inevitavelmente fazer uma série de certificações para que ela mesma se considere habilitada para o curso.

Além disso é necessário que o instrutor que esteja responsável diretamente para o curso seja licenciado para este tipo de tarefa.

E claro, didática é muito importante também. Afinal de contas o mínimo que se espera de um profissional após ele fazer um curso é que ele entenda o conteúdo. Embora uma didática ruim comprometa todo o processo.

Por isso é sempre ideal confiar em cursos com os oferecidos pela Engehall, uma empresa com mais de 15 anos no mercado e com mais de 70 mil alunos satisfeitos.

Conclusão

Não é do dia para a noite que os acidentes acontecem. Eles na verdade são resultados de vários descuidos. Claro, existem os imprevistos, mas são casos mais raros.

Seguindo as normas de maneira tranquila e confiante seus funcionários estarão longe de perigo.

Então por hoje é isso, se ficou qualquer dúvida sobre a norma ou o curso em si, é só chamar aqui nos comentários ou na página de contato, ok?

Até mais!

Tudo sobre a reciclagem NR10

O curso NR10 reciclagem é uma das formas de se manter como uma excelente opção no mercado de trabalho. Hoje estarei te trazendo tudo o que você precisa saber sobre o curso, desde a norma em si até mesmo onde fazer.

Não é de hoje que o trabalho com eletricidade tem sido questionado como realmente seguro por vários dos especialistas no assunto. Afinal de contas a irresponsabilidade no trato de qualquer profissão pode trazer algum tipo de risco.

Veja por exemplo o trabalho de um bombeiro, mesmo tomando todas as medidas necessárias, ele ainda pode se envolver em um acidente.

A eletricidade, embora seja relativamente muito mais segura do que ter que lidar com acidentes e incêndios o tempo todo, ainda é uma modalidade de trabalho que vai pedir algum tipo de cuidado especial.

Assim a melhor escolha é seguir todas as normas e procedimentos corretos. Principalmente utilizando os EPIs e EPCs corretamente.

Qualquer empresa que se prese precisa ter um time de técnicos de segurança completamente capaz à disposição. Entretanto vale a pena notar que eles não fazem todo o trabalho sozinhos.

Existem normas que regulam o trabalho com eletricidade, desde níveis mais baixos de potência até os mais altos, que normalmente são encontrados em indústrias ou mesmo em centros de repetição ou distribuição de energia.

A principal destas normas para este tipo de trabalho é a norma NR10, uma excelente solução para a prevenção da maioria dos acidentes na área.

Então inevitavelmente todos os envolvidos na área precisam de uma ajuda com este assunto. Alguns até mesmo já foram capacitados, mas a lei exige um curso de reciclagem.

Sendo assim gostaria de falar hoje sobre o curso NR10 reciclagem. Quero levantar tudo sobre o assunto e falar dos principais disponíveis no mercado.

Vamos conferir?

O que é a Norma NR10?

Já que estamos falando de um material para relembrar da norma, vale falar um pouco dela. Até porque entender ela a fundo é exatamente o que faz com que você entenda o motivo por trás da reciclagem em si.

Primeiramente é fácil dizer que a Norma Reguladora 10, ou NR10, é uma norma que busca prevenir acidentes, garantindo a segurança, bem estar e saúde do trabalhador exposto a riscos elétricos.

A norma em si prevê várias medidas e é essencial para quem trabalha na área.

Um dos principais motivos da reciclagem em si é pelo fato de que a tecnologia está em constante mudança. Problemas, proteções e soluções que não existiam até um ano atrás, podem aparecer no próximo.

Por isso o texto em si da norma é constantemente atualizado. Ela foi redigida na década de 60, e desde então já ganhou vários adendos e informações cruciais.

Não é uma tarefa fácil, mas definitivamente não estamos falando de uma meta impossível. Seja como for é importante estar sempre pesquisando possíveis mudanças.

Um segundo fator de necessidade da reciclagem é o fato de que decoramos aquilo que repetimos. Às vezes você pode mudar de setor ou de tarefa na empresa. O que garante que você lembra o que viu da última vez?

Se você não faz constantemente, precisará ser constantemente lembrado.

Aqui vai mais um lembre importante da norma:

Quais os principais acidentes cobertos pela NR10?

Entender o que pode acontecer com você enquanto trabalha com a eletricidade muitas vezes é o melhor jeito de se prevenir contra problemas sérios. Então minha principal dica seria conhecer cada um deles.

Aqui está uma lista por ordem do mais comum para os mais raros. Mas lembre-se, todos podem oferecer riscos graves.

1 – Choques elétricos

Quem nunca tomou um choque na vida que atire a primeira pedra. Desde que a eletricidade foi inventada e popularizada a população acaba tomando um ou outro choque por aí.

Acredite, este acontecimento pode na maioria das vezes não oferecer um risco. Digo isto porque a maioria das vítimas estão em ambientes domésticos lidando com circuitos de baixa ou baixíssima potência.

Porém mesmo assim o desconforto e a dor causada já são o suficiente para querer evitar. Claro, não estou dizendo que todo choque elétrico sofrido em casa é inofensivo. Há vários casos de óbitos.

O que vai diferenciar o tamanho do estrago é exatamente a quantidade de energia presente. Um choque é quando seu corpo se torna o condutor da eletricidade. Sendo de um fio a outro ou mesmo de um fio à terra.

Pessoas que trabalham sobre a norma NR10 precisam tomar cuidados exatamente porque estão constantemente em situações com maior potência.

Seja um cabo de alta tensão, ou um transformador ou até mesmo algum tipo de máquina. Estar vulnerável à eletricidade é perigoso.

O próprio choque muitas vezes pode causar queimaduras que chegam até o terceiro grau. Mas podem levar até paradas cardíacas.

Nosso coração funciona com estímulos elétricos, nosso corpo faz com que ele bata através de pequenos choques. Um choque muito grande que o atinja pode fazer com que ele sofra uma lesão irreparável.

2 – Queimaduras (NR10 reciclagem)

Existe um efeito estudado na física chamado de efeito joule. Basicamente ele diz o seguinte, toda transmissão de energia gera a perda de parte dela em uma transformação, no caso da energia elétrica o normal é perda de eletricidade em calor.

Deixe-me tentar te explicar essa coisa confusa. Quando você tem uma corrente elétrica passando por um fio, isto é uma forma de energia, no caso a energia elétrica.

Parte dela irá se perder como calor. Ou seja, se você tem uma corrente elétrica, você também terá calor sendo gerado.

Isto é proporcional à resistência do fio ou à potência total do circuito. Já viu um chuveiro ter os fios derretidos? O fato acontece porque você tem um fio mal conectado, gerando muita resistência em uma passagem grande de corrente.

O calor vai aumentar e você terá o derretimento da parte externa. Sendo que o próprio chuveiro e qualquer aquecedor elétrico funcionam da mesma maneira.

Você tem um fio condutor especial chamado popularmente de “resistência”. Ele suporta a passagem de uma grande corrente, o que vai fazer com que ele esquente. E isto aquece o ar ou sua água.

Ao fazer um curso NR10 reciclagem você provavelmente vai reaprender estes conceitos.

Mas seja como for este efeito em grandes equipamentos ou mesmo curto circuitos irá gerar o risco de uma queimadura. Seja pela superfície aquecer demais ou por iniciar um pequeno incêndio.

3 – Arcos voltaicos

Talvez você já tenha visto alguns pequenos estalos luminosos em alguma instalação elétrica. Este efeito é o chamado arco voltaico.

Basicamente é quando um material que não é bom condutor, acaba conduzindo energia. O ar é um exemplo muito comum, onde é possível ver este arco acontecendo.

Algumas pessoas até o utilizam para fazer entalhes em madeiras e metais, talvez você já tenha visto.

Quanto maior for a resistência, maior será a quantidade de potência para ele acontecer. E é aí que mora o perigo.

Sempre que um arco voltaico aparece ele estará ocorrendo com uma enorme quantidade de energia. E assim qualquer contato com ele irá gerar sérias consequências.

E como o seu corpo é melhor condutor do que o ar, aquela corrente toda irá preferir sua pele para chegar até o outro polo. Então a proximidade aumenta o risco.

Isto acontece normalmente quando se faz conexão, ou quando se remove uma, em um circuito energizado. Principalmente no tipo de ambiente em que as pessoas estão expostas e precisam da NR10.

Por isso fazer um curso NR10 reciclagem é tão importante.

4 – Explosões

O que acontece quando você tem um material possivelmente inflamável e uma fonte de calor? A resposta é fogo. Mas se a fonte de calor for muito grande ou o material for altamente inflamável, a liberação de energia pode gerar uma explosão.

Então é comum que profissionais que estejam em situações industriais precisem tomar muito cuidado com o ambiente. Exposição de produtos químicos, pilhas de papel ou mesmo uma potência elétrica absurda, podem gerar riscos enormes.

Minha recomendação direta é que você não tenha medo. Procure diretamente uma saída através de um conjunto de ações adequadas. E tenha conhecimentos básicos de como apagar um incêndio de origem elétrica.

Isto também é um assunto básico de qualquer curso NR10 reciclagem.

5 – Quedas

Uma outra causa muito comum que você precisa tomar cuidado na hora de trabalhar é com a queda de grandes alturas. E embora muitos tenham em mente a imagem de um prédio, a altura de 2 metros já é um assunto de importância legal.

Este é um assunto normalmente regido pela NR12, mas que qualquer curso NR10 reciclagem irá trazer para você.

A preocupação é real, pois algumas quedas, mesmo que só de 2 metros ou menos, podem deixar a pessoa gravemente machucada, motoramente inválida ou até mesmo levar ao óbito.

6 – Problemas com ambiente (desastres ou animais)

Não é incomum que alguém da área tenha que fazer trabalhos em campo. No caso em um local descoberto, seja em linhas de transmissão ou mesmo repetidoras.

Este tipo de trabalho trás alguns riscos, o mais comum já foi citado, que é a queda de grandes alturas. Entretanto é válido notar que um ambiente, principalmente um não urbanizado também pode oferecer riscos.

Estar trabalhando em estruturas metálicas muito altas, pode sem dúvida atrair descargas elétricas de relâmpagos. Receber este tipo de carga incontrolável é realmente um problema.

Entretanto ainda existe a chance da interação perigosa com animais selvagens. Desde vespas, abelhas e marimbondos até mesmo animais peçonhentos como cobras.

São raros estes tipos de acidentes, mas com certeza não devem ser ignorados.

Principais causas de acidentes (NR10 Reciclagem)

Embora os tipos de acidentes sejam diferentes de uma área para a outra, a causa deles normalmente é a mesma. Um pequeno descuido com alguns fatores pode te colocar em riscos sérios.

Aqui está mais uma lista dos que podem ser as prováveis causas:

1 – Cansaço

Um dos fatores mais preocupantes, e atenuantes, para a segurança do trabalho é em si a falta de foco pelo cansaço. Quando a pessoa não está devidamente descansada o primeiro fator a ser sacrificado é a atenção.

Se você não teve uma boa noite de sono, ou quem sabe várias noites de sono ruim, é possível que seu desempenho se torne bastante duvidoso.

O problema real é que com esta falta de atenção não só a produtividade e a qualidade do trabalho caem, mas o raciocínio fica mais lento. Alguns atos serão difíceis de julgar, e você pode ter dificuldades para realizar tarefas simples.

O cansaço pode ser tão deletério quanto estar embriagado, dependendo do nível. Então esta falta de atenção também causa a possibilidade de atitudes irresponsáveis.

Mas podemos adicionar como irmãos do cansaço o stress, depressão, pressa e fatores que fazem você trabalhar de modo improdutivo em geral.

2 – Materiais inadequados

Trabalhar sem as ferramentas corretas no mínimo irá aumentar o tempo necessário para executar uma tarefa. Mas muitas vezes a falta de proteção de uma ferramenta adequada pode gerar problemas.

Se seu alicate não estiver disponível pode ser difícil arrumar apoio. Ou então pode ser que o isolamento da ferramenta que você tenha não esteja legal.

Você pode desde levar um choque até ter um reflexo ao derrubar algo. Seja o que for você acabará tendo problemas para realizar tudo do jeito previsto. O que por si só já é bastante arriscado.

A falta de EPIs também é um fator muito complicado, já que eles não só protegem dos resultados do acidentes, mas garante que você não sofra vários deles.

Evitar que se queime a mão com uma luva te permite não ter movimentos bruscos e tocar me algo energizado.

Seja como for, só inicie os trabalhos com as ferramentas corretas!

3 – Imperícia

Este é um dos fatores mais comuns, já que várias pessoas não têm habilidade necessária para executar a tarefa com maestria.

E pior do que isso, essas pessoas se encontram em geral completamente longe do conhecimento necessário de procedimentos de segurança.

Quem quer ter um resultado de verdade precisa apostar em fazer tudo do jeito que aprendeu. Senão será difícil garantir um trabalho seguro.


Como escolher um Curso NR10 Reciclagem?

Já relembramos aqui quase tudo sobre a norma. E não poderia te deixar ir embora sem uma recomendação que fosse realmente útil. Afinal de contas só saber a norma nem sempre é suficiente.

Hoje é necessário provar seus conhecimentos através de certificados válidos, seja para a empresa que você trabalha ou para que a empresa possa apresentar este certificado para os órgãos fiscalizadores.

Um curso NR10 reciclagem obviamente só pode ser feito porque já tem uma formação na área, nada de surpreendente.

Entretanto esta reciclagem não necessariamente precisa ser oferecida pelo mesmo órgão que ele recebeu seu primeiro certificado.

Então tenho uma dica incrível para qualquer pessoa que queira mostrar um certificado válido e dentro do prazo.

Este é o curso de NR10 reciclagem da Engehall.

Uma das maiores empresas de capacitação profissional do mercado! Eles estão a mais de 10 anos fazendo com que pessoas comuns tenham a capacidade de rever seus conceitos e talentos de maneira maestral.

Então agora gostaria de apresentar um pouco mais deste curso.

Vantagens do curso NR10 reciclagem da Engehall

Existem vários motivos pelos quais você deve fazer esta escolha. Seja você um profissional que quer manter seu currículo poderoso e atualizado, ou mesmo o responsável técnico ou dono de uma empresa.

O principal ponto que você deve entender é que o curso da NR10 possui certificação reconhecida, e com alta excelência.

Esta é uma empresa que é afiliada do CREA, garantindo resultados incríveis em pouquíssimo tempo. São acostumados com a arte de treinar, pois já possuem mais de 70 mil alunos capacitados pelo Brasil.

Este curso em especial possui duas modalidades a serem escolhidas:

  • Curso NR10 Reciclagem normal
  • Curso NR10 Reciclagem SEP

Ambos possuem uma grade e conteúdos bastante semelhantes, entretanto o SEP possui qualificação quem vai trabalhar diretamente com alta tensão.

Todo o conteúdo programático é revisado constantemente e possuí a validade de 2 anos. Sendo disponível na modalidade presencial e online.

O curso presencial é entregue apenas para empresas, realizado no próprio espaço dela.

Já o curso na modalidade online pode ser feito por pessoas avulsas ou empresas também. Sendo que as empresas poderão rastrear o progresso dos alunos, garantindo excelentes resultados.

Todo tipo de dúvida pode obter uma resposta pelos instrutores através do Whatsapp.

E o melhor, o conteúdo completo é transmitido por pessoas capacitadas e de excelente didática. A assimilação é incrivelmente fácil por qualquer classe de escolaridade.

Como adquirir?

Se você é uma empresa que deseja um curso, seja ele presencial ou online, que irá garantir tanto o certificado quanto a segurança de seus funcionários, ou então se você é alguém que quer provar para o mercado que está capacitado, clique no botão abaixo:

Assim que você o fizer será reencaminhado para uma página com as instruções finais que precisa para começar a ter resultados.

Conclusão

Não é de hoje que achar um bom curso na internet é um desafio. E também é realmente difícil se manter atualizado, seja com um curso NR10 reciclagem ou algo do tipo.

Mas é importante lembrar que a segurança é uma necessidade, e você pode ter tudo isto fazendo as decisões corretas.

Então hoje você já tem acesso a um curso que pode ser começado sem pagar. Comece, veja se o conteúdo é realmente válido e então pague para realmente continuar.

Ou seja, você ainda pode provar para saber se tudo está do jeito correto. Podendo perguntar por mais dúvidas sempre que necessário.

Por hoje é isso, espero ter te ajudado, qualquer dúvida sobre o assunto estou à disposição aqui nos comentários, ok? Ou então é só chamar através da página de contatos.

Até a próxima dica!

Curso NR33 – Guia Completo Sobre a Norma

Você quer ter acesso a um curso NR33 completo? Então esteja preparado para encontrar aqui uma das melhores fórmulas de sucesso para se tornar qualificado.

Não é de hoje que alguns tipos de trabalho vão exigir um esforço extra para várias funções. Não é incomum se ver em um situação onde seja necessário utilizar de atividades um pouco desconfortáveis e potencialmente perigosas.

Quem é eletricista predial e até mesmo residencial já deve então ter se encontrado em várias situações de risco. Agora, quem trabalha com a área da eletricidade, mecânica ou algo semelhante em uma indústria com certeza enfrenta o perigo de maneira constante.

Um acidente de trabalho não é brincadeira. Embora ele possa variar de ocorrências leves com problemas facilmente solucionáveis, é importante também pensar nas chances de ocorrer até mesmo uma ocasião fatal.

Em alguns casos raros pode ser possível encontrar mais de uma morte por conta do mesmo problema. Seja pela regulagem mal feita de algum equipamento, ou mesmo um descuido que gere um incêndio ou explosão.

Segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT) o mundo já chegou a registrar cerca de 374 milhões de morte só no ano de 2017. Sendo que aproximadamente 3 milhões deles chegaram ao óbito.

O assunto é delicado e normalmente é preciso de cuidado para tratar dele. Na tentativa de se sobrepor a maioria destes casos foram criadas no Brasil as normas reguladoras de segurança.

Sendo a NR33 uma das mais importantes para quem chega a trabalhar em um chamado espaço confinado.

Hoje vim aqui para te entregar tudo sobre essa norma, praticamente um curso NR33. Mas você também vai contar no final com uma indicação valiosa para melhorar seu currículo ou capacitar seus funcionários.

Vamos dar uma olhada?

O que é a Norma Reguladora 33?

A Norma Reguladora 33, ou NR33, é uma norma legal que rege a segurança, saúde e bem estar do trabalhador que precisa executar serviços em espaços confinados.

Ela tem peso de lei, ou seja, ignorar as instruções e ordens entregues por ela não só vai dificultar sua vida, mas provavelmente irá gerar pesadas multas para a empresa.

Então vale a pena dizer que existe um incentivo duplo ao se obedecer o que está previsto nela. Primeiramente evitar uma sanção estatal pesada, mas mais importante de tudo é prever e evitar acidentes de trabalho, sejam eles graves ou não.

Este tipo de precaução é excelente para que você até mesmo mantenha a produtividade e lucratividade da empresa. Já que estamos falando disto, também é válido avaliar o fato de que os colaboradores se sentem mais respeitados quando tudo é feito para sua segurança.

O que é um espaço confinado?

Para entender de maneira plena a NR33 é importante notar o que de fato é um espaço confinado. Muitos vão remeter a ideias simples de um lugar apertado e sem saída.

E não estão de todo erradas, mas é importante notar que o conceito vai muito além disso. Pode ser até mesmo que o espaço confinado seja um pouco espaçoso. O que vai fazer a diferença é como você aplica isso.

Vamos lá, tecnicamente um espaço confinado é um local que não foi criado para que houvesse uma ocupação humana. Podendo haver entrada e saída de ar limitadas, que geram tanto o acúmulo de toxinas como a falta de oxigênio.

Este tipo de local é constantemente encontrado em:

  • Tubulações de esgoto
  • Caldeiras
  • Silos
  • Tanques
  • Misturadores

Porém estes são só alguns de vários exemplos que podem ser diretamente citados sobre o assunto. O fato é que se uma pessoa não deveria estar lá dentro, então este é um espaço confinado.

O profissional vai entrar neles só para poder fazer algumas atividades pontuais, normalmente envolvendo uma manutenção que não pode ser resolvida da área externa. Entretanto também pode ser o caso de se fazerem instalações.

Para garantir que o procedimento corra bem, é possível listar três tipos de profissionais envolvidos em uma tarefa em espaço confinado:

1 – Trabalhador autorizado

O trabalhador autorizado é exatamente aquela pessoa capacitada, que fez provavelmente um curso NR33 e encontra-se apto a realizar atividades em espaços confinados.

Ele precisa ter uma noção completa de todos os seus direitos e deveres, além de estar apto a evitar riscos e analisar acidentes em potencial.

Será a pessoa diretamente envolvida no trabalho, aquela que entrará no espaço confinado para fazer a sua tarefa. É o que mais vai precisar de EPIs.

Em caso de um perigo eminente ele deve sair do local e também precisa estar sempre em contato com o próprio vigia.

2 – Vigia

Esta é a pessoa que ficará responsável diretamente por quem estiver diretamente dentro do espaço confinado. Assim é possível garantir que nenhum acidente ocorra com o autorizado estando sozinho.

Ele fica obviamente do lado de fora do espaço confinado e precisa constantemente estar em contato com o autorizado.

Se necessário ele deve dar a ordem de abandonar o local. Sendo que a ordem dada no tempo certo salva vidas.

A responsabilidade dele é grande, e por isso ele também precisa ser completamente habilitado. Provavelmente terá que ter feito um curso NR33 e terá conhecimentos sobre a norma e o trabalho a ser realizado.

3 – Supervisor de entrada

Esta é uma pessoa com trabalho praticamente todo de origem técnica. Ele é o responsável por assinar a PET (Permissão de Entrada e Trabalho).

É sua responsabilidade analisar a situação e o serviço a ser feito, assim como preferencialmente escolher o vigia e o trabalhador autorizado.

Basicamente esta deve ser a pessoa com maior conhecimento técnico sobre a norma, e precisa que realmente esteja disponível para resolver a maioria das situações.

O trabalho não pode ser feito de jeito nenhum sem a supervisão deste profissional.

O que é a PET?

A Permissão de Entrada e Trabalho, ou PET, é um dos documentos mais importantes para o exercício da atividade em espaços confinados.

Este é um material escrito que permite a entrada de um profissional em local, designando todos os procedimentos necessários para que o trabalho seja executado de maneira eficaz.

Além dos procedimentos a serem realizados no espaço confinado é importante dizer que este é um material que garante a descrição dos procedimentos de emergência e salvamento caso aconteça algum acidente.

A burocracia obriga que toda entrada que seja feita em um espaço confinado seja acompanhada de uma nova PET. Mesmo que a anterior ainda esteja válida, pois os procedimentos e situações podem mudar.

Medidas necessárias para se garantir a segurança do trabalhador

Para se ter certeza que tudo irá correr bem, existe uma série de medidas que precisam ser tomadas de maneira rígida. Muitas vezes serão a pequena diferença entre um trabalho concluído com segurança e um acidente.

Aqui está uma lista com as principais requisições:

1 – Isolamento e sinalização do local

É de extrema importância que o local a receber o trabalhador autorizado esteja completamente isolado e com sinalização eficaz.

O vigia terá a responsabilidade de verificar todo o perímetro durante o trabalho, além de se comunicar constantemente com o trabalhador inserido no espaço confinado.

Isto é necessário para evitar problemas de conflito de ações, onde um trabalhador pode por exemplo estar dentro de um equipamento, que deve estar desligado. Se não houver uma sinalização, isolamento e comunicação adequada é possível que alguém desavisado com ótima intenção religue o aparelho.

Dependendo do que for o acidente será gravíssimo, provavelmente levando a óbito.

2 – Uso de equipamentos de ventilação

Um dos principais marcadores de espaços confinados está relacionado diretamente à garantia de entrada de oxigênio. O gás é vital para que o trabalhador fique longe de perigos, e sua ausência pode ser sentida muitas vezes tarde demais.

Então uma das atitudes mais seguras seria realmente colocar todo um suporte para ventilação que garantisse este suprimento.

Dependendo do local pode ser um pouco dispensável, sendo maior a importância de retirar gases tóxicos do que colocar mais oxigênio no ambiente.

3 – Equipamentos medidores

Estes são necessários para que se tenha um controle constante da qualidade do ar dentro do ambiente. Você poderá ter medidores de níveis de oxigênio, assim como medidores de níveis de gases tóxicos.

Tudo vai depender diretamente da situação em que o trabalhador está inserido. Mas definitivamente estes são essenciais de se terem, mesmo que os problemas no local não sejam comuns.

Assim você não acaba sendo pego desprevenido.

Principais fatores de causa de um acidente de trabalho

Não é do nada que um acidente vai acontecer, normalmente ele é resultado de atitudes ruins anteriores, durante ou posteriores à atividades em espaços confinados.

Ter um curso NR33 é na verdade um dos meios mais seguros de se prevenir. Mas sem estas atitudes de bom senso o perigo vai estar sempre à porta:

1 – Ferramentas inadequadas ou danificadas (Curso NR33)

É comum que a pessoa precise de alguma ferramenta para realizar o seu trabalho. Repare que não estou falando neste tópico de um equipamento de segurança, mas sim de uma ferramenta genérica de trabalho.

Se você precisa soldar, soltar ou apertar algum parafuso, seja o que for, vai precisar de uma ferramenta específica.

Então ao utilizar uma ferramenta é preciso que ela esteja em plenas condições de uso. Um dano que muitas vezes parece superficial pode gerar problemas.

Imagine uma explosão de soldador em local confinado, ou então um choque de alta tensão com um alicate de péssimo isolamento? Além do dano causado no acidente, vai ser difícil conseguir fazer algo com alguém inconsciente ou imobilizado.

Mas existe ainda o problema das ferramentas inadequadas. Digamos que você não tenha o jogo de chaves correto e acabe demorando o dobro do previsto para fazer uma tarefa com outras ferramentas.

Isto pode gerar uma falta de oxigênio ou intoxicação por outra substância. Então antes de assinar a PET é necessário ter todos os recursos necessários separados.

2 – Movimentos constantemente repetidos

A LER (Lesão por Esforço Repetitivo) assim como a DORT (Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho) são causas comuns de acidente.

Na verdade o próprio problema já poderia ser considerado um acidente em si, visto que eles são lesões muitas vezes incapacitantes.

Mas também não devemos ignorar o fato de que uma crise iniciando no meio de um trabalho pode ainda levar a problemas e acidentes maiores.

Por isso a recomendação é sempre criar um protocolo de trabalho inteligente. Ou seja, não só deve evitar a repetição de esforço, porém deve evitar esforços desnecessários.

3 – Falta de atenção

Este é um dos maiores causadores de acidentes de longe. A falta na atenção gera atos completamente irresponsáveis e perigosos.

Entretanto ela pode ser agravada por vários outros fatores, como por exemplo a sonolência, utilização de substâncias entorpecentes e semelhantes.

Ir trabalhar cansado é uma coisa que pode acontecer, mas não deve se tornar uma rotina. Muito menos a pessoa pode criar o hábito de simplesmente sair por aí fazendo atitudes irresponsáveis por não ter mais interesse no que está fazendo.

A experiência pode muitas vezes gerar a falta de atenção, com os hábitos se tornando mais mecânicos e automáticos é possível que muitos se tornem irremediavelmente descuidados.

Então sem dúvida a melhor saída para o trabalhar, segundo qualquer curso NR33, é fazer intervalos programados e sempre iniciar sua rotina descansado.

4 – Utilização inadequada de EPI (ou ausência de um)

Existe um conceito pouco preciso de que os Equipamentos de Proteção Individual serviriam apenas para diminuir os danos de um provável acidentes.

Esta é uma imprecisão sem base lógica, visto que a maioria dos acidentes são evitados exatamente pelos EPIs.

Então imagine que você esteja utilizando um óculos de proteção. Pode ser que você evite que uma peça solta, que seja disparada com muita pressão acabe retirando uma vista sua, ou mesmo causando um óbito. Mas normalmente este equipamento salva mais vidas, impedindo que a pessoa perca o foco da visão por alguns detritos acabarem caindo no olho.

Ter o reflexo de levar a mão ao olho quando se está segurando um cabo de alta tensão ou qualquer outra coisa perigosa será realmente um problema.


Por que fazer um Curso NR33?

Existem vários motivos pelos quais um profissional pode desejar investir em um curso NR33. E os principais deles são:

  • Facilidade de assimilar o conteúdo;
  • Certificação realmente válida para todo o mercado;
  • Possibilidade de revisitar o tema e lembrar de detalhes importantes;
  • Capacidade de tirar dúvidas com pessoas especializadas.

Este caminho entretanto vai trazer alguns desafios, sendo o maior deles encontrar um curso que realmente vá valer a pena. Afinal de contas não é de hoje que vários locais vão trazer opções enganosas de produto.

Sempre verifique se a empresa prestadora é ou não certificada para tal atividade e se ela pode contar com todo o suporte para dar os certificados.

Esta busca pode demorar um pouco ou trazer desafios maiores. Querendo te ajudar percebi que era melhor fazer algo simples, como por exemplo seguir a minha dica de curso.

Qual o melhor curso NR33 do mercado?

As opções realmente são variadas e escolher uma entre elas não é nem de perto uma tarefa fácil. Mas após uma longa busca a melhor opção encontrada realmente é o curso de NR33 da Engehall.

Este é um curso completo sobre uma das normas reguladoras mais abrangentes do mercado e que realmente vai cobrir os assuntos necessários da NR33.

Além disso ele é um curso disponível tanto para profissionais liberais, pessoas que buscam recolocação no mercado, assim como para pessoas que querem realmente um material qualificado para seus colaboradores.

Esta é uma empresa que já mostrou para que veio no mercado, com experiência comprovada de mais de uma década!

Um dos pontos mais interessantes é que além de ser afiliada do CREA e possuir o certificado de ISO 9001, esta é uma empresa completamente especializada em atividades de capacitação e treinamentos, que vão desde cursos profissionalizantes até cursos de capacitação, como este.

Os instrutores são altamente capacitados, e também possuem uma clareza incrível na arte de transmitir seus próprios conteúdos. Realmente é um método de ensino completamente revolucionário.

Esta é sem dúvida a minha maior recomendação para você.

Como adquirir?

Então, se você realmente quer se tornar um profissional extremamente qualificado, e que ter certeza de que terá como se destacar no mercado de trabalho… Ou se você é dono de uma empresa é quer que seus funcionários também tenha capacidade de evitar acidentes e serem melhores…

O curso ainda está para ser lançado.

Mas considerando todos os aspectos envolvidos fica fácil dizer que essa é a melhor opção.

Conclusão

Agora que você já sabe exatamente tudo o que é necessário para dar o próximo passo a escolha fica em suas mãos. Quem realmente tem certeza de que deseja um futuro brilhante para sua carreira ou empresa, começa aqui.

No mais é isso, estou à disposição para tirar qualquer dúvida sua sobre o assunto. Então é só perguntar aqui nos comentários ou mesmo na nossa página de contato.

Assim que der eu te dou uma resposta completa, não demora muito.

Até a próxima dica!

O que é o curso de NR 33?

Se você quer saber o que é curso NR33, chegou ao lugar certo. Aprenda aqui tudo o que você precisa para levantar resultados incríveis para sua carreira!

Quando se pensa no trabalho de um eletricista é comum lembrar de alguém que vai até sua casa resolver alguns problemas básicos. O mesmo é normal para muitos mecânicos, que ficam parados dando manutenções em coisas pequenas.

Entretanto a verdade é que no mundo industrial este tipo de profissional irá atuar em ambientes nem sempre favoráveis.

É normal que este tipo de trabalho leve a pessoa até locais em que seja necessário entrar em equipamentos e máquinas muito grandes.

Às vezes é comum que a pessoa até mesmo se coloque em situações de risco, pois o local em si não é adaptado para receber uma pessoa por muito tempo.

Há outros casos em que o local de trabalho pode ser realmente insalubre, trazendo problemas sérios para que você tenha uma exposição contínua.

Seja como for é importante dizer que existem dispositivos legais que buscam resolver a maioria dos riscos em que o profissional é exposto.

Assim surgiram as principais normas reguladoras do mercado, entre elas a que regula o trabalho em espaços confinados.

Hoje gostaria de trazer um pequeno vislumbre sobre tudo o que esta norma reguladora em específico irá nos trazer. Assim como dar uma sugestão do melhor meio de capacitação possível. Vamos conferir?

O que é NR33?

NR33, ou também conhecida por Norma Reguladora 33, é uma ferramenta estatal para regimentar o trabalho em possíveis locais confinados dentro da empresa.

O objetivo é aumentar consideravelmente a segurança e o bem estar do trabalhador. Trazendo uma redução de riscos que seja satisfatória para tornar o trabalho menos perigoso.

  • A norma em si tem como objetivo listar requisitos mínimos para que você possa identificar um espaço confinado assim como seu:
  • Reconhecimento;
  • Avaliação;
  • Monitoramento;
  • Controle dos riscos existentes.

Tudo isto para se ter uma certeza constante de que há garantias da segurança e saúde dos trabalhadores vão passar algum tempo exercendo alguma atividade, seja direta ou indireta em espaços considerados confinados.

O que são espaços confinados? (O que é curso NR33)

Esta nomenclatura pode lembrar muita gente de locais apertados, e com dificuldade de saída. Entretanto na linguagem mais técnica da segurança do trabalho a ideia é completamente diferente.

Embora o local muitas vezes seja apertado e difícil de sair, o conceito de espaço confinado vai trazer uma área ou local que não foi criado para receber seres humanos por muito tempo.

Então você pode até entrar lá e ficar tranquilo por um tempo. Mas definitivamente não irá se sentir confortável em longos períodos.

E é até mesmo comum que a presença por períodos longos de tempo acabem tornando sua estadia um pouco nociva à saúde. Isso sem contar os riscos eminentes de algum tipo de acidente.

Me deixa te passar um exemplo, digamos que você trabalhe em uma empresa de produtos alimentícios. Pode ser que nela tenha algum tipo de silo de armazenamento para grãos. E pode ser também que a manutenção de algo só seja possível do lado de dentro.

Então aquele espaço é um espaço confinado, pois embora você consiga entrar lá, não é exatamente um local para o qual você deveria estar.

O mesmo vale para quem precisa entrar em máquinas, equipamentos que normalmente precisam de alguma atividade de maneira interna.

Seja pela falta de ventilação ou mesmo pelo risco do equipamento ligar e você ter um acidente grave. Estes locais acabam se tornando um espaço confinado.

Quais as obrigações impostas pela NR33?

A Norma Reguladora 33 apresenta uma lista de obrigações tanto para o empregador quanto para quem trabalha diretamente naquele local. Então vou dividir elas em dois blocos, para que fique mais fácil de entender.

Obrigações do Empregador

Como sendo o provedor do trabalho, tendo poder sobre o empregado, ele é o responsável pela maioria das obrigações. Até mesmo porque muitas das ações necessárias só podem ser executadas por ele e sua equipe.

Sendo assim aqui está uma lista simples das atribuições:

  • Identificar todos os possíveis espaços confinados no local de trabalho;
  • Encontrar todos os riscos específicos para cada um dos espaços confinados encontrados;
  • Fazer funcionar uma gestão de segurança e saúde no trabalho especificamente para espaços confinados (Usando medidas técnicas de prevenção, administrativas e de emergência);
  • Treinar e habilitar todos os trabalhadores para lidar diretamente com riscos, além de medidas de controle, emergência e também de salvamento nos espaços confinados;
  • Ter certeza de que todos os trabalhadores estejam atualizados sobre os riscos e medidas de controle, sempre antes de entrar no local de risco.

Obrigações do Trabalhador

Embora a dedicação do empregador seja de vital importância, é necessário dizer que o trabalhador também precisa fazer sua parte. Afinal de contas ninguém deveria estar tão interessado com sua saúde, segurança e bem estar mais do que você.

Sendo que algumas atitudes irregulares podem colocar outras pessoas em risco, e muitas vezes serem até mesmo motivo de demissão por justa causa.

Aqui está uma lista bem resumida de todas as obrigações da norma NR33 sobre o trabalhador:

Cumprir a norma (o que é curso nr33)

Não adianta nada levar o trabalhador para o campo de trabalho se ele não está disposto a agir conforme o recomendado pela norma.

Ignorar os procedimentos é uma falta grave, que coloca o profissional e os terceiros sob grande risco. Então é obrigação do trabalhador fazer tudo conforme o explicado sem questionar.

Fazer o uso dos EPIs e seguir as regras da empresa

Cada espaço confinado vai ter suas situações diferenciadas. Alguns possuem problema pode ter falta de ventilação adequada. Outros por serem insalubres, e outros por possuírem riscos de acidentes mecânicos.

Seja como for, cada caso é um caso que precisa ser estudo de maneira minuciosa. Assim é necessário que o profissional compreenda o uso de cada equipamento de segurança, além dos procedimentos adequados para se manter seguro.

Avisar sobre situações de riscos aos superiores imediatamente

Pode ser que alguma coisa dê errado no meio do caminho, seja por imperícia, falta de atenção ou mesmo por uma causa alheia ao trabalhador.

Mas sempre que uma potencial situação de risco aparecer, o funcionário deve comunicar imediatamente seu superior para garantir medidas de proteção.

Muitas vezes resolvendo o problema de vários que não têm conhecimento da situação atual.

Seguir as regras e procedimentos explicadas no treinamento

Assim como nas duas primeiras obrigações, é necessário dizer que o trabalhador precisa executar tudo de acordo com o que aprendeu no treinamento.

Isto acontece pelo fato de que algumas empresas vão possuir pessoas em cargos superiores que indiquem ações contrárias ao que foi ensinado.

É obrigação do trabalhador se recusar a seguir um caminho incorreto, e atitudes irresponsáveis. Você é obrigado a fazer tudo do jeito correto.


Principais causas de acidentes (O que é curso NR33)

Acredite você ou não, mas os principais fatores que levam a um acidente de trabalho são sempre os mesmos. Seja você alguém que trabalha em um ambiente confinado ou não.

Seguir à risca todas as necessidades de se prever problemas é realmente uma das saídas. Entretanto vale a pena listar alguns dos principais fatores aqui:

1 – Análise e planejamento insuficientes

É comum que o erro muitas vezes não seja diretamente relacionado ao trabalhador final. Aquele que vai entrar no espaço confinado e fazer sua tarefa.

Às vezes ele pode agir corretamente conforme o instruído, e ainda se acidentar. Isto porque não é raro a parte técnica da empresa analisar ou planejar tudo de modo instatisfatório.

Seja por questões de imperícia ou mesmo por algum erro básico. O melhor jeito de se garantir então é tendo uma capacitação adequada, e seguindo sempre as orientações básicas do curso.

2 – Imperícia da equipe

Não é de hoje que encontramos pessoas que não são exatamente super capacitadas para fazer suas tarefas. Afinal de contas tem quem vá mentir no currículo, tem aquele que realmente não leva jeito para a coisa e tem quem não se importe em fazer nada direito.

Seja como for, a imperícia, ou falta de habilidade em fazer uma tarefa do modo correto, é uma causa predominante de acidentes.

Por isso é sempre bom que as pessoas envolvidas na empresa sejam constantemente treinadas e capacitadas.

3 – Ambiente despreparado

É normal encontrar problemas sérios quando você se depara com um ambiente que não foi planejado da maneira correta.

Muitas empresas vão ter máquinas enormes que precisam de manutenção, e não fazer a disposição do espaço correto pode gerar acidentes.

Assim como também trabalhar sem o local estar devidamente limpo e drenado. Preparar o ambiente vai permitir com que a maioria finalmente consiga ter resultados fixos.

4 – Ausência de EPIs e outros equipamentos

Ter uma quantidade básica de equipamentos de proteção é um requisito mínimo para se ter uma empresa funcionando.

Infelizmente alguns locais ignoram os que não achem tão importantes assim. Talvez usar um óculos de proteção, por exemplo, não pareça ter relação direta com eletricidade.

Mas se algo entra no seu olho durante um procedimento e você perde a visão temporariamente do que está fazendo, o risco é ainda maior do que tentar fazer seu trabalho de olhos fechados. Qualquer um pode enxergar que esta não é uma opção muito inteligente.

Seja como for o necessário é que você esteja sempre disposto a fazer suas atividades do meio correto para sua maior segurança.

5 – Pressa

Por último é importante lembrar que muitos ambientes de trabalho são cercados de prazos extremamente cursos e uma constante pressão para que o problema seja resolvido rapidamente.

Mas não só a pressa é inimiga da perfeição, como também é um dos maiores inimigos da segurança. Quem exagera na dose infelizmente acaba por se colocar em sérios riscos, assim como os que estão em volta.

A pressa leva primeiramente à falta de foco, que pode causar distrações extremamente perigosas durante todo o procedimento.

Entretanto também podemos notar o fato de que muitos apressados irão sem pensar duas vezes sacrificar alguma atitude que seria para sua segurança.

Seja colocar um EPI da maneira correta (ou sequer colocá-lo) até mesmo executar o trabalho com qualquer tipo de ação que tiver em mente.


Como me capacitar de maneira adequada com a NR33?

Existem vários meios pelos quais você começa a se adequar a norma. Ter pesquisado sobre ela e então finalmente aprender algo de útil, é um começo.

Mas isto ainda é muito superficial, e o próprio texto em si não vai te trazer o conhecimento necessário para uma certificação.

E afinal de contas o que as empresas querem, ou o que os empregadores querem, é ter funcionários que saibam o que fazem e que possam legalmente demostrar isso.

Até porque uma possível fiscalização básica irá trazer multas bastante complicadas. Ainda que todos conheçam as normas e a sigam corretamente, é necessário comprovar isto de alguma forma.

Então a única saída realmente segura para a empresa é que a pessoa seja graduada em um curso. E claro, este curso precisa ser ministrado através de uma empresa certificada, que esteja licenciada a prover os certificados de capacitação.

O que é Curso NR33?

O curso NR33 é basicamente uma forma de garantir que o empregado tenha uma comprovação de capacidade de executar atividades em espaços confinados.

Este curso possui uma grade de conteúdos básicos, que são exatamente o que garante um certificado válido de trabalho.

Assim como também é necessário existir um número mínimo de carga horária e uma escolha rígida de instrutor.

Infelizmente algumas empresas utilizam a necessidade de outras que precisam deste curso ou mesmo da boa vontade de profissionais que querem se qualificar no mercado de trabalho.

Então é sempre bom fazer suas buscas utilizando alguns padrões básicos de qualidade. Os principais deles estão aqui:

1 – Licenciamento e certificação

Primeiramente é necessário verificar se a empresa realmente pode fornecer um certificado válido. Veja se ela é afiliada ao CREA ou a algum órgão regulador responsável por este tipo de validação.

Claro, esta é uma informação que precisa estar exposta na primeira página de um site. E também é bom sempre verificar se aquilo é ou não verdade.

2 – Cuidado com os instrutores

É bem comum que as empresas tenham até mesmo instrutores qualificados, mas com uma péssima didática. Assim seus colaboradores não ficarão motivados e poderão assimilar menos do que o necessário.

O resultado é que ainda que existam certificados para cada um deles, é normal que acidentes aconteçam com mais frequências. Sendo prejuízo financeiro e humano, enormes.

Fique atento para empresas que ainda não colocam a pessoa capacitada para dar o curso! Não caia em algum papo mole e seja ludibriado pelo instrutor, se ele não tem certificação, então não vale a pena!

3 – Currículo do curso

É importante que o curso abranja tudo o que a norma requer para uma capacitação completa. E para garantir isso pode ser necessário gastar um tempinho fazendo o dever de casa.

Então aproveite para ter certeza de que o curso oferece o que é básico e um pouco mais. Sempre leve instrução de sobra, sendo possível se qualificar em até mais de uma norma!

Qual o melhor curso do mercado?

Levando em conta todos esses fatores é importante dizer que a escolha se torna um pouco óbvia. O que você realmente precisa é o curso de NR33 da Engehall.

Embora este seja um curso voltado mais para a área da elétrica, te dará todas as bases para segurança em espaços confinados, sendo válido para você que precisa da NR33.

Este não é material qualquer, na verdade é feito com uma empresa com mais de 10 anos mercado e que tem trazido conteúdos incríveis para os seus mais de 70 mil alunos.

Todos eles com capacidades imensuráveis para vencer na vida. Já que se tornar um profissional capacitado é sem dúvida um dos melhores caminhos para conseguir melhores trabalhos e ser promovido.

Aqui estão algumas das vantagens básicas deste curso:

Instrutores e conteúdos completos

Você terá tudo o que precisa para reconhecer todas as exigências legais da norma. Sendo capaz de literalmente alcançar novos resultados sem precisar perder tempo.

Os instrutores são completamente capacitados, vindo de uma empresa que é afiliada ao CREA e possui o certificado da ISO 9001. Um excelente ponto de partida.

Modalidades variadas

Se você deseja aprender sobre a norma por conta própria este é um excelente ponto de partida. Afinal de contas está disponível um curso online completo. O que traz resultados incríveis para quem realmente deseja ir além.

Os valores investidos no curso se retornam em benefícios em muitas vezes. Sem contar a possibilidade de aumentar suas chances em entrevistas de emprego.

Agora, para as empresas que precisam de um treinamento especial, também existe esta disponibilidade. Basta entrar em contato no botão que mostrarei logo abaixo.

Certificado válido em todo território nacional

Seja para a empresa ou para um profissional separado, é importante dizer que este é um certificado completamente válido no país todo.

Não é nenhum tipo de prêmio de consolação, mas uma garantia de que você terá tudo o que precisa para se destacar!

Como comprar curso NR33?

Infelizmente o curso ainda está para ser lançado, mas com certeza tem um excelente futuro. Então fique ligado para novidades.

Considerações finais

Agora que você já saber o que é curso NR33, então porque não dar uma chance para sua carreira? Verifique mais informações incríveis no botão acima e se torne alguém completo para o mercado de trabalho.

No mais é isso, qualquer dúvida estou à disposição nos comentários ou página de contatos, ok?

Até a próxima!

© Todos Direitos Reservados | Engehall Elétrica | Curso NR10