Energia elétrica gerada por vírus inofensivo

Foi criado por cientistas dos Estados Unidos, na Universidade de Berkeley, um tipo de vírus inofensivo que pode gerar energia elétrica quando submetido à pressão.

Utilizando o vírus M13 que não causa danos aos seres humanos, o objetivo é criar uma tecnologia de menor custo e que não prejudique o meio ambiente, diferente de outros produtos que geram eletricidade, que quando submetidos a pressão mecânica utilizam elementos tóxicos, além de possuírem custos elevados.

Essa tecnologia pode recarregar um celular a partir da sola de um sapato com M13, enquanto uma pessoa caminha. Desta forma, com a característica do vírus de se multiplicar rapidamente, sempre existirá carga elétrica. Além disso, o M13 tem disposição para organizar-se em redes lineares, facilitando o mecanismo de captação de energia elétrica.

Não podemos comparar o conforto da tomada de uma casa com a tecnologia utilizada com o vírus M13, mas de acordo com os cientistas o aprimoramento genético pode criar novas gerações do vírus e gerar mais energia. Já foi realizado um teste com a tecnologia e constatado que uma organização com 20 camadas de vírus gera energia suficiente para alimentar um sensor e ligar uma tela de LCD.

*Fonte: http://goo.gl/dqdQZ

Causas dos Riscos Elétricos

Existem duas categorias gerais de riscos elétricos para as pessoas de acordo com o Regulamento de Segurança de Instalações de Utilização de Energia Elétrica.

Diretas: Defeito no isolamento das instalações elétricas e contato com uma peça do cabo condutor sob tensão.
Indiretas:
Ligação súbita à rede de alimentação e falta inesperada de eletricidade.

Existem causas mais comuns para acidentes elétricos com condutores e ligações elétricas, são elas:

– Movimentar aparelhos ou equipamentos com cabos em tensão.
– Remover pelo cabo.
– Tomadas e fichas pisadas ou atiradas no chão.
– Cabos dobrados, arrastados, entalados, queimados, etc…
– Usar fitas adesivas para realizar isolamentos.
– Aquecer os cabos dos equipamentos elétricos.
– Usar equipamentos com cabos de ligação deteriorados.

Em ambientes domésticos os acidentes elétricos podem ocorrer muitas vezes devido a:

– Trabalhos sob tensão.
– Carga elevada das instalações.
– Candeeiros metálicos sem ligação à terra.
– Ausência de corrente.
– Restabelecimento da corrente.

*Fonte: http://goo.gl/o3D1l7

Kit Primeiros Socorros

Tenha sempre um Kit Primeiros Socorros por perto

É sempre bom ter por perto um kit de primeiros socorros, garantindo sua segurança e saúde em certos acidentes que podem ocorrer no dia-a-dia, como ferimentos, picadas, mordidas, arranhões, dentre outros.

Veja abaixo os itens necessários para montar o seu kit primeiros socorros:

Termômetro

Febres altas precisam de tratamento rápido evitando convulsões, e o contato da mão com a testa não tem precisão suficiente para identificar a febre, por isso a importância do termômetro para medir a variação da temperatura.

Algodão

Utilizado para limpar qualquer tipo de ferimento.

Soro fisiológico a 0,9%

Antes de receber o medicamento para o ferimento, usa-se o soro para limpar arranhões, ferimentos e mordidas.

Esparadrapo antialérgico

Usado para fixar a gaze, garantindo a durabilidade do curativo e a proteção do machucado.

Remédios para indigestão, náusea e vômitos

Alivia os sintomas.

Gaze esterilizada

Para proteger os ferimentos e estacar os sangramentos.

Anti-inflamatório

Utilizado para evitar inflamações que podem ser prejudiciais.

Antitérmico

Ajuda a baixar febres altas, acima de 37,5ºC.

Analgésico

Ajudando a diminuir o mal-estar causado por gripes e resfriados, aliviando as dores.

Medicamentos para prisão de ventre e cólicas

Facilita a expulsão de gases acumulados e relaxa a musculatura abdominal.

*Fonte: http://goo.gl/6MkcCu

Vantagens dos filtros de linha

Para proteger equipamentos elétricos muitas pessoas utilizam os filtros de linha, que removem ruídos e picos de tensão incidentes da rede elétrica. Além disso existem outras três finalidades básicas para esses filtros, são elas: aumentar o número de tomadas disponíveis, garantir que os equipamentos eletrônicos estão devidamente aterrados, e proteger contra curto-circuito e sobrecarga de tensão.

Aumento no número de tomadas

Assim você não precisa utilizar benjamins e sobrecarregar uma tomada, trazendo riscos de danos elétricos para seus equipamentos.

Garantir o aterramento dos equipamentos

Para que o aterramento seja bem feito o pino do terra do cabo de força não pode ser cortado, além disso é necessário realizar o aterramento com uma tomada de três pinos, fazendo com que o pino terra fique ligado a uma haste de aterramento. Caso o aterramento não for feito na tomada o circuito de filtragem não funcionará.

Proteção contra sobre carga e curto-circuito

Caso a corrente total que o equipamento exija seja maior do que a corrente rotulada, há em todos os filtros de linha um disjuntor responsável por desligar a alimentação elétrica. O valor mais comum é de quinze ampères. Na maioria dos filtros de linha o disjuntor é construído junto com a chave de liga/desliga, sendo assim caso seja necessário reiniciar o disjuntor, precisará desligar a chave para depois ligá-la novamente. Em filtros de linha em que o disjuntor não foi construído junto com a chave existirá uma chave separada para reinicia-lo. Sempre confira o motivo do disjuntor ter sido ativado, senão ele será ativado novamente quando reiniciar.

*Fonte: http://goo.gl/ZTba9A

A importância da ergonomia

A posição em que as tarefas do dia-a-dia são realizadas influenciam diretamente na qualidade de vida. O ambiente de trabalho é o local onde se passa boa parte do dia e onde são realizadas diversas atividades que exercem um esforço do corpo ou uma movimentação repetitiva dos membros. Por isso, é importante o cuidado com a forma e a maneira que essas tarefas são realizadas, esse é o ponto no qual a ergonomia atua.

A Associação Brasileira de Ergonomia, define ergonomia como o conjunto de disciplinas relacionadas ao entendimento das interações entre os seres humanos e outros elementos ou sistemas e à aplicação de teorias, princípios, dados e métodos projetados a fim de otimizar o bem estar humano e o desempenho global da sistema.

Ela é uma ciência de ação multidisciplinar que aborda várias áreas de estudo, como a anatomia, a antropometria, a biomecânica, a fisiologia, a psicologia, a engenharia, dentre diversas outras. Nesse estudo as capacidades e as habilidades humanas são avaliadas, junto às suas limitações e as do sistema de trabalho como um todo, com o objetivo de desenvolver e aplicar técnicas que propiciem uma adaptação entre o homem e o trabalho, possibilitando que ele possa ser exercido de forma eficiente e segura para o corpo.

Os conceitos da ergonomia podem ser aplicados a qualquer setor de trabalho, uma vez que em todos é possível realizar intervenções para melhorar a qualidade e o resultado da atividade exercida e a saúde dos trabalhadores. Esses conceitos se relacionam a prevenção dos acidentes laborais, a criação de ambientes, locais e apoios adequados à atividade exercida, cria métodos laborais, sistemas de retribuição do trabalhador e determina o tempo adequado de trabalho.

Alguns exemplos de área de atuação da ergonomia:

– No desenho de equipamentos e na organização do trabalho de modo a melhorar a postura e aliviar a carga de trabalho, reduzindo, com isso, dores, LER e DORT, estresse etc.
– No ambiente de trabalho a partir de uma construção e concepção que se atente para a iluminação, a temperatura ambiente, os ruídos, umidade do ar, dentre outras características, que satisfação aos que atuam naquele local.
– Na definição das tarefas, levando em conta as necessidades humanas e outros fatores.
– Na arquitetura e desenho dos equipamentos e dos sistemas, facilitando o uso e a interação.

*Fonte: http://goo.gl/tx4d6S

Eletromagnetismo

Magnetismo e eletricidade são fenômenos de mesmo aspecto que geram o eletromagnetismo.

Fenômenos Magnéticos

Formados por polos magnéticos as extremidades do imã quando colocadas em contato podem atrair limalhas de ferro. Além disso, esses polos possuem forças atrativas e repulsivas conforme as posições no espaço, possibilitam também a orientação geográfica.


Sendo assim, os polos magnéticos de mesmo nome se repelem, já os de nomes diferentes se atraem.

Substâncias Magnéticas

Essas substâncias agem permitindo a orientação dos ímãs elementares, como o ferro, níquel e outras ligas metálicas como, por exemplo, o aço.

Substâncias não magnéticas

A exemplo do alumínio e a madeira, essas substâncias que não permitem a orientação dos ímãs elementares.

Campo Magnético

Representado pelas linhas de indução, o campo magnético é a região do espaço que envolve o imã.

Indução Magnética

É o fenômeno responsável pela imantação do corpo por meio de um ímã.

*Fonte: http://goo.gl/tx4d6S

Quais ferramentas o eletricista precisa?

Ferramentas que o eletricista precisa

O trabalho realizado por um eletricista tem contato com grandezas que podem ser perigosas para o ser humano e equipamentos que não podem ser manuseados com as mãos. Nessa atividade, são necessárias ferramentas específicas com diversos objetivos. São diversas as ferramentas, algumas simples como chaves de fenda e outras mais sofisticadas e que simplificam o trabalho realizado.

Chave de fenda

Para os trabalhos com instalações elétricas é importante ter pelo menos duas chaves de fenda disponíveis. Sendo uma pequena para afixação de parafusos nos terminais e interruptores e uma grande para a afixação de, por exemplo, interruptores, uma vez que exige maior esforço.

Chave Philips

Alguns dispositivos e aparelhos possuem partes pressas com parafusos Philips, que não podem ser soltos com a chave de fenda, por isso é necessário pelo menos uma chave desse tipo, podendo ser necessário mais de uma devido à variação de tamanho dos parafusos.

Alicate de corte lateral

Um alicate desse tipo, pequeno e com cabo emborrachado é fundamental para o corte dos fios e até mesmo para “descascá-los”. Além disso, ele pode ser empregado em diversas outras funções.

Alicate de ponta fina ou “bico de pato”

Essa ferramenta é utilizada para dobrar ou puxar pontas de fios para realizar a ligação. Além disso, ele pode ser útil para segurar partes de componentes em determinadas posições.

Alicate de eletricista

Uma das principais ferramentas para um eletricista, essa ferramenta é importante por possuir funções que ajudam o instalador. Ele possui orifícios para o encaixa, corte e descascamento dos fios, também pode ser feito a dobra dos fios e outras operações importantes.

Descascador de fios

Muitos equipamentos podem ser utilizados para essa função, no entanto, existe uma ferramenta específica e simples para essa função. Composta por duas lâminas que prendem a capa do fio e remove essa proteção.

Lâmina ou canivete

Qualquer ferramenta de corte pode ser utilizada para essa função, é utilizada para diversas funções, desde a raspa de pontos de conexão oxidados, remoção de resíduos, corte de partes não metálicas.

Lima

Utilizada para diversas atividades, a lima é importante para a remoção de oxidação de partes metálicas, acerto de superfícies para encaixe, dentre outras. É importante que o eletricista possua duas limas, uma pequena e uma grande.

Cinzel

O cinzel pode ser aplicado em diversas tarefas, por exemplo, pode ser utilizado para a remoção de peças presas ou corte de peças moles.

Martelo

Algumas peças podem precisar ser afixadas com pressão, por isso, o martelo é fundamental.

Furadeira

As furadeiras elétricas são fundamentais para diversas atividades realizadas pelo eletricista. Um jogo de brocas para metal, outro para cimento e outro para madeira facilita a realização de diversas tarefas. Uma furadeira manual pode substituir a elétrica em diversas operações.

Serra de arco

Ferramenta utilizada para o corte de condutos de fios de metal, preparação de partes metálicas, dentre outras funcionalidades envolvendo o corte de partes de metal.

Arame ou fita de passagem

Ferramenta indispensável para o eletricista, basicamente, essa ferramenta é uma fita ou arame de aço que entra nos condutores elétricos, sendo utilizada para alocar e puxar os fios.

Teste de tensão

Já dentro da categoria de ferramentas mais complexas, ele é responsável pela verificação da tensão nos pontos da instalação. Consiste em uma pequena lâmpada neon e duas pontas de prova de material condutor que são conectadas ao ponto de teste. Uma variação desse equipamento é a chave de fenda com lâmpada neon interna.

Lâmpada de prova

Composto por uma lâmpada de 220 volts em um soquete com duas pontas de prova, esse equipamento auxilia diversas atividades. Propicia a verificação de tensão em qualquer ponto da instalação e pelo brilho da lâmpada pode se saber se a tensão é de 110V ou 220V. Uma vez que com 220V o brilho da lâmpada é normal e a 110V reduzido.

Teste de continuidade

Composta por uma ponta de prova e uma garra-jacaré, essa ferramenta permite a verificação da continuidade de circuitos, principalmente o funcionamento de interruptores.

Multímetro

Esse equipamento serve para testar praticamente qualquer aparelho que funcione a partir da eletricidade e não somente em instalações elétricas. Possuem diversas funções, desde testes básicos a testes mais complexos.

Lanterna ou farolete

Utilizada para a iluminação e auxílio para enxergar.

Fita isolante

Mesmo podendo ser utilizada para outras funções, é importante que o eletricista possua no mínimo um rolo de fita isolante para a proteção de partes por onde passará corrente.

Busca-pólo

Pequeno aparelho com uma lâmpada neon em sério a um resistor de valor elevado, instalados dentro de um tubinho com forma de caneta ou chave de fendas. Ao ser encostado no pólo vivo, a lâmpada neon acende e na terra ou no pólo neutro, ela permanece apagada.

*Fonte: http://goo.gl/NwUSjf

Choque Elétrico

O Choque elétrico acontece quando uma corrente elétrica atravessa um corpo. Devido aos sérios riscos que um choque elétrico pode causar deve se ter muito cuidado com redes e circuitos elétricos, uma vez que a pessoa exposta a esses risco pode sofrer um acidente e dependendo da intensidade da corrente ser eletrocutada até a morte.

Uma corrente elétrica é medida pela unidade em ampère. Algumas pesquisas apontam as consequências de valores aproximados que uma carga elétrica pode causar:

– Corrente de 1mA a 10 mA. Provocar apenas uma sensação de formigamento.
– Correntes entre 10 mA e 20 mA. Podem causar uma sensação de dor.
– Correntes maiores que 20 mA. Causam dificuldades na respiração, e podem levar a morte por asfixia se não obtiver socorro a tempo.
– Correntes superiores a 100 mA. São muito perigosas e apresentam altos riscos de morte. Atacam direto o coração, fazendo com que ele funcione a rápidas contrações e de forma irregular.
– Correntes que são superiores a 200 mA. Já não causam mais a fibrilação cardíaca, mas provocam graves queimaduras e parada cardíaca.

Saiba mais sobre Choque Elétrico

*Fonte: http://goo.gl/azcOhU

Quanto cada aparelho gasta na conta de luz?

Frequentemente as pessoas se mostram preocupadas em diminuir os gastos com energia elétrica e economizar no final do mês. Além da economia monetária, gastar menos energia ajuda o meio ambiente. Mas é difícil saber por quanto cada equipamento é responsável na conta.

Alguns dos equipamentos mais comuns nas residências são os responsáveis por grande parte do consumo. O gasto relativo de cada equipamento abaixo é relacionado ao uso médio, sem que o equipamento fique ligado por todo o dia ou mesmo por longos períodos, além disso, são relativos ao uso médio brasileiro.

Iluminação

Parte significativa do que é pago na conta é definida pelos gastos com iluminação, entre 15 e 25%. A luz natural auxilia no controle desse gasto, lâmpadas fluorescentes são mais econômicas, além disso, ambientes claros e a limpeza de lâmpadas e luminárias são fundamentais.

Ar condicionado

O ar condicionado talvez seja o menos comum, mas tem se tornado um item de desejo. Com um uso médio o ar condicionado é responsável por cerca de 2 a 5% da conta de luz mensal. Economizar com esse equipamento é fácil, mantenha o ambiente fechado, os filtros limpos e posicione o ar em locais com boa circulação de ar.

Televisores

Os televisores atuais são mais econômicos que as antigas televisões tubulares, mas mesmo assim ainda são responsáveis por parte significativa da conta, entre 10 e 15% dos gastos são para pagar esse conforto. A melhor forma de economia com a TV é não deixar o aparelho ligado quando não há ninguém assistindo.

Máquina de lavar roupas e ferro de passar

O tempo para realizar tarefas de casa, como lavar e passar roupas, é cada vez menor. A máquina de lavar é responsável por 5% da conta de luz, relativamente pouco, mas esse valor pode ser maior se a máquina for usada para lavar poucas roupas várias vezes. Ligue a máquina quando ela estiver com sua capacidade máxima de roupas, assim a economia não é só de energia, mas também de água.

Já o ferro elétrico é responsável por 5 a 7% da conta e para economizar também deve ser usado para passar muitas roupas, o aquecimento do ferro gasta muita energia. Começar a passar as roupas pelas que exigem temperaturas mais baixas aproveita a energia desde o aquecimento do aparelho.

Geladeira

Um dos principais eletrodomésticos a geladeira fica ligada durante todos os dias do mês o tempo todo e, por isso, é responsável por cerca de 20 e 30% da conta. A geladeira não deve ficar encostada em móveis e paredes, muito menos próxima a fontes de calor. Além disso, a limpeza e a manutenção da geladeira são atitudes fundamentais para diminuir o consumo. E claro, abrir a geladeira várias vezes ou abrir a geladeira “para pensar” aumenta o consumo.

Chuveiro

Os gastos com o chuveiro representam de 25 a 35% da conta. A resistência do aparelho precisa de muita energia para deixar a água quentinha, por isso banhos mais curtos economizam água e energia elétrica. Usar o chuveiro na posição verão também economiza energia, nessa função menos energia é usada.

*Fonte: http://goo.gl/RZLxqH

Novo modelo de cobrança de energia – ‘Tarifa Branca’

Em Janeiro de 2014 entrará em vigor a nova tarifa de luz chamada ‘tarifa branca’. De acordo com a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), empresa experiente no setor de energia, o objetivo é reduzir o valor da conta no fim do mês.

Com a tarifa branca em vigor a cobrança de energia elétrica terá valores tarifados de acordo com os horários de consumo de energia, ou seja, e horário de pico (entre 18h e 21h) o valor da luz ficará mais caro. Neste novo modelo de cobrança existirão três bandeiras tarifárias: a verde, amarela e vermelha. A bandeira verde significa que o custo será mais baixo, já a bandeira amarela representa um aumento gradual da cobrança, e por fim a vermelha terá o maior custo, já que indicará o horário de pico.

Segundo informações da Aneel, as bandeiras são para os dias úteis, já em finais de semana e feriados será empregada a tarifa mais barata para todos os horários do dia.

*Fonte: http://goo.gl/RZLxqH

© Todos Direitos Reservados | Engehall Elétrica | Curso NR10