💡 O que tem de ELETRICISTA instalando ISSO ERRADO não é BRINCADEIRA 🤦‍♂

⚡️ AULA GRATUITA: Como Fazer Uma Instalação Elétrica Completa do Zero, Com Facilidade, Mesmo que Você Não Seja Um Eletricista Profissional:
➽ https://ift.tt/3dnLpvc
------

✅ Gostou desse vídeo?
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
✍️ Deixe seu comentário
📢 Compartilhe com os amigos
🕵 Siga nossas redes ➽ https://ift.tt/2MyzEU5
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

👉 Curso NR10 com 20% de desconto
➽ https://ift.tt/32hldfg
------
Fala meus queridos! Bem vindos a mais um vídeo da série DICAS FLASH!

Hoje vou mostrar a vocês que sim, tem muito eletricista por aí instalando sistema de iluminação de emergência de forma totalmente errada, profissionais que nunca sequer tenham lido a norma que regulamenta esse tipo de serviço.
Mas calma, não estamos aqui pra julgar ninguém, é tanta norma que às vezes a gente nem sabe que existe uma específica para um determinado serviço, isso é normal, mas aí te pergunto, você sabe de qual norma eu estou falando? Já vai interagindo nos comentários, porque hoje falaremos um pouco sobre a NBR-10898:1998 - Sistema de iluminação de emergência, bora pra aula?

Mas voltando no assunto, em qualquer instalação comercial em que vamos, o que mais vemos é um monte de luminárias de emergência instaladas, seja em salas de espera, corredores e escadarias, mas já pararam para pensar porque elas foram instaladas ali?

Em algumas cidades, para o estabelecimento receber o alvará de funcionamento, ele precisa ter um Projeto de Segurança Contra Incêndio e Pânico (ou PSCIP) aprovado pelo Corpo de Bombeiros ou outro órgão competente da Prefeitura daquela cidade. E é este documento que apresentará a exigência ou não da necessidade da iluminação de emergência.

O Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, por exemplo, em sua Instrução Técnica número 13, orienta ao projetista, em seu item 2.2, que seja adotado a NBR 10898 naquilo que não for contrário ao disposto naquela Instrução Técnica.

Então vamos listar os principais tipos de sistemas de iluminação de emergência aceitos pela NBR 10898:

Conjunto de blocos autônomos. Os blocos autónomos são aparelhos de iluminação de emergência constituídos de um único invólucro adequado, contendo lâmpadas incandescentes, fluorescentes ou similares;

Sistema centralizado com baterias. O sistema centralizado com bateria de acumuladores elétricos devem ser com recarga automática de modo a garantir a autonomia do sistema de iluminação de emergência;

Grupo motogerador. Assim como o sistema centralizado com baterias, o grupo motogerador deve garantir a autonomia do sistema de iluminação de emergência, utilizando para isso para tanques de armazenamento de combustível

Bom, sabemos quais os sistemas que a norma permite utilizar, mas qual a altura que devemos instalar a iluminação de emergência?

Esta altura estará ligada diretamente ao distanciamento entre as luminárias.
No item 8.1.17 cita que a distância máxima entre dois pontos de iluminação de ambiente deve ser equivalente a quatro vezes a altura da instalação destes em relação ao nível do piso, e no item 8.1.15 cita que esta distância não pode exceder 15m.

Então por exemplo: Temos um corredor de 30 metros de comprimento, no qual será instalado iluminação de emergência a 2,5 metros de altura. Como a distância máxima entre dois pontos pode ser até 4 vezes a altura delas, temos: 2,5 x 4 = 10 metros. Nesse caso, devemos colocar uma luminária a cada 10 metros de distância da outra.

Bom no item 4.7.5 nos orienta quais dados devemos conhecer para usarmos no projetos: são eles:
a) tipo de lâmpada;
b) potência, em watts;
c) tensão, em volts;
d) fluxo luminoso nominal, em lúmens;
e) ângulo da dispersão da luz;
f) vida útil do elemento gerador de luz.

Além disso, devemos levar em consideração a resistência ao calor e a ausência de ofuscamento, tá bom?

Existe disponível no mercado diversos modelos e marcas de luminárias de emergência, temos Luminárias de emergência de 30 leds, a Luminária de emergência multifunção e os blocos autônomos. E vale lembrar que não são admitidas ligações em série de pontos de luz ( iluminação de emergência ), e no caso de instalação aparente, a tubulação e as caixas de passagem devem ser metálicas.

Agora fiquem atentos a mais um trecho bastante importante da norma;
No Item 4.8.10 cita que corrente por circuito de iluminação de emergência não poderá ser maior que 12A e que cada circuito não poderá alimentar mais de 25 luminárias.

Então na prática é simples, somou a corrente de todas as luminárias de emergência penduradas naquele circuito e ela passou de 12A, e/ ou tem mais de 25 luminárias para ser instalada, é necessário criar novos circuitos, o limite é esse 12A e/ ou 25 pontos de iluminação de emergência, show?

Compartilhe esse conteúdo nas suas redes sociais:

ESCRITÓRIO BH

Av. Portugal, 4340
Itapoã - Belo Horizonte / MG
Telefone: (31) 3499-6030

ESCRITÓRIO SÃO PAULO

Rua Tenente Coronel Soares Neiva, 72
Vila Aricanduva - São Paulo / SP
Telefone: (11) 3090-2670

ESCRITÓRIO RIO DE JANEIRO

Telefone: (21) 3090-0798

OUTRAS CIDADES

apartmentmagnifiercross linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram